Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio,

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Geral

Jovem não resiste a desabamento de galpão na Forqueta Baixa

, 14 de janeiro de 2022 às 10h41

A estudante de Recursos Humanos, Jaíne Tainá Gräff, que completaria 21 anos em 2 de fevereiro, não resistiu ao desabamento de um galpão na propriedade da sua família em Forqueta Baixa, Arroio do Meio, no fim da tarde de quarta-feira. Segundo familiares, ela estava de férias e, por ocasião, ajudava a irmã Juliana de 18 anos e a mãe Liane de 50 anos na ordenha, quando um dos lados do galpão começou a ceder. A mais jovem correu para fora do galpão. As outras duas correram para a parte central. A mãe sofreu ferimentos leves e foi conduzida ao Hospital São José de Arroio do Meio. Jaíne não resistiu. “Depois dos primeiros estalos, em menos de um minuto tudo desabou. Ela era extrovertida, de bem com a vida e tinha vários sonhos com o namorado”, relatou a irmã mais nova. Nenhum animal foi atingindo pelos destroços.
Jaíne era auxiliar administrativa da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Arroio do Meio, desde abril de 2019. De acordo com a secretária-executiva da entidade, Raquel Scheid, era uma colega muito querida, atenciosa, dedicada e simpática. “Todos gostavam muito dela. Ela retornaria de férias no dia 26”. Em decorrência do falecimento, a CDL/SPC de Arroio do Meio não teve atendimento durante a quinta-feira.
FATALIDADE – A escavadeira hidráulica da secretaria da Agricultura concluiu a abertura de uma fossa num dos lados do galpão no decorrer da tarde de quarta-feira. De acordo com o secretário Élcio Roni Lutz, o operador de máquinas já havia contatado o caminhão para o transporte da escavadeira e conversava com o pai de Jaíne, Darci, quando ocorreu a tragédia. “O assunto é tratado como fatalidade. Atendemos um pedido feito pelo próprio proprietário que queria mais uma fossa. A perícia poderá avaliar se houve influência do serviço de máquinas ou se o galpão estava precário”, dimensionou Lutz, que é morador da localidade.
Toda comunidade prestou condolências à família, que há cerca de 20 anos perdeu um filho por afogamento na propriedade. O corpo de Jaíne foi sepultado no Cemitério Católico de Bela Vista. Além dos pais Darci e Liane, Jaíne deixa os irmãos Juliana e Jonata e o namorado Lucas de Moura da Silva, morador de Paverama.

Por daiane