Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio,

O Alto Taquari

Jornal da Semana
O Alto Taquari

Presidentes de partidos avaliam cenário a um ano das eleições

, 1 de outubro de 2021 às 9h20

Daqui a um ano os brasileiros votarão em seus candidatos para a Presidência da República, Senado, Câmara Federal, Governo Estadual e Assembleia Legislativa. Em meio a um momento atípico, pós-pandêmico, com fortes impactos na economia internacional, e de tensão política entre esquerda e direita em âmbito federal, os presidentes e líderes dos principais partidos existentes na microrregião expuseram seu posicionamento e as ações desenvolvidas por cada partido em âmbito local.

Arroio do Meio

PDT TEM NOMES PARA TERCEIRA VIA NO RS E BRASIL

O presidente do PDT de Arroio do Meio, Cristian Perin defende uma terceira via com Ciro Gomes. “Que pacifique, organize e una o Brasil. Vivemos um momento de instabilidade econômica, aumento de desemprego e baixos investimentos dos empresários. Precisamos recuperar novamente nossa economia”.

Em âmbito regional, a sigla terá como pré-candidato a deputado estadual, José Scorsatto, coordenador regional do PDT, membro da executiva estadual e do diretório nacional do PDT. No âmbito estadual, está sendo cogitado o nome do presidente do Grêmio, Romildo Bolzan, que já foi presidente estadual do PDT e prefeito da cidade de Osório.

PT APOSTA EM PROPOSTAS EM TORNO DE OPORTUNIDADES

O PT de Arroio do Meio, de acordo com a presidente Carla Schröeder, tem se reunindo, com líderes regionais e estaduais. Entre as ações, manter ativo o diálogo com representantes legislativos, acompanhando os movimentos estaduais e nacionais.

“Vivemos um momento de extrema dificuldade, de crise, com a perda do poder aquisitivo das pessoas, com inflação generalizada, levando à alta dos preços da luz, dos alimentos, dos combustíveis, em que o brasileiro precisa cortar itens básicos do dia a dia porque sua renda não é mais suficiente para sobreviver. A situação fica ainda mais difícil no contexto da pandemia, embora aos poucos, a partir da pressão popular, a garantia da vacinação tenha permitido que a vida das famílias comece a voltar à normalidade”.

Segundo Carla, o PT está construindo propostas para que todos tenham oportunidade de uma vida melhor: emprego, renda, educação básica e profissionalizante, saúde, construindo a esperança de um futuro feliz.

MDB DEFINIRÁ PRÉ-CANDIDATOS EM DEZEMBRO

Na visão da presidente do MDB de Arroio do Meio, Adiles Meyer, a política em âmbito nacional está bastante tumultuada. “Eu particularmente sou favorável a uma política construtiva, sempre com objetivo de melhorar a qualidade de vida do ser humano”.

Em âmbito municipal, a sigla segue organizada e mobilizada para cumprir o papel de uma oposição saudável pelo melhor de Arroio do Meio. Um nome cogitado para presidência da república é da senadora Simone Tebet. No Governo do RS, a candidatura deve ser definida em convenção partidária que será realizada dia 4 dezembro. Entre os nomes estão o ex-governador Ivo Sartori, o presidente da Assembleia Legislativa, Gabriel Souza e o deputado federal Alceu Moreira. Na Região, estão em pré-campanha o atual prefeito de Santa Clara do Sul ,Paulo Kohlrausch e a delegada Márcia Scherer.

PP TERÁ DEFINIÇÕES DEPOIS DE 15 DE OUTUBRO

O presidente do PP de Arroio do Meio, Milton Reckziegel, avalia que em âmbito municipal a política está tranquila, bem conduzida, com bom diálogo interno com a coligação e com o poder Legislativo, onde a oposição tem maioria, mas privilegia a pauta positiva. Também, pontua que a economia consolidada é importante para acertos na gestão pública.

Em âmbito regional, avalia que a sigla irá apoiar um candidato do Vale do Taquari para a Assembleia. Já outras definições em torno das eleições estaduais e federais serão debatidas e alinhadas em convenção regional do PP que ocorre dia 15 de outubro, em Arroio do Meio.

