Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 07 de Março de 2021

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Agricultura

Capitão é o maior produtor de suínos para abate no Vale do Taquari

, 19 de fevereiro de 2021 às 14h41

Com 134.945 suínos para abate nos últimos 12 meses, Capitão está na liderança regional em animais destinados para o abate. Compõe ainda as primeiras colocações os municípios de Teutônia, Arroio do Meio, Anta Gorda e Estrela.
No Estado, de acordo com a Associação dos Criadores de Suínos do Rio Grande do Sul (Acsurs), a produção de suínos para abate cresceu 5,63% em comparação com o ano anterior. Na soma dos 311 municípios com registro nessa atividade, foram 9.951.769 animais destinados ao abate.
Aparecem entre os 10 primeiros colocados as cidades de Palmitinho, com 221.120 suínos abatidos; Nova Candelária, com 202.539 animais; Rondinha, com 196.786 animais; Boa Vista do Buricá, com 181.375 animais; Aratiba, 180.092 animais; Três Passos, 176.709 animais; Santo Cristo, 175.015 animais; Camargo, 165.436 animais; e Casca, com 139.980 animais.
O Vale do Taquari segue no topo da suinocultura gaúcha com 1.901.233 animais, representando 19,10% do fornecimento total ao estado. Na sequência, entre os primeiros colocados, aparecem a Fronteira Noroeste, com 13,10% da produção; Médio Alto Uruguai, com 13,03%; Norte, com 9,44%; e Celeiro, com 8,69% da produção.
O levantamento é realizado pela Acsurs, com base nas informações fornecidas pela Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr)/Seção de Epidemiologia e Estatística – SEE, através da Guia de Trânsito Animal (GTA). O material está disponível para download no www.acsurs.com.br – guia Suinocultura – Produção e abate.

INCENTIVAR OS PRODUTORES

Para o secretário da Agricultura, Márcio André da Costa, o principal desafio do município e da pasta está em manter os produtores na atividade. Um dos principais problemas é a destinação do dejeto líquido que pode ser armazenado em tanques, destinado para lavouras ou transformado em composto orgânico reduzindo os danos ambientais.
Márcio reforça que a secretaria sempre estará de portas abertas e que pretende se aproximas de produtores e firmar parcerias com os integradores para que o setor primário dentro do município continue fortalecido, respondendo por mais de 93% da arrecadação.
Para isso o município vem mantendo e criando uma série de incentivos com o objetivo de manter os jovens na propriedade e o setor primário fortalecido. Em Capitão, a secretaria oferece auxílios como hora máquina e o pagamento de terraplanagens, ora feito com maquinário próprio ou terceirizado. “Hoje com altos investimentos dos produtores e cooperativas é essencial que o município garanta uma política de incentivos, reduzindo custos as empresas e aumentando o retorno em ICMS”, destaca.
Atualmente o produtor que desejar investir na propriedade, ou reativar alguma estrutura seja ela na suinocultura ou avicultura, a secretaria poderá enquadrar o investidor ao Programa de Desenvolvimento Sustentável (Prodesc) que garante um retorno de até 50% do ICMS gerado ao produtor em um período de dez anos.

NÚMEROS DA SUINOCULTURA

7 produtores – UPL somando
mais de 5 mil matrizes
6 produtores – Creche de suínos com mais de 13 mil animais alojados
77 produtores – Terminação de suínos
somando mais de 47 mil animais alojados
134.945 suínos para
abate nos últimos 12 meses

Por daiane