Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio,

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Coluna do Alício

Comitê da enchente

19 de agosto de 2011 às 0h59

Nesta semana abordamos assuntos que têm preocupados a todos recentemente. As enchentes e enxurradas que atingem o Vale do Taquari nos últimos tempos, principalmente o período que antecede estes eventos. Basta meio dia de chuvas e a preocupação toma conta de todos. O desencontro de informações tem levados cidadãos a ficarem em dúvidas se realmente podem ser atingidos pelas águas. A situação levou um grupo de cidadãos, liderados pelo radialista Marco Antônio Reynaldo, a coordenar uma reunião que ocorreu nesta semana em Marques de Souza.

Preocupados por este período pré-inundação, a ideia é formar, inicialmente, uma central de dados que indique a quantidade de chuva e o nível dos rios Fão, Forqueta e Taquari e seus afluentes, e que esteja disponível na web para todos os interessados.

Municípios da região representados por prefeitos, vereadores, secretários, coordenadores da Defesa Civil, Certel Energia e líderes discutiram o assunto no encontro realizado na Câmara de Vereadores. “Existe a necessidade de se criar um órgão regional que se baseie em informações concretas vindas de pontos estratégicos destes rios e afluentes”, justificou Marco Antônio.

Entre as sugestões apresentadas, o ex-prefeito de Colinas, Edelbert Jasper, disse que para que haja um monitoramento confiável é necessário investimento em miniestações metereológicas e réguas de medição, com informações que seriam repassadas para um site onde toda a comunidade teria acesso livre. De acordo com ele, a solução é encaminhar um projeto para a Defesa Civil nacional, que disponibiliza recursos para este fim.

O gerente de implantação da geração de energia da Certel, Carlos Jachymovski, colocou a empresa à disposição, informando o nível de chuvas na Usina Salto do Forqueta em intervalos menores de tempo. Coordenador da Defesa Civil regional, o major Vinícius Renner, conclamou a participação de mais pessoas. “Temos que montar um sistema de alerta mais eficaz, mas para isso deve haver maior participação das comunidades, mais municípios envolvidos”. Nos próximos dias, deverá ocorrer um novo encontro. “A ideia está lançada e a partir da criação deste grupo de trabalho devemos atuar na forma de prevenção e não somente no período pós-enchente”, avaliou Marco Antônio. O objetivo é envolver todos os municípios da região. Uma boa ideia, afinal, enchente é inevitável, mas pode ser melhor enfrentada se houver planejamento.

Por Jaqueline Manica