ATUAIS REPRESENTANTES EM DESCRÉDITO

O PTB de Arroio do Meio, através de sua presidente, Fernanda Estefani dos Santos de Figueiredo Noronha, acredita que o descrédito dos atuais representantes eleitos impactará na eleição de 2022. “A pandemia da covid-19 destruiu famílias, matando pessoas próximas e amigos, acabou com a economia, levando empregos de milhões de trabalhadores. Separou aqueles gestores públicos, que souberam lidar com o problema, ficando bem claro, aqueles que só pensam na reeleição, daqueles que, levam em primeiro lugar o bem-estar da população, que são poucos, que podemos acreditar”.

TERCEIRA VIA COM DIÁLOGO E EQUILÍBRIO

O líder do PSDB de Arroio do Meio, Adaílton Cesár Cé, afirma que o povo brasileiro vê o cenário político com incertezas e muita desconfiança. Pois a classe política em Brasília não é vista com bons olhos, havendo muitas dúvidas quanto a sua competência e honestidade. Há milhões de brasileiros que rejeitam a polarização (ou radicalização) entre Bolsonaro e Lula. Consequentemente, novos projetos sobre economia, saúde, educação, meio ambiente, segurança pública, reformas estruturais, etc (agenda positiva), são desprezados, e, sem diálogo, com a emoção prevalecendo sobre a razão, não há perspectivas positivas e esperança para 14 milhões de desempregados e 10 milhões na faixa da pobreza. “Vejo um crescente surgimento e amadurecimento da chamada ‘terceira via’ entre eleitores que acreditam no diálogo, no equilíbrio, sem ódio. Num momento de caos econômico e social, acreditar em salvadores da Pátria é pura ilusão”.

O PSDB definirá, em convenção em novembro, entre os governadores do RS, Eduardo Leite, e de SP, João Dória, o pré-candidato à presidência da república. Lucas Redecker desponta como candidato ao Senado Federal e, apesar de indefinições quanto ao pleito estadual, a prefeita de Pelotas, Paula Mascarenhas se destaca por ser “mulher, jovem e excelente administradora pública”.

FUSÃO DO PSL E DEM

O presidente do PSL Emerson Neves aguarda definições em torno da fusão do partido com o DEM, que está sendo proposta em âmbito federal, para um posicionamento mais específico em torno do trabalho do partido. O ex-presidente do DEM local, Sérgio Cardoso revela que o diretório foi extinto em Arroio do Meio, e que ele deixou a vida política.

TRAVESSEIRO

PSB – O presidente do partido Lasiê Delazeri percebe uma indefinição no atual cenário político, com poucos nomes definidos e muitas articulações ocorrendo. “Existem dois nomes já definidos e muitas cogitações e indefinições pelos partidos, que estão em negociações”. Em âmbito estadual, o PSB anunciou recentemente a pré-candidatura de Beto Albuquerque que, em 2018, concorreu ao Senado. Outros nomes ainda serão definidos em convenções.

Quanto aos nomes que devem concorrer a uma cadeira na Câmara dos Deputados e a Assembleia Legislativa existem mais definições. O diretório municipal deve confirmar o apoio ao pré-candidato à reeleição Heitor Schuch e nomes da região como o ex-prefeito de Venâncio Aires, Giovane Wickert, pré-candidato a deputado estadual.

PTB – Para o presidente do PTB, Jonas André Morari, a disputa presidencial ficará entre a extrema direita representada por Bolsonaro e a extrema esquerda de Lula, sendo difícil uma terceira via emplacar no atual cenário. “O partido deve confirmar o apoio a Bolsonaro, por ser tradicionalmente um partido de direita”. No Estado, o partido não tem nomes definidos para o Piratini. Uma das cogitações é o lançamento da pré-candidatura do prefeito de Bagé, Divaldo Lara.

Outro grupo não descarta o apoio à candidatura do atual ministro Onyx Lorenzoni (DEM) ou Luiz Carlos Heinze (Progressistas). Ainda não há nome definidos ao Senado. Quanto aos deputados, haverá muita mudança pois com a janela partidária muitas siglas receberão filiações. O PTB, por exemplo, já tem confirmada a filiação do deputado federal Marcelo Brum (PSL).

