Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 03 de Junho de 2020

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Agrovale

Antes de alojar as aves, Matrizeiro recebe visitantes

, 22 de maio de 2020 às 10h15

Com investimento de aproximadamente R$ 20 milhões, a Empresa ASA – América Sociedade Avícola apresentou ao Conselho de Administração da Cooperativa Dália Alimentos, ao Poder Executivo de Vale Verde e ao Sicredi Região dos Vales as instalações do matrizeiro, parte integrante do Programa Frango de Corte da cooperativa com sede e Encantado. Os núcleos, distribuídos em uma área com 76 hectares, às margens da ERS-244, no município de Vale Verde, estão 50% concluídos e a operação da granja deverá iniciar na primeira semana de junho.

Antes que o empreendimento comece a operar, um grupo com máscara e respeitando as medidas de segurança e distanciamento contra a covid-19, esteve conhecendo a obra que dará o “start” ao Programa Frango de Corte da Dália Alimentos. No local, serão produzidos os ovos férteis com posterior destino ao incubatório, localizado em Mato Leitão e em fase final de construção.

O técnico responsável pela gestão do Matrizeiro e do Incubatório, Jean Pierre Wathier, detalhou o funcionamento da granja, que terá padrões rigorosos de biossegurança, boas práticas de produção e alta tecnologia empregada do pórtico para dentro, nos dois núcleos de recria (com dois aviários cada) e nos quatro núcleos de produção (com dois aviários cada).

Conforme ele, no ciclo de recria as fêmeas e os machos permanecerão alojados pelo período de 22 semanas e depois transferidos e confinados para a produção dos ovos férteis entre 22 a 65 semanas. “Uma matriz produzirá em torno de 185 ovos incubáveis, dos quais irão nascer 150 pintinhos que serão entregues aos nove condomínios para a produção de frangos de corte, ou seja, cada condomínio entregará 145 frangos de três quilos, o equivalente a 435 quilos de carne processada no frigorífico já em operação em Palmas, na cidade de Arroio do Meio”.

O presidente da Empresa ASA, Reinaldo Cornelli, disse se tratar de um empreendimento de ponta, para estar páreo com os melhores que há no Brasil e no mundo. Fala também sobre a representatividade do Matrizeiro, tanto pelo valor aplicado no empreendimento, como para toda a cadeia produtiva avícola da Cooperativa Dália Alimentos. “Certamente trata-se de um programa que inspira empolgação e entusiasmo em todos nós e, paralelamente, instiga um sentimento de seriedade pela busca da mais alta eficiência na atividade. Destaco o empreendedorismo dos funcionários envolvidos, a visão da Administração Municipal de Vale Verde, por acreditar no negócio e conceder os incentivos pretendidos; a confiança da Direção da Dália Alimentos, em delegar aos seus empregados a edificação e o funcionamento de um projeto de ampla magnitude; e ao Sicredi, pelo empenho em liberar as linhas de crédito para o empreendimento, fundamental para nós”.

O presidente Executivo da Dália Alimentos, Carlos Alberto de Figueiredo Freitas, disse se tratar de uma obra complexa e que para sair do papel necessitou de pessoas empreendedoras e que acreditassem no negócio. “Os sócios, funcionários da cooperativa, que acreditaram no negócio proposto pela Dália; o Sicredi, que endossou e acreditou aportando linhas de financiamento e o Poder Executivo, que pensou no futuro e no desenvolvimento do município e da região”. O presidente do Conselho de Administração da Dália Alimentos, Gilberto Antônio Piccinini, disse que tudo é possível quando há bons parceiros. “Sonhamos com este projeto há muitos anos. É aqui que o processo todo terá início e trata-se de um investimento que trará viabilidade e riