Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio,

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Câmara de Vereadores

Oposição e situação debatem coerência política

, 3 de junho de 2022 às 9h49

Sete projetos de lei foram aprovados por unanimidade na sessão ordinária da Câmara de Vereadores de Arroio do Meio, realizada em de 1º de junho. O mais discutido foi a contratação temporária de um veterinário e formação de cadastro reserva para atender solicitação do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa), no que tange ao acompanhamento de abates em frigoríficos e processos em agroindústrias de embutidos.

Na sessão passada a emenda apresentada pelo líder de bancada do MDB, Paulo Roberto Heck, limitando a contratação até o fim de 2022, teve pedido de vistas de Alessandra Brod (PP). Roque Haas, o Rocha, Vanderlei Majolo e Alessandra Brod, do PP mostraram-se preocupados com o prazo e harmonia de trabalho com os estabelecimentos após o retorno das servidoras afastas. Alessandra ainda apontou o aumento da demanda. Heck reforçou que o município tem sete meses para organizar um concurso. O que seria tempo suficiente.

Também foram aprovados crédito especial de R$ 958.270,00 para aquisição de uma van equipada para a Saúde, construção de calçadas em Forqueta e de um centro de eventos do grupo Meio Que Geral; custeio de despesas de até R$ 50 mil com a realização da IV Gincana Arroio do Meio; R$ 80 mil para a perfuração de um novo poço artesiano, compra de materiais e serviços necessários para a Associação de Água Dona Rita; denominação da Rua A que tem início na rua Érico Veríssimo, localizada no bairro Medianeira, de rua Elaine Maria Schmitz; adequações no artigo 6 da lei 3.972/2021 para adequar a quantidade de cargos de monitor escolar, totalizando 75, autorizados a serem contratados temporariamente no ano letivo de 2022; e, em regime de urgência, Crédito Especial de R$ 1.850.000,00 para a compra de kits de cestas básicas, álcool em gel, luvas, máscaras e botijões de gás para os idosos – os valores vêm da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico.

Na noite também foi aprovado o pedido de informações sobre horas extras e o relatório final da auditoria do Susaf-RS.

Na ocasião o suplente Gilmar Ost (PP) assumiu o lugar de José Elton Lorscheiter, o Pantera (PP), que pediu licença por 30 dias. Ost fez 246 votos na eleição.

Ainda, foi retirado pelo Executivo o projeto que visava instituir o PavimentaFácil. Além de três projetos que ainda estavam em análise, outros seis deram entrada às comissões de Constituição de Justiça e de Finanças e Orçamento e devem ser apreciados em 15 junho.

PREOCUPAÇÃO COM DESASTRES EM ÁREA DE RISCO – Maria Helena Matte (MDB) pediu pelo reparo de uma lâmpada queimada na rua João Antônio Rauber. A emedebista também falou da sua preocupação com a prevenção em áreas de risco, principalmente em áreas de enxurrada e enchentes. Que há falta de divulgação de ações e medidas que estão sendo tomadas. Lembrou que este tipo de evento se repete de tempos em tempos. Cobrou a publicação das ações para resolver o problema das famílias que vivem em áreas de risco. Comemorou o fato de que nesses eventos não foram perdidas vidas em Arroio do Meio. Mas é preciso que a Administração Municipal e Defesa Civil façam um planejamento a curto, médio e longo prazo.

ESFORÇOS DE TODOS OS GOVERNOS E CONTRIBUINTES – Rodrigo Kreutz (MDB) falou da satisfação da comunidade de Arroio Grande com a continuidade das obras de asfaltamento. Ainda, que os vereadores de oposição são muitas vezes cobrados por posições tomadas, destacou a maturidade no momento de tomar decisões, como a aprovação do projeto de financiamento para a referida obra, que será paga com o esforço de todos os contribuintes. Lamenta quando dizem que há pessoas do seu partido contra a obra. Lembrou do vereador Romano Kunzler que lutou muito para que esta saísse do papel e todas as etapas e a importância dos governos para conquistar a obra.

Lamentou que na sessão anterior o colega Pantera colocou uma inverdade quanto a comparações com a quantia de asfalto feito no período de 12 anos de seu governo. Ressaltou que todos os governos foram importantes neste sentido. “Os sucessores sempre superam antecessores”. Parabenizou os envolvidos no campeonato de bocha e lembrou o período para encomenda do milho troca-troca.

FALTA DE ATENDIMENTOS NA AGRICULTURA E ASFALTOS – Cesar Kortz (MDB) reiterou sua preocupação com os buracos nos asfaltos do município. Pediu atenção para dois bueiros quebrados, em frente ao Pituca e na entrada da rua São Miguel. Também por atenção nos serviços urbanos, quanto a época das podas das árvores e acúmulo de lixo nos bairros. Falou de nova reunião com o promotor Sérgio Diefenbach com os agricultores, que têm áreas lindeiras a respeito do Corredor Ecológico. Se disse feliz pelo promotor ser acessível, ficando bom para todas as partes.

