Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio,

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Economia

Ex-funcionários da Calçados Majolo devem cadastrar conta

Entre os dias 17 de outubro e 30 de novembro, a agência do Banrisul de Arroio do Meio estará realizando o atendimento aos 1010 credores trabalhistas da massa falida da Calçados Majolo

, 15 de outubro de 2011 às 22h08

Entre os dias 17 de outubro e 30 de novembro, a agência do Banrisul de Arroio do Meio estará realizando o atendimento aos 1010 credores trabalhistas da massa falida da Calçados Majolo. Na ocasião será feita a abertura de contas especiais para o recebimento do crédito judicial da extinta empresa. A data do depósito de parte dos créditos e a porcentagem do valor da primeira parcela não foram definidas.

A evolução desta parte circunstancial do processo judicial foi tratada em reunião realizada no gabinete do Executivo de Arroio do Meio na manhã da quarta- feira, 11 de outubro. Na ocasião, o gerente do Banrisul local, Paulo Berti, esclareceu à comissão de ex-funcionários e à Administração Municipal que todas as medidas levam em consideração a segurança pública, já que possivelmente um valor aproximado a R$ 9 milhões circulará pela cidade até o final do ano.

O cadastro, sem taxas de abertura e manutenção, permitirá que o credor saque da conta especial o valor total ou parcial progressivo, bem como dá a possibilidade de comprar nos 86 estabelecimentos credenciados pelo Banricompras no município. Outras movimentações financeiras terão o custo estipulado pelas taxas do Banco Central. Os credores cujo queiram abrir a conta em outras cidades deverão apresentar a nota oficial à agência do Banrisul preterida.

Em razão do pouco espaço físico da agência, o gerente solicita que o cronograma de datas seja respeitado, assim como pede a paciência durante o atendimento pois, segundo ele, a abertura de conta dura de 10 a 15 minutos. São estimados mais de 50 atendimentos diários. Dos 1010 credores trabalhistas, 232 já possuem conta no Banrisul.

A comissão dos ex-funcionários da extinta empresa ainda tenta articular juntamente com os administradores judiciais da massa falida e atuais empregadores um atendimento diferenciado a grupos expressivos de trabalhadores que atuam em determinadas fábricas. A coletividade, segundo eles, não prejudicaria as linhas de produção. Conforme a comissão, pelo menos 400 credores ainda estariam no ramo calçadista. A definição da data do depósito de parte dos créditos e o valor da primeira parcela será estipulada pelos administradores judiciais da massa falida e pelo Poder Judiciário da Comarca, que devem viabilizar o máximo de dinheiro possível legalmente. As 1010 contas deverão receber a verba simultaneamente.

No fim da reunião, o prefeito Sidnei Eckert elogiou a forma civilizada com que a comitiva conduziu as reivindicações dos seus direitos e evidenciou a evolução rápida do processo “a abertura de contas especiais indica que o depósito virá em breve”. Em decorrência da ansiedade gerada em torno das circunstâncias, Eckert recomendou que sejam tomadas precauções de segurança nesta época, pois a comunidade estará vulnerável à ação da criminalidade.

A comitiva esteve representada pelo presidente do Sindicato dos Sapateiros, Gerson Waldir Brackmann, os ex-funcionários Irani Pereira Marques, Elisane Sandra Bruxel, Luciana Monteiro Gobi e Gilmar Pareci. Ainda participaram da reunião o vice-prefeito Klaus Werner Schnack e a secretária da Indústria, Comércio e Turismo, Jaqueline Kuhn.

Confira o cronograma para abertura de contas:

 

Por Jaqueline Manica