Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio,

O Alto Taquari - Cotidiano

Jornal da Semana
Cotidiano

Superação e companheirismo marcam os 70 anos de casamento de Breno e Laura

, 22 de julho de 2022 às 9h10

Breno e Laura Lansing, 93 e 92 anos, respectivamente, completam no dia 24 de julho suas Bodas de Vinho, que marcam os 70 anos de casados. Morador de Forqueta, em Arroio do Meio, o casal, que segue unido desde o ano de 1952, é exemplo de companheirismo, determinação e superação. E, apesar da idade, Breno e Laura esbanjam carisma, inteligência e saúde.

A história de Breno e Laura iniciou há pouco mais de sete décadas, quando o casal se encontrou numa confraternização de kerb, numa tarde de sábado. Na noite daquele mesmo dia, havia um baile no salão da comunidade de Linha 32 no qual os dois estiveram presentes. Breno e Laura dançaram juntos a noite toda. Naquela época, a dança era um ato primordial para futuros casamentos e foi assim que os dois começaram a namorar.

Após seis meses de namoro, o casal resolveu oficializar a união e, no dia 24 de julho de 1952, se uniram em matrimônio. Em junho de 1953, Laura deu à luz a primeira filha, Ilse Lansing. 11 meses depois, nasceu Carlito. Sucessivamente, nasceram Noeli, Glaci, Nestor, Décio, Vendelino, Marlise, Iraci, Luis, Inacio, Asilde, Sírio e a caçula Lisete, todos com poucos meses de diferença.

Breno e Laura relembram que antigamente tudo era muito diferente de hoje. Para dar conta do trabalho agrícola e dos filhos, muitas vezes era necessário levá-los junto na roça. “Ordenhávamos as vacas de manhã, de meio-dia e de noite. E nosso serviço era feito à mão, hoje as ordenhas são automatizadas”, relembra Breno. A família também não possuía balcão de cozinha com pia, e a louça era lavada em uma bacia. Além disso, a água era retirada com baldes no poço, pois não havia água encanada. A energia elétrica só foi instalada no ano de 1984.

Um legado de bons exemplos

Os dois relembram que a locomoção para qualquer lugar era, inicialmente, feita a pé. Alguns anos depois, Breno adquiriu um cavalo, com o qual levava o trigo que plantavam para Palmas. Lá o trigo era moído e Breno trazia a farinha para casa. “Hoje se fala em tempos ruins, mas na nossa época não se tinha as mesmas condições que as pessoas têm hoje”, afirma Breno.

Morando há 20 anos na casa atual, o casal relembra que a primeira casa que construíram era bem menor que a atual. “Era bonito de ver quando fazíamos kerb. Naquela época, nos reuníamos já nos sábados à tarde e os primos dormiam aqui, com os colchões enviesados e apertados”, relata a filha Marlise. “Antigamente a família era grande e a casa era pequena. Hoje a casa é grande e a família, pequena”, comenta Breno.

Breno e Laura também eram bastante participativos na comunidade. Breno ainda lembra da primeira festa da comunidade de Forqueta e relembra de quando a primeira escola da localidade e a Igreja São Vendelino foram construídas, pois, contribuiu no processo. “Para levantar a igreja, cada um dos sócios trabalhou 25 dias de graça. Tudo foi feito à mão, sem o auxílio de máquinas. A areia utilizada na obra, era pega no rio”. Mais tarde, o filho mais velho ajudou a construir a Escola Arlindo Back, que funciona até hoje.

Atualmente, com 14 filhos, 21 netos e 10 bisnetos, Laura e Breno se sentem felizes e com o sentimento de dever cumprido. Apesar das dificuldades que passaram antigamente, juntos, conseguiram superá-las, oferecendo uma vida de qualidade para a família. Eles são exemplo de companheirismo e determinação. “Para manter uma relação durante 70 anos, é essencial apoiar um ao outro e é preciso sempre pensar positivo”, finalizam.

Seguir em frente e acreditar no que se faz

Marcos Aurélio Schwarzer, 34 anos, um dos netos de Breno e Laura, assumiu o trabalho na agricultura desde abril deste ano, após o falecimento de seu pai, para dar sequência às atividades.

Único neto que trabalha no meio rural, Marcos conta que o ambiente remete às histórias que o avô conta. “Ele sempre fala que antigamente era tudo muito diferente, e vejo o quanto temos facilidade hoje, pois temos as máquinas que nos auxiliam. A tecnologia evoluiu muito”, afirma.

Para Marcos, o legado deixado pelos avós é a questão de sempre seguir em frente e acreditar no que se faz, mesmo com as dificuldades. “Eles continuam ativos, apesar da idade. Ano passado o vô teve um AVC, mas antes disso, ainda era muito envolvido nos afazeres da casa”, destaca.

Registro de Breno e Laura com seus 14 filhos

Breno e Laura são exemplo de companheirismo, dedicação e superação

Por daiane