Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio,

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Polícia

Susepe forma 17 agentes cinófilos

, 21 de novembro de 2012 às 12h30

Arroio do Meio – Na última terça-feira, 16 agentes penitenciários de todo o Estado e um soldado da Brigada Militar, receberam seus certificados de formação em um curso de Cinofilia, realizado pela Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe), em Arroio do Meio.

O curso, pioneiro no serviço penitenciário, foi ministrado pelo administrador da casa prisional arroio-meense e instrutor de Cinofilia, Eduardo Francisco da Silva, e pelo agente penitenciário Sérgio Tojal, com o apoio de donos de canis dos municípios de Teutônia e Encantado. No total, foram cinco módulos de 30 horas cada, que iniciaram em março e foram concluídos em outubro, quando foi realizada prova de certificação.

Conforme Eduardo, a formação permite ao servidor adquirir conhecimento sobre as potencialidades dos cães. A iniciativa servirá de apoio à rotina de trabalho na utilização de cães em casas prisionais destinados ao suporte na segurança – revistas, escoltas, contenção de distúrbio e buscas de foragidos. “O cachorro treinado passa a ser uma arma não letal. Diferentemente do percursor de uma arma de fogo, quando acionado, a munição não volta mais”.

Além disso, o administrador do presídio reforça que no futuro os cães serão utilizados nas revistas às visitas pessoais aliados aos detectores de metais, evitando situações constrangedoras, preservando a dignidade das pessoas.

De acordo com o vice-diretor da escola penitenciária, Adriano Fernandes Froes, a continuidade do curso é uma tendência. “Grande parte dos presídios tem cães. Quanto mais servidores estiveram especializados, menos dependemos do suporte de outros órgãos de segurança”, concluiu.

Por daiane

Agentes exploram os instintos dos cães e utilizam seu efeito persuasivo para gerar impacto psicológico sobre os indivíduos