Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio,

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Pouso Novo

Um Pouso Novo no alto da serra

, 30 de abril de 2021 às 9h50

Criado no dia 29 de abril de 1988 e instalado no dia 1º de janeiro de 1989, o município de Pouso Novo, emancipado de Arroio do Meio, completou nesta quinta-feira, dia 29, o seu 33º aniversário de emancipação. Com uma população que se aproxima de 2 mil habitantes e uma área de 110 km², apresenta como principais características, a altitude acompanhada de clima ameno e de muita cerração, principalmente nos meses de inverno. Mesmo tendo um relevo bastante montanhoso, o município faz do setor primário a sua principal fonte de arrecadação. Suas famílias são, na maioria, descendentes italianos e de religião católica, que têm como padroeiro, Santo Antônio.

A colonização e povoamento de Pouso Novo teria iniciado por volta de 1880. Seu nome tem origem em uma pousada utilizada por tropeiros e viajantes, que ocupavam o lugar para o seu descanso, sendo recebidos pela hospitalidade de João de Souza Leite, também conhecido por João Brasileiro. Ele foi o primeiro morador do povoado, que construiu uma casinha, onde atualmente está construída a Igreja Matriz. Consta que João Brasileiro, identificado como um homem prestativo e de muita coragem, teria falecido em 1942, quando tinha 92 anos. Seu corpo foi sepultado no Cemitério Católico, onde um jazigo foi construído pelo município, como homenagem póstuma ao seu primeiro morador, inaugurado em 20 de abril de 1999, com a bênção do frei Osmar Mallmann.

Em 1937, a comunidade foi elevada para distrito. Antes de ser denominado de Pouso Novo, o local era chamado de Pousada Nova. Os primeiros habitantes, na maioria imigrantes italianos, chegaram a partir de 1910, destacando as famílias Pretto, Scheuermann, Paludo, Cella e Zanella, que iniciaram a formação da comunidade através da construção de escolas e igrejas.

O município, que se caracteriza pela fé e a religiosidade de seu povo, também expressa forte sentimento pela tradição gauchesca. É formado por 17 comunidades, que se identificam com nomes de seus primeiros moradores, traços da natureza, religiosidade, animais ferozes e fatos que marcaram a vida dos primeiros colonizadores. Caracteriza-se pelas suas belezas naturais, com destaque para a Gruta de Nossa Senhora de Lourdes, em Forqueta Alta, além de quedas de água que ainda não estão sendo exploradas turisticamente. Mudanças radicais na vida dos pousonovenses aconteceram na década de 1960, com a construção da BR-386. A história do município passou por diversas fases. O trabalho braçal e os sistemas de transporte foram perdendo lugar com o passar do tempo, sendo substituídos por mecanismos mais modernos.

Por Alan Dick