Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio,

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Escola São Caetano - 110 anos

Uma escola e vários projetos pedagógicos que complementam a formação

, 3 de julho de 2020 às 10h59

Nem só de conteúdo didático se faz o dia a dia da Escola São Caetano. No decorrer deste mais de um século de história, a construção de valores sólidos e a formação do aluno como cidadão sempre foram uma preocupação constante. Neste sentido, muitos projetos foram e continuam sendo desenvolvidos para ampliar o horizonte de alunos e de toda a comunidade escolar.

Entre os que foram executados ou continuam em execução destaque para o de Arborização dos arredores da escola, o Conviver, o da Sacola Permanente, o de Leitura e o mais jovem de todos, o Chafrulever.

Todos os anos a escola escolhe uma temática de trabalho que é desenvolvida ao longo do ano letivo por todas as turmas. Para 2020 o tema escolhido é o Sol. O astro-rei, desde os tempos remotos é reverenciado como doador de vida. É progressivo, está sempre ativo, é dinâmico e impulsiona para frente e ao crescimento. Partindo desta premissa, a escola faz diversas abordagens, desde a importância e benefícios da sua luz, como o sistema solar, a distância da Terra, as estações do ano, as particularidades do astro-rei, doenças que o sol pode ser benéfico ou o causador. A temática também pode ser abordada no campo da produção cultural, com músicas, textos e poesias que enaltecem o sol. A grande reflexão que a escola propõe para os alunos é “que o estudo seja o seu sol” e, para os professores, “que sejamos luz mesmo quando os dias estiverem nublados”.

As turmas do 5º ao 9º anos, formadas por pré-adolescentes e adolescentes, recebem uma atenção especial por meio do Projeto Conviver. As ações objetivam oferecer informações, orientação e apoio aos alunos, visto que são fases cercadas por mudanças, físicas e emocionais, e também riscos. Cada vez mais cercados pela tecnologia, os jovens adolescentes podem estar expostos a diversas situações conflituosas e inseguras e a escola quer ser uma referência para fortalecer e contribuir para a melhor formação enquanto indivíduos.

Palestras que abordam a saúde, a sexualidade, a prevenção ao uso de substâncias que causam vício e também a situações de violência e abuso, são recorrentes. Diálogos sobre bullying, o respeito à vida e às diferenças, a empatia e reflexões sobre relacionamentos, frustrações e limites, bem como questões próprias da adolescência, são apenas algumas das ferramentas que a escola utiliza para auxiliar e orientar seus alunos.

A preparação ao mercado de trabalho também é uma das frentes do projeto Conviver. As exigências das empresas, incluindo visita das turmas ao ambiente laboral, e a projeção de estratégias que auxiliem os alunos na busca pelo primeiro emprego, são ações desenvolvidas pela escola.


O prazer da leitura

O projeto de leitura, intitulado “Ler com prazer é uma atitude inteligente”, visa intensificar na comunidade escolar o gosto pela leitura, tornando-a uma prática prazerosa e constante nas atividades cotidianas. Desenvolvido desde 2005, consiste em uma sessão semanal de 30 minutos, em dias alternados e nos dois turnos. Neste período, alunos, professores e funcionários se dedicam à leitura. Além disso, a prática é estimulada de outras formas, com murais de notícias, poesias, produções artísticas de alunos, pais, professores e funcionários, contação de histórias, participação em concursos literários, produção de histórias em quadrinhos, conversas com escritores da região, oficinas de criação literária, rodas de leitura, entre outras atividades.


Educação e consciência ambiental

A atenção para com o meio ambiente e o incentivo a ações de conscientização para o melhor aproveitamento de recursos naturais têm sido uma constante na escola, que há anos trabalha a educação ambiental de forma integrada com as demais áreas de conhecimento. Por meio do projeto Arborização desenvolvido pela escola, os frutos são colhidos por todo o bairro. Em 14 anos, o projeto já arborizou parte da Rua Presidente Vargas, parte da área verde do Loteamento Nascer do Sol e a Área de Lazer da escola. Um trabalho que, além de trazer orgulho para alunos, professores e funcionários, proporciona embelezamento, purificação do ar e o aumento da interação entre fauna e flora dos ambientes em questão. Através do plantio de árvores frutíferas a escola também quer promover a conscientização da importância de uma alimentação saudável. Além disso, como no Bairro São Caetano há constantemente a presença de “vento norte”, a ampliação do plantio de árvores proporciona barreiras naturais que reduzem o seu impacto.

