Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 02 de Julho de 2020

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Especial

Nuvem de gafanhotos

, 26 de junho de 2020 às 9h59

Notícias de uma nuvem de gafanhotos a cerca de 250 quilômetros da fronteira do Rio Grande do Sul com a Argentina, causaram preocupação para autoridades do setor agropecuário e produtores rurais, no decorrer da semana. O temor é o dano que os insetos possam causar às lavouras e pastagens, se houver infestação. Estima-se que uma área de 1km² pode ter até 40 milhões de gafanhotos. Uma nuvem deste tamanho pode consumir o equivalente a 350 mil pessoas. Eles atacam principalmente lavouras de milho, mandioca e cana de açúcar.

A Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) e o Ministério da Agricultura monitoram o avanço da nuvem de gafanhotos originária do Paraguai e que vem percorrendo a Argentina. “É uma distância relativamente próxima. Se essa nuvem persistir e as condições meteorológicas forem favoráveis ao ingresso da praga no Estado, pode afetar algumas culturas e pastagens inclusive”, disse o fiscal agropecuário Ricardo Felicetti, chefe da Divisão de Defesa Sanitária Vegetal da Seapdr, na terça-feira.

A tendência de queda nas temperaturas e previsão de chuva para todo o Estado devem a amenizar o risco de dispersão da praga. Caso algum produtor identifique a presença destes insetos em grande quantidade, a orientação é informar a inspetoria de defesa agropecuária da sua localidade.

Por Alan Dick