Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio,

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Geral

Família resgata história de casarão centenário em São Miguel

, 7 de outubro de 2021 às 16h45

Desde abril de 2017 a família Biasibetti realiza melhorias e intervenções em um casarão antigo, construído em 1919, na localidade de São Miguel, Travesseiro. A vontade de restaurar o imóvel centenário, que preserva características da colonização italiana no Rio Grande do Sul, foi ideia do porto-alegrense Vanderlan Frank Carvalho, que se encantou pelo local na primeira vez que o visitou. Vanderlan é marido da jornalista Julia Machado, bisneta de Jacintho e Joanna Biasibetti, que construíram a residência no início do século passado.

Apaixonado pela marcenaria, Frank encantou-se com o casarão e decidiu adquirir a propriedade para torná-la um local de lazer para a família, que já está na quinta geração. Ele realizou todo o trabalho de restauro e manutenção com ajuda de Pedro Antônio Biasibetti. Muitos objetos e mobília originais foram resgatados e estão mantidos na casa, que conta com o envolvimento de toda a família, tanto na memória como na preservação.

De dois anos para cá, muitas intervenções já foram realizadas. Foram consertados o telhado, o forro de madeira do beiral, feita a substituição de três pilares de fundação, pintura e troca dos vidros quebrados nas aberturas externas. Integram as melhorias, a substituição da rede elétrica e instalação de rede hidráulica, implantação de dois banheiros e restauração do forno de tijolos. “A restauração é lenta, uma vez que temos disponibilidade apenas nos finais de semana livres e em razão da idade da estrutura, deverá demandar manutenção constante”, comenta Julia.

O documento mais antigo que a família possui atesta que a compra da área onde está o casarão foi feita pelo bisavô de Julia, Jacintho Biasibetti no ano de 1919. Por isso é bem provável que a casa tenha sido construída naquele ou no ano seguinte. Jacintho se casou com Joanna em 1921, e naquela casa tiveram os filhos Egídio, Ricieri e Devílio. Este, seguiu morando na propriedade com sua esposa, Cecília, com quem teve 12 filhos, um deles o pai de Júlia, Pedro Antônio Biasibetti.

Devílio e Cecília moraram na casa em São Miguel junto com o filho Deonir até o ano de 1994, quando então os três se mudaram para o centro de Travesseiro. A atividade econômica da família sempre teve como base a agricultura de subsistência.

A residência possui quatro dormitórios, duas salas, cozinha e despensa. Durante a restauração, um quinto quarto foi convertido em banheiro, o que não havia no projeto original. Na área externa ainda há um pequeno galinheiro e um paiol de madeira.

PROJEÇÃO TURÍSTICA

Julia e Vanderlan, assim como toda a família envolvida na restauração da casa, são entusiastas do turismo. Ambos entendem que o local, além de ser refúgio para a família, pode ser um potencial ponto turístico e atrair visitantes reforçando um roteiro já existente no município. Com o tempo, o projeto é de abrir o espaço para a visitação com o agendamento prévio para pessoas que queiram conhecer a história do local, o mobiliário e utensílios da época, e experimentar também atividades e comidas típicas do interior.

A propriedade possui ainda um belo cenário para ensaios fotográficos e produções áudiovisuais. A família também entende ser fundamental para as próximas gerações conhecer e valorizar as origens. “A restauração da casa contribuiu para aproximar ainda mais a família e proporcionar momentos de confraternização e lembrança de todos. Quando criança, eu ainda tive a oportunidade de vivenciar momentos no casarão em visita aos ‘nonos’, mas tenho primos que já nasceram após a desativação do local e que, agora, e mais ainda depois da pandemia, conseguirão aproveitar e construir lembranças. E o que é ainda mais especial para nós é que meu filho, Teodoro, de dois anos, adora e se diverte muito quando está por lá”, finaliza Julia.

PROJETO PILOTO

Em Travesseiro, além de iniciativas familiares voltadas ao turismo, um grupo de empresários e proprietários de áreas turísticas, em parceria com a secretaria de Educação, Cultura e Desporto e Turismo, realiza, desde 2019, um levantamento e cursos voltados para a criação de um roteiro turístico.

O grupo recebeu treinamentos e cursos gratuitos fornecidos pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar-RS) e Emater/RS-Ascar sob orientação da turismóloga, Claudiana de Castro. A elaboração do roteiro e o lançamento do projeto piloto “Travessias – Roteiro de Cascatas e Casarões” ocorre nesta sexta-feira, dia 8.

O passeio restrito a convidados do poder público e imprensa contará com visitas a propriedades rurais, casarões e um resgate histórico. Será possível também saborear a culinária alemã e italiana. O trabalho será apresentado aos convidados e avaliado ao final do roteiro.

Por daiane

Casarão foi construído em 1919 pela família de Jacintho Biasibetti. Residência possui quatro dormitórios, duas salas, cozinha e despensa. Durante a restauração, um quinto quarto foi convertido em banheiro, o que não constava no projeto original