MDB – De acordo com o presidente do partido e prefeito Gilmar Luiz Southier, o nome cotado pelo partido como candidata à presidência é o da senadora Simone Tebet. Ao governo do Estado, o partido deverá apoiar os nomes definidos em convenções. Os cotados são o ex-governador José Ivo Sartori, deputado federal Alceu Moreira e o presidente da Assembleia Legislativa, Gabriel Souza.

Na região, nenhum nome se colocou à disposição para disputa a Câmara do Deputados. Já para a cadeira estadual, foram confirmados os nomes dos pré-candidatos Paulo Cezar Kohlrausch e a delegada aposentada Márcia Scherer. A convenção será realizada em dezembro.

PT – Em Travesseiro, a tendência dos simpatizantes do partido é de apoio aos nomes já confirmados. Na opinião do presidente do partido, José Claudio Dewes, as declarações recentes, os números negativos e a desorganização do governo Bolsonaro irão favorecer a reeleição do ex-presidente Lula, que é líder nas pesquisas.

Na disputa pelo governo do estado, o PT já oficializou a pré-candidatura do deputado estadual Edgar Pretto. No senado, Paulo Paim deve concorrer à reeleição. No município haverá também uma movimentação para a eleição de um representante regional, que tende a ser o ex-prefeito de Taquari, Emanuel Hassen de Jesus, o Maneco. O partido deve apoiar os candidatos a deputado federal que há vários anos direcionam emendas ao município, como é o caso dos deputados Dionilso Marcon e Elvino Bohn Gass.

PROGRESSISTAS – O partido não se manifestou até o fechamento da edição.

CAPITÃO

PSDB – O presidente do partido, Daniel Hunhoff avalia o cenário político brasileiro com uma grande polarização entre esquerda e direita, que tem atrasado o desenvolvimento do Brasil. “Perde-se muito tempo discutindo questões ideológicas e sem utilidade para a população. Acredito que uma candidatura de uma pessoa centrada com capacidade de diálogo e com visão de desenvolvimento é o melhor cenário que podemos querer neste momento”.

Em Capitão, o partido irá apoiar o nome definido pelo partido ao governo do Estado, que tem cotados os nomes do atual vice-governador, Ranolfo Vieira Junior e Lucas Redecker ,atual deputado federal.

O partido também aguarda as disputas prévias e a confiança no nome do governador Eduardo Leite. “Ter representantes do nosso partido reforça e amplia a conquista de recursos. Exemplo disso acontece em nosso município, quando conquistamos as ligações asfálticas por Encantado em 2018 e o acesso até Arroio do Meio”, destaca.

PROGRESSITAS – O presidente do partido Valdir Pederiva entende que o cenário político nacional carrega muitas incertezas sobre o futuro país, pois infelizmente gestores e lideranças que deveriam ser a solução para o progresso, muitas vezes acabam sendo os vilões, atuando de forma corrupta com desvios de dinheiro público, com falta de responsabilidade e tomando decisões erradas. “Estamos entrando em uma grave crise econômica do Brasil, a inflação acelerada faz com que os preços subam constantemente e o poder de aquisição da população seja cada vez menor. Atividades essenciais como a educação, a saúde e a infraestrutura, vêm sofrendo com cortes de investimentos, dificilmente veremos uma melhora significativa a um curto prazo”.

Quanto às eleições de 2022, Pederiva destaca que o partido sempre procurou apoiar candidatos presentes no município, que ajudam com incentivos e verbas, mas os nomes ainda não estão definidos. “Teremos uma dificuldade para conversar com as pessoas e pedir votos para os candidatos que decidirmos apoiar, pois vejo que a população demostra falta de esperança nos políticos, por isso ainda não temos definição sobre quem o Progressistas irá apoiar. Acreditamos que, entre os pré-candidatos, existem pessoas com um pensamento de mudança e com boas intenções para uma política limpa”.

MDB – O presidente do partido Márcio André da Costa percebe uma polarização em torno dos nomes de Jair Bolsonaro e Lula. “Será difícil uma terceira via chegar com força na disputa apesar do empenho do partido em apresentar ou apoiar outros nomes. Internamente, ganha força o nome da senadora do Mato Grosso do Sul, Simone Tebet.