Pediu atenção do secretário da Agricultura, pois os agricultores reclamam de não serem atendidos nos serviços de máquinas e caminhões, licença ambiental, limpeza de açudes, entre outros. E cobrou asfalto em direção às localidades da Cascalheira e Passo do Corvo, conforme promessas de campanha.

OBRAS E MELHORIAS EM DIVERSAS FRENTES – Roque Haas, o Rocha (PP) referente às colocações do colega Cesar, disse que não veio recurso do Estado. Que tem 13 propriedades inscritas para limpeza de açudes, mas não veio dinheiro para a execução. Quanto ao asfalto, elogiou a atitude da Administração pela coragem de buscar o financiamento. A promessa de asfalto para Dom Pedro II, foi concretizada. Em Palmas, também foi feito asfalto, assim como na Medianeira houve a conclusão. Quanto a Forqueta, no sentido a Três de Maio, que estava com dinheiro em conta desde 2019, agora foi colocado em execução. A calçada de passeio está saindo do papel, mesmo sendo articulada pelo MDB. Garantiu que vai sair o asfalto de Cascalheira e Passo do Corvo, mas tudo dentro de uma programação. Pediu um quebra-molas em Forqueta, em direção a Três de Maio.

Ao falar de gestões passadas, citou a Dália, que teve a área de terras comprada pela Administração de Danilo Bruxel. Citou ainda intervenções quanto a Girando Sol, Neugebauer e Centralsul. Falou da luta para atender a demanda da Educação Infantil. Que está se buscando a construção de uma creche nos fundos da Minuano. Citou ainda melhorais nos benefícios para o setor primário com o Bônus Produção. Por último, disse que se existem algumas deficiências para o atendimento de acessos e outros, serão corrigidas.

EDUCAÇÃO EM XEQUE – Paulo Heck (MDB) pediu um minuto de silêncio pela Educação de Arroio do Meio. Em seguida falou da preocupação de associações de pais e diretorias, que se esforçam para angariar fundos para atender essas crianças. Também, as tristezas de pais e mães de famílias que não conseguem trabalhar por falta de vagas. Diante disso, lamentou o contrato assinado pela Administração, o qual tirou R$ 750 mil da Educação para fazer pinturas de meio-fio. “Tirando dinheiro das crianças, que poderiam ter mais vagas e melhores condições do ensino”. O vereador Rodrigo Kreutz, em aparte, pediu que a Escola São Paulo seja colocada em funcionamento o quanto antes. Heck seguiu, dizendo que nas escolas sempre falta dinheiro e ainda tiram. Questionou onde fica a prioridade. “A Administração está perdida por tomar tal atitude”. Ainda, disse que visitou o site do município, o qual teve uma reorganização, e percebeu que agora o município não tem mais o Departamento de Cultura.

MAIS CAUTELA NAS CRÍTICAS – Alessandra Brod (PP) disse que irá se inteirar melhor do contrato apresentado por Paulo Heck, a respeito das verbas que teriam sido retiradas. Mas disse que existe dotação orçamentária. Quanto às vagas, concordou que é preciso aumentar, mas o que está sendo feito não é rápido, sendo necessário enfrentar muitas questões burocráticas. “Ter paciência é fundamental. As necessidades estão em várias áreas”.

Quanto ao apontamento de má gestão pela troca de professores, disse que tudo é normal por uma questão de gestão de cada educandário frente aos seus profissionais. Quanto às creches, a Administração tem dado suporte à Educação Infantil, mas reforça que elas são comunitárias. Sugeriu cuidado quando se fala em educação e colocar as coisas reais e disse que jamais seria deixado de dar suporte às escolas.

Em relação à defesa civil, se disse surpresa com as colocações da vereadora Helena, pois viu publicações em redes sociais e outros meios de comunicação a respeito do serviço e monitoramento do Rio Taquari. Quanto à cultura, disse que tem um coordenador. Talvez a questão tenha se perdido no site, mas que não parou, inclusive houve a ampliação de algumas situações. Haas, em aparte, disse que nenhuma escola está ficando sem dinheiro ou suporte.

SEMELHANÇAS NAS GESTÕES E COERÊNCIA – Vanderlei Majolo (PP) cumprimentou a Liga de Bocha pelo excelente campeonato organizado, destacando o envolvimento das pessoas. Também destacou a reforma do ginásio da comunidade Rui Barbosa. Disse ser necessária uma fórmula para evitar os postes dentro das ruas, quando são pavimentadas. Revela que isto está difícil de resolver.

O vereador avaliou as manifestações acirradas dos seus colegas. “Todos têm o direito de apresentar as demandas da sociedade e defender o que achar necessário”. Disse que a Administração que está e as que já passaram têm maneiras parecidas de governar. “Em cada setor se avança naquilo que se entende como prioritário”.

