Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio,

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Pandemia

Autoridades buscam plano emergencial para UTI do Hospital São José

, 25 de fevereiro de 2021 às 17h30

Com os casos de covid-19 aumentando consideravelmente em Arroio do Meio e região, o município tenta somar forças para acelerar o andamento da obra da UTI no Hospital São José. O prefeito Danilo Bruxel e a vice, Adriana Meneghini Lermen receberam, na tarde de hoje, diversas autoridades no gabinete, para discutir ações emergenciais na área da saúde, inclusive a possibilidade de se agilizar as obras da UTI do Hospital São José, para ampliar a capacidade de internação hospital de pacientes com sintomas de covid-19.

O encontro contou com a participação do secretário municipal da Saúde Gustavo Kasper, do secretário municipal de Administração Áurio Scherer, do presidente da Associação Comercial, Industrial e Serviços (Acisam) de Arroio do Meio, Adailton Cé e a Comissão Arroio do Meio Pró-UTI e gestores do hospital, além dos prefeitos de Travesseiro, Gilmar Southier e de Capitão, Jari Hunhoff, que têm o hospital de Arroio do Meio como referência para o atendimento das suas comunidades.

Kasper adiantou que estão sendo tomadas diversas atitudes para evitar a propagação do vírus, mas salientou que o sistema médico hospitalar beira um colapso, sendo necessárias atitudes para melhorar esta situação.

O presidente da comissão Arroio do Meio Pró-UTI, Joner Kern lembrou que um morador de Arroio do Meio precisou de UTI e só conseguiu vaga em Bagé, mas acabou falecendo. Salientou que a etapa de construção, como fechamento de paredes, ar condicionado e gases da UTI já estaria contratada. Porém, se não for ampliada a carga horária de trabalho da equipe de construção, este processo deve demorar, pelo menos, 45 dias.

Aldir De Bona, engenheiro civil da equipe técnica explicou que atualmente a entidade possui recursos para a conclusão da parte física. Porém, são necessários outros equipamentos que vão demandar recursos extras. Salientou ainda que o prazo para a conclusão das obras poderia ser reduzido para 20 dias se fosse contratado mais um turno de trabalho junto à empresa responsável pelas obras, o que também vai gerar custos extras. A estimativa inicial é em torno de R$ 600 mil para a conclusão da parte estrutural, sem contar mobiliário e equipamentos, que devem somar mais de R$ 1,5 milhão.

Questionado sobre os valores arrecadados, Joner salientou que a campanha iniciou com o repasse de R$ 100 mil por parte do Poder Legislativo e R$ 400 mil do Executivo, além de R$ 360 mil de doações, sendo repassados mais um milhão por parte do Município, somando R$ 1,5 milhão do Poder Público. Salientou que muitos materiais, inclusive o elevador, já foram adquiridos, sendo mais necessário o pagamento de mão de obra. Reforçou que as campanhas de arrecadação continuam e, tanto a comunidade como as empresas, podem continuar colaborando.

Áurio Scherer reforçou a necessidade de se agilizar o processo e criar um plano emergencial buscando recursos extras juntos as empresas e municípios vizinhos para a conclusão do hospital, evitando que se percam mais vidas.

Adailton ofereceu de forma temporária o salão da Acisam para o atendimento emergencial de pacientes com covid-19. O prefeito Danilo Bruxel agradeceu a oferta e disse que fará a solicitação ao Estado para que seja montada uma estrutura móvel de UTIs junto ao salão, enquanto não seja concluída a estrutura do hospital.

O prefeito de Travesseiro já confirmou que vai apoiar a iniciativa e destinar os recursos possíveis, dentro da lei, o que foi endossado pelo prefeito de Capitão, que também garantiu seu apoio dentro do possível, mas salientou que, apesar de serem antipáticas, os prefeitos precisam tomar medidas mais drásticas em relação a circulação de pessoas.

No final da reunião, todos se comprometeram em buscar recursos junto as empresas e comunidade, além do Poder Público, a fim de agilizar as obras e utilizar o novo espaço para o combate a pandemia.

Por daiane