Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio,

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Geral

Empresários projetam o crescimento econômico

, 24 de dezembro de 2021 às 10h10

A vinda de trabalhadores ao município para as obras de duplicação trouxe números positivos na economia. Os números da movimentação financeira neste período de obras, de acordo com o secretário de Administração, Fazenda e Planejamento, Ricardo Kich, serão divulgados nos próximos dois anos, onde será possível ver índices precisos de ISSQN, ISS e ICMS gerado.

Na cidade, empreendedores comemoram a chegada das obras e projetam um crescimento significativo da cidade com mais oportunidades, atrativos para novas indústrias e geração de empregos.


MAIS TURISTAS AO MUNICÍPIO

Ariane Leipnitz, 31 anos, possui uma confeitaria em Linha Tigrinho e integra o roteiro turístico Janelas do Interior. O trabalho é focado na venda de doces, salgados, tortas, rodízios e café colonial. Para a empresária, o município irá avançar muito com as obras de duplicação, melhorando o deslocamento para cidades maiores e atraindo novas indústrias.
Ariane também destaca os avanços na área turística, com a chegada de cursos e no momento pós-pandemia, onde as pessoas buscaram nos ambientes rurais e mais distantes dos grandes centros opções de lazer e diversão. “Hoje nosso roteiro divulgou muito o município para fora. A maioria dos clientes e contratantes são de fora, isso ajuda muito a divulgar o município, serviços e empreendimentos”.


AUMENTO SIGNIFICATIVO NAS VENDAS E MAIS CONTRATAÇÕES

A empresária Janice Beatriz Noll percebe que a movimentação de funcionários com as obras de duplicação trouxe mais movimentação ao comércio local, seja nos setores imobiliários como na alimentação. “Nós que trabalhamos com várias linhas, desde o bazar até a alimentação, sentimos um aumento significativo nas vendas”, destaca, salientando que, nos últimos meses, apostou na contratação de novos profissionais para manter o atendimento.

Janice também espera que as obras no passar dos anos, quando concluídas, tornem a cidade mais atrativa para grandes indústrias, geradoras de emprego, além de facilitar o deslocamento para grandes centros como Lajeado.


ESTIAGEM PODE AFETAR AS VENDAS NO COMÉRCIO

Para o gerente de vendas Evandro André Scherner, 33 anos, que é natural de Marques de Souza, o município deve seguir a linha atual de crescimento, com investimentos na agricultura, que é a principal fonte de renda das famílias, e com a chegada de pequenas empresas que possam contratar a pouca mão de obra local e, assim, gerar empregos.

Na opinião dele, a chegada dos trabalhadores não atingiu em cheio o comércio, pois as empresas responsáveis pela obra garantiram muitos materiais aos trabalhadores como roupas, calçados e alguns itens para dentro de casa.

Evandro também demostra preocupação com a estiagem. “Hoje muitos agricultores frearam as contas e estão apreensivos com o aumento de insumos e sem perspectivas de colheitas na próxima safra. “A tendência natural é que os três primeiros meses de 2022 sejam de poucas vendas”, afirma.


INVESTIMENTO NA EDUCAÇÃO E OPORTUNIDADES AOS JOVENS

O empresário Juliano Arnhold, 35 anos, percebe que o município está seguindo a linha certa de crescimento, com avanços significativos na agricultura e na infraestrutura. Na visão dele, ainda existem carências quanto à oportunidades aos mais jovens, que dependem muito da qualificação e chegada de novas empresas. “É preciso também pensar na nossa educação, ali está o futuro do nosso município. Pensar em atividades fora de sala de aula, extracurriculares, para que se trabalhe talentos no esporte, cultura e música, por exemplo”.

Sobre o atual momento do município, Arnhold entende que a vinda dos trabalhadores alavancou a economia, aumentando as oportunidades para aluguel de imóveis e vendas no ramo da alimentação. “O fluxo da cidade aumentou significantemente e o município ganhou com isso. São trabalhadores sérios e focados das mais diversas regiões do país, que precisam no município de espaços de entretenimento e lazer”.


OBRAS MOVIMENTARAM A ECONOMIA DA CIDADE

Na avaliação do gerente de posto de combustíveis, Eliseu dos Santos, a chegada de mais de mil trabalhadores para as obras de duplicação movimentou a economia da cidade. “O comércio de alimentos teve um crescimento significante, restaurantes passaram a vender mais e as casas disponíveis para aluguel foram, na grande parte, alocadas pela Eurovias, para o alojamento de funcionários”.

Santos entende que a economia municipal tende a crescer mais nos próximos três anos, com o andamento das obras e que o município continuará mantendo os investimentos nos mais diversos segmentos. “Nossa proximidade com Lajeado traz benefícios, pois novas empresas podem vir a se instalar aqui. É preciso também manter investimentos na agricultura, para que o jovem fique no campo e mantenha a sucessão familiar”.

Por daiane