O reaproveitamento da água da chuva e a reciclagem de materiais são uma realidade. O projeto Sustentabilidade, desenvolvido desde o ano passado, vai além do pátio da escola e envolve toda a comunidade. A Escola São Caetano se tornou um Ponto de Coleta Voluntária de embalagens plásticas, que antes iam para o lixo comum e agora têm uma destinação adequada. O projeto é sucesso entre alunos e famílias.


Chafrulever o que vai ser?

Chá, frutas, legumes e verduras podem não ser tão interessantes para as crianças. Mas, quando se tornam um projeto da escola, que estimula a alimentação saudável e equilibrada, tudo muda. É assim com o “Chafrulever, o que vai ser?”, desenvolvido pela Escola São Caetano desde o ano passado, com o objetivo de auxiliar na aprendizagem e na sistematização do conhecimento para os alunos do 1º ao 4º ano. Cada turma desenvolveu atividades específicas, algumas com a participação das famílias e visitas externas.

As turmas de 1º ano, lideradas pelas professoras Silvana Teresinha Siebenborn Lenhard e Rosane de Siqueira, trabalharam o uso de chás. O trabalho incluiu a pesquisa com a família, o estudo do chá de alecrim, a pesquisa sobre o chá de camomila e a visita a uma horta deste chá, a observação ao chá de hortelã trazido por um aluno, o plantio de vários tipos de chá e o envio de chá de anis estrelado para as famílias degustarem.

As turmas de 2º ano, sob coordenação das professoras Vânia Drebes e Gabriela Von Muhlen, desenvolveram o tema das frutas, para o qual os pais participaram no processo de pesquisa. Os pequenos descobriram os benefícios das frutas para a saúde e, após pesquisarem com as famílias, apresentaram os dados para os colegas por meio de cartazes e fantoches e também degustaram as frutas e receitas preparadas com elas. Depois digitaram sua pesquisa nas aulas de Informática. Assim, de forma coletiva, criaram um livro que traz muitas informações importantes como: o nome científico, o local de origem, a época de plantio, o preço do quilo, as vitaminas e os benefícios para a saúde das frutas pesquisadas. Para completar o estudo sobre as frutas, ainda tiveram uma palestra com a nutricionista Cláudia da Silveira Rohr sobre a importância de incluir as frutas na nossa dieta diária.

Já as turmas de 3º ano, lideradas pelas professoras Cátia Inês de Borba e Raquel Breitenbach, aprenderam a reconhecer os legumes e verduras e suas variedades, bem como a importância de seu consumo para a saúde. Como atividade externa, os alunos foram para Forqueta conhecer a Agroecologia Ferrari, onde foram acolhidos por Márcia Ferrari. Lá puderam colher e degustar algumas hortaliças.

A turma do 3° ano A, sob a coordenação da professora Cátia, recebu o desafio de confeccionar um Fantoche-legume juntamente com suas famílias. Cada aluno pôde escolher um legume para representar, montando o fantoche e fazendo uma pesquisa sobre o mesmo. Os fantoches-legumes foram apresentados com as pesquisas para a turma. Com os fantoches foram criados teatros e produções escritas, unindo trabalho, diversão e conhecimento.

A turma do 3º A também fez uma pesquisa com suas famílias sobre os legumes consumidos na sua casa e na escola foi montada uma tabela e construído um gráfico representando os resultados. Os alunos e a professora Cátia também prepararam um bolo de cenoura.

Os alunos do 4º ano, sob coordenação da professora Marciana Corbellini, estudaram as agroindústrias de Arroio do Meio e pesquisaram quais produtos têm origem no município. Depois, cada um teve que montar um folder explicativo demonstrativo. No material deveria conter no mínimo três chás, três frutas e três verduras produzidas em Arroio do Meio e comercializadas na região, imagens, seus benefícios e malefícios, o nome e endereço da agroindústria que cultiva e alguma curiosidade. Como culminância do trabalho, os alunos foram visitar as Especialidades Vandréa, na Cascalheira.

Por Alan Dick