Disse ser preciso ver a questão do déficit de funcionários. Em relação à creche, questionou o que foi feito de tão impactante neste sentido na Administração passada. Na Saúde, que já passa de 58 mil atendimentos e 200 cirurgias em 2022. Questionou o que há de tão errado. E ainda existem projetos na gaveta, que não são votados. “Temos que honrar o voto e trabalhar com coerência”.

MARCAS DA ATUAL ADMINISTRAÇÃO – Nelson Paulo Backes (PDT) frisou que está com 72 anos de idade, lembrou que foi prefeito, mas garante que esta será a melhor Administração de todos os tempos. Disse que em um ano e meio foi definido o acesso para Arroio Grande, está sendo feita a ligação com Travesseiro e está ocorrendo a acessibilidade. Sugeriu a elevação na ponte dos Wünsch, para mais tranquilidade quando dá cheias.

Agora também foi conquistada a questão do viaduto, fundamental para a mobilidade. Considera algo grandioso e maravilhoso para a comunidade e estendeu cumprimentos pela batalha de todos. Lembrou ter dito que a principal obra seria a reabertura da Escola São Paulo e que agora estão vendo a data para inauguração. Afirmou que também está em estudo a modernização das lixeiras.

Frisou que a área da escola da CNEC, mais nobre de Arroio do Meio, está prestes a ser repassada para o município, mas vai ocorrer depois do período eleitoral. Quanto à cultura destacou que o nome Departamento de Cultura não interessa muito, mas sim as ações, que estão sendo desenvolvidas.

TROCA DE FARPAS NÃO É BEM-VISTA – Gilmar Ost (PP) agradeceu a todos pelo apoio nas eleições e por estar assumindo o cargo. Falou de sua satisfação pela conclusão do asfalto no bairro Medianeira, bairro com cerca de 20 empresas de grande, médio e pequeno porte, com destaques para o retorno ao município. Que no bairro também são diversos loteamentos, cinco em obras e mais dois a serem executados, e que falta acessibilidade e ligação viária com outros bairros. Alertou para a falta de tubos de concreto para a rede pluvial do Loteamento Bergamo e questionou a aprovação do loteamento sem esta estrutura, pois agora a prefeitura precisa danificar a calçada para colocar os tubos. Analisou que no município há vários tipos de calçadas, cobrando padronização.

Quanto à agricultura, lamentou a situação do setor, e pediu que a Administração faça o possível para ajudar. Disse que o Governo Federal anunciou a compra de novas máquinas para repassar aos municípios e que a Administração já fez o credenciamento. Referente a vagas em creche afirmou que “talvez seja por falta de investimento no passado”. Concluiu dizendo que a troca de farpas entre os vereadores é vista com maus olhos do lado de fora.

INCLUSÃO AMBIENTAL E SERVIÇOS NA AGRICULTURA – Adiles Meyer (MDB) repercutiu que há 50 anos houve a oficialização das políticas públicas voltadas ao meio ambiente. Todos os anos é desenvolvido um tema. Detalhou o Programa Arroio do Meio Mais Sustentável (página 17)e se preocupa de que forma as pessoas com menor poder aquisitivo serão incluídas. E, na área rural, de que forma serão beneficiados os que se adequarem nas questões ambientais. A respeito de acessos disse que foi cobrada quanto a essa dificuldade. Assim como a realocação dos servidores Cesar e Rodrigo, que são vereadores, que os agricultores ficaram chateados. Por último, pediu que se dê atenção ao atendimento de roçadas.

CULPA X COERÊNCIA – Marcelo Schneider (MDB) falou sobre os projetos que não foram para a pauta. Disse que espera por questionamentos que ainda não foram apresentados pelo Executivo.

Que as estradas em muitos locais estão em situação crítica. Muitas máquinas e caminhões parados pela lentidão em comprar peças e, por consequência, servidores parados. “Por que não realizar um concurso público? Tem vagas abertas. Por que não criar mais cargos?”. Avaliou que na campanha foi falado muito em diálogo e ouvir e agora não está ocorrendo com funcionalismo. Sugeriu que a Administração ouça os funcionários, que dirão se é preciso ou não de mais gente. Afirmou que a comunidade lembra dos serviços na Administração anterior, com equipe menor e menos máquinas. “É hora de mostrar gestão eficiente, sem olhar a cor partidária”. Quando as coisas não funcionam somos nós e quando funcionam são vocês. Se não podemos trazer as demandas da comunidade, o que fazemos aqui?”, disse o vereador. “Se não tem material, operador e remédio é culpa do MDB”, concluiu. Schneider avaliou que a Câmara sempre foi muito coesa, que teve apenas um projeto rejeitado até hoje. Os demais, todos aprovados. Por último, pediu por manutenção da rede da quadra da praça, que está furada, e parabenizou os envolvidos no campeonato de bocha.

Por daiane

Após cinco meses de debates, vereadores entram em acordo para garantir veterinários temporários para acompanhamento de abates em frigoríficos e processos em agroindústrias de embutidos