Sobre as eleições no Estado, o partido iniciou encontros regionais para discussões sobre o plano de governo. No Vale do Taquari, o MDB fará uma reunião no dia 15 de outubro. O nome do ex-governador José Ivo Sartori é o mais cogitado, assim como os nomes do deputado federal, Alceu Moreira, e do deputado estadual, Gabriel Souza. “Daí sairá o candidato ao Governo do Estado. Também estão sendo discutidas articulações para formar uma coligação de continuidade ao plano de recuperação fiscal do Estado, iniciado no governo Sartori”, destaca Márcio.

Para deputado federal, nenhum nome do Vale do Taquari se dispõe a concorrer, então a tendência é de que o partido apoie deputados de fora, que sempre destinaram recursos ao município. Nos candidatos a estaduais, os nomes apresentados são da delegada aposentada Márcia Scherer e do prefeito de Santa Clara do Sul, Paulo Cezar Kohlrausch. Outro nome com ligação forte com a região é o do atual secretário de desenvolvimento, Edson Brum. As definições devem ocorrer em convenção marcada para dezembro.

PT – O partido não se manifestou até o fechamento da edição.

PDT – O presidente do partido Daniel Fachini optou por não se manifestar.

POUSO NOVO

PDT – Para o presidente do partido Roges Gheno, o ambiente no Brasil está polarizado entre a direita e esquerda. “Os eleitores estão presos a estes dois nomes e isso é muito ruim para a democracia, pois teremos outros nomes bons se apresentando, que podem ser esquecidos. Mais adiante, com a confirmação de nomes como Eduardo Leite e Ciro Gomes o cenário pode mudar. Por enquanto, existe muitas especulações”.

O diretório municipal avalia ainda os nomes dos pré-candidatos. Além do nome de Ciro Gomes para presidente, existem especulações em torno do nome do presidente do Grêmio, Romildo Bolzan, para o Governo do Estado. O município também deverá apoiar os nomes do deputado federal Pompeo de Mattos e do coordenador regional e ex-prefeito de Arvorezinha, José Scorsatto, que é pré-candidato a deputado estadual.

PSB – De acordo com o presidente Natalício Berlamindo, o partido tem se reunido com frequência para debater a política nacional, mas para evitar conflitos em um ambiente nacional polarizado, prefere não se posicionar. “Não vamos pressionar nossos simpatizantes e filiados. Temos que respeitar a liberdade de escolha e a democracia. Vamos deixar as pessoas livres para escolher os melhores candidatos”.

Berlamindo também entende que há uma divisão de votos muito grande entre Bolsonaro e Lula, porém os dois nomes possuem problemas e não apresentam nenhuma inovação. “Com estas opções, a perspectiva de um cenário melhor é inexistente. Muitos estão aguardando o surgimento de um novo nome com ideias diferentes que possam ser convincentes para solucionar os problemas do país”, entende.

PTB – Para o presidente do partido e vereador Ademir Ferrari, o atual cenário político do país está conturbado, em virtude das últimas declarações e atitudes do presidente da República e algumas pautas essenciais estão sendo deixadas de lado.

– Em âmbito municipal, o partido aguarda as decisões do diretório estadual para que sejam definidos os nomes para a disputa tanto para governador como para deputados. “O partido está se organizando. Tivemos a saída do vice-governador Ranolfo e alguns deputados como o Santini. As declarações do presidente nacional também atrapalharam a organização e algumas definições do partido”.

MARQUES DE SOUZA

PTB – O vereador Wilkyns Gross, que responde pela presidência do partido, analisa que a disputa presidencial ficará entre a extrema direita representada por Bolsonaro e a extrema esquerda, representada por Lula, pelo menos até o momento, em análise ao cenário federal. “O partido, por ser de direita e defensor do patriotismo, bons costumes, família e fé está ao lado de Bolsonaro”.

No Estado, o partido não tem nomes definidos para o Piratini.

A redação procurou os presidentes do Republicanos, PDT, PT e MDB, porém os diretórios não se manifestaram até o fechamento da edição. O presidente do Progressistas, Ricardo Kich preferiu não se manifestar.

Por daiane