Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio,

O Alto Taquari

Jornal da Semana
O Alto Taquari

Apesar da estiagem, diversidade anima participantes

, 17 de junho de 2022 às 9h16

A 15ª Edição do Encontro de Sementes Crioulas de Arroio do Meio, realizada na quarta-feira, foi a primeira ao ar livre desde a sua criação. Entre o público que circulou pela praça Flores da Cunha, no Centro, participantes de Taquari, Travesseiro, Marques de Souza, Santa Clara do Sul, Lajeado, Estrela e Cruzeiro do Sul, além de arroio-meenses.

Promovido pela Emater/RS-Ascar, prefeitura – por meio da secretaria de Agricultura, Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil – IECLB, Comissão Pastoral da Terra (CPT), Associação Ecobé, Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR), grupos Defensores da Natureza e Agricultores Ecologistas de Forqueta e tem apoio da AAVT, o evento teve como tema “Sementes crioulas: a favor da saúde, da agricultura e da natureza”.

A programação contou com a apresentação de experiências na agroecologia, melipolinucultura, conservação de material de propagação, controle do ciclo da mosca das frutas e construção de cisternas sustentáveis, além da troca de sementes, mudas, ramas e bulbos e degustação partilhada de alimentos.

Nos atos iniciais, a vice-prefeita Adriana Celestina Meneghini Lermen, lembrou que no passado o escambo ajudou as famílias a enriquecerem a cultura de alimentos, deixar a mesa mais farta de nutrientes e saborosa. “É importante resgatar o que é saudável e valorizar a agricultura familiar e agroindústrias, que são importantes para alimentos de qualidade na cidade”, evidenciou.

O prefeito Danilo José Bruxel destacou que o evento traz uma diversidade de alimentos que chegam a ser desconhecidos para as gerações mais jovens e a motivação entre as pessoas envolvidas e engajadas em torno da 15ª edição mostram que a tradição é importante para a cultura local e precisa ser preservada.

No ato ecumênico, o pastor Valmir Simon frisou a importância da preservação das espécies e da produção de alimentos, considerando que mais de 30 milhões de brasileiros estão passando fome. O padre Alfonso Antoni salientou que além da cultura do trabalho e importância dos alimentos, o resgate é importante para educação da população e fortalecimento de amizades. Também foi homenageada a agricultura agroecológica Helena Weizenmann, de Forqueta, além da apresentação do tradicionalista Antônio Gringo que é natural de Rodeio Bonito.

O engenheiro agrônomo da Emater-RS/Ascar, André Michel Müller, relatou que a estiagem afetou a disponibilidade de sementes e mudas crioulas. Mesmo assim, em torno de 100 espécies estiveram à disposição dos participantes.

Agroecologista da Emater/RS-Ascar, Marcos Schäffer, abordou a temática dos pomares em sua biodiversidade e o controle da mosca da fruta

Comissão Pastoral da Terra (CPT) abordou a reservação de água, com cisternas pré-moldadas em sistemas sustentáveis

Entre outros assuntos, meliponicultor Clóvis Gisch revelou que no RS existem 25 espécies de abelhas sem ferrão que são importantes para a polinização de diferentes plantas. Sugeriu tipo de madeiras para confecção de caixas de abelhas, modelos de iscas para captura de enxames, espécies de plantas e formas de conservar o mel para evitar a cristalização

Por daiane

Helena Weizenmann destacou a importância dos cuidados com as sementes crioulas, mudas, ramas e bolbos, durante a conservação e cultivo