Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio,

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Meio Ambiente

Emater auxilia no monitoramento de palometas

, 9 de agosto de 2021 às 8h50

O escritório da Emater/RS-Ascar de Arroio do Meio está auxiliando na comunicação de ocorrência de palometas e piranhas na bacia do rio Jacuí. O trabalho de monitoramento, que é coordenado pelo Ibama e a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs), visa identificar os locais onde estas espécies invasoras estão presentes. Para isso, pescadores, amadores, ou profissionais-artesanais, que pescarem palometas ou piranhas e que quiserem contribuir com a iniciativa podem se dirigir até a Emater, onde o profissional fará a comunicação por meio de formulário on-line.

Conforme o engenheiro agrônomo, André Michel Müller, a parceria com a Emater visa facilitar que os pescadores, que são as pessoas mais propícias a perceber a presença destas espécies e que nem sempre têm acesso ao preenchimento do formulário, façam o comunicado voluntariamente ao Ibama. A comunicação não compromete o pescador, observa André. Ele também informa que é interessante o pescador que encontrar um destes peixes, memorizar o ponto do rio ou arroio em que o pescou, para facilitar a identificação das coordenadas geográficas. Quem, por acaso tiver pescado, e tem um exemplar do peixe congelado, pode levá-lo até a Emater, que o encaminhará para o Ibama para análise.

Até o momento, não há registros oficiais da ocorrência de palometas e piranhas nas águas que banham Arroio do Meio. Contudo, sua presença no município e região não é descartada, visto que há vários registros no Vale do Rio Pardo. A palometa e a piranha, no Rio Grande do Sul, ocorrem naturalmente apenas na bacia do rio Uruguai, sendo consideradas invasoras nas demais bacias. São carnívoras e se alimentam de outros peixes, colocando em risco a fauna natural de rios e arroios.

Engajamento

Dezesseis municípios que integram a Emater Regional, com sede em Lajeado, dão apoio ao trabalho do Ibama, com o preenchimento do formulário on-line de comunicação voluntária da localização dos peixes invasores. São eles: Taquari, Bom Retiro do Sul, Cruzeiro do Sul, Estrela, Lajeado, Arroio do Meio, Colinas, Roca Sales, Encantado, Muçum, Marques de Souza, Feliz, Bom Princípio, São Sebastião do Caí, Montenegro e São Vendelino.

Por daiane

No Rio Grande do Sul, palometas e piranhas ocorrem naturalmente apenas no bacia do rio Uruguai, sendo consideradas invasoras nas demais