Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 27 de Janeiro de 2021

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Educação

Período de alívio e, ao mesmo tempo, incertezas

, 5 de junho de 2020 às 10h35

Bianca Krämer, de seis anos e Leonardo Krämer, 13 anos, estudam na Emef São Caetano, no primeiro e no oitavo ano, respectivamente. “Estou gostando de fazer os trabalhos em casa. No início não gostava muito. Mas agora a mãe me ensinou a escrever no computador. Ela fala as letras e eu digito e acho isso muito legal”, relata Bianca, que está aprendendo a escrever. O que ela mais sente falta da escola é de brincar e ver os colegas. Leonardo diz que também está gostando das aulas remotas, mas sente falta de reencontrar os amigos.

A mãe, Solange Fussinger Krämer avalia que são tempos muito difíceis e que estudar em casa está sendo um desafio e tanto para muitas pessoas. “Principalmente para aqueles pais que estão trabalhando normalmente e, de noite, precisam auxiliar os filhos com os trabalhos de aula. Com certeza, em casa nossos filhos estão seguros do vírus, mas não sei até onde se pode dizer que isso está fazendo bem a eles”, pondera. A mãe percebe que, nesta situação de quarentena e aulas em casa, os que mais sentem falta de ir à escola são os pequenos, pois precisam muito desse contato com outras crianças da mesma idade que eles. “Eu, assim como muitas outras pessoas, tive que largar meu emprego para ficar com meus filhos em casa. É muito bom as crianças terem algo ligado à escola para fazerem neste momento. Mas, para muitos pais, está sendo bem difícil. Sobre este ano letivo, é difícil de saber o que seria o melhor a fazer, pois, na minha opinião, aquelas crianças que já apresentavam um pouco mais de dificuldade na aula presencial, dificilmente vão conseguir acompanhar os demais na matéria. E os pais nem sempre vão conseguir ajudar os filhos com isso em casa. Como minha filha está no primeiro ano, ela passaria para o segundo ano sabendo ler. Mas, assim, sem o acompanhamento de um professor, vai ser muito difícil isso acontecer. A melhor parte de tudo isso para mim é poder passar mais tempo com meus filhos. Que tudo isso nos sirva de lição para nos tornarmos pessoas cada vez melhores, valorizando mais as coisas simples da vida. Reclamar menos, pois sempre têm pessoas em situação pior que a nossa e, principalmente agradecer a Deus por tudo que temos”, declara Solange.

Por Alan Dick

Bianca e Leonardo estão gostando das aulas em casa. Para a mãe, Solange, as aulas presenciais fazem falta, principalmente para os alunos menores