Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 02 de Julho de 2020

O Alto Taquari - Esportes

Jornal da Semana
Futebol

Pandemia vai mostrar comprometimento dos atletas

, 19 de junho de 2020 às 10h15

O profissional de educação física, Rodrigo Kraemer Kolzer, 31 anos, atua como treinador do sub-17 do Lajeadense e preparador físico do profissional e dos juniores. Segundo ele, com as competições paralisadas, apenas jogadores da base seguem treinando em grupos de, no máximo, oito pessoas. As atividades desenvolvem apenas a parte técnica e física dos atletas, sem treinos táticos e coletivos, para evitar o contato.

Kolzer explica que a maioria dos atletas profissionais de clubes, de divisões e ligas menores, teve contrato suspenso. Cita ainda que, pela CBF, estão previstos contratos curtos de três meses, o que exigirá uma série de adequações administrativas e burocráticas para os clubes garantirem um plantel para a sequência da temporada.

Rodrigo reforça que a manutenção da atividade física é essencial para os atletas não sofrerem tanto no retorno dos treinos oficiais. Observa ainda que a pandemia antecipará o fim de ciclos, tanto para os jovens que sonham com a carreira e estão no último ano de formação, quanto para profissionais não tão comprometidos.

No que tange as oportunidades, afirma que com o mercado desaquecido e falta de bilheteria, não haverá espaço, para quem não tiver muita qualidade e persistência, lembrando que menos de 10% de quem está nos juniores consegue atuar profissionalmente. O Lajeadense, no momento, só mantém as categorias de base, oferecendo alojamento e alimentação para os jogadores, e suporte técnico para desenvolvimento de habilidades. A base conta com parceria da escolinha Ale Lajeadense, dirigida pelo presidente do clube Alexandre Sebben. “Tomara que as federações sejam sensíveis em dar mais um ano de oportunidades aos profissionais que estão na transição para vida adulta. É preciso ter muita calma e paciência”, frisa.

Kolzer atuou no juniores do Lajedense, mas devido a lesões nos joelhos, não jogou profissionalmente. No futebol amador, coleciona inúmeros títulos. Ele atua como profissional de educação física há sete anos.

Por Alan Dick

Preparador físico do profissional do Lajeadense e coordenador da categoria sub-17, Rodrigo Kolzer explica que a pandemia interfere nas oportunidades para atletas em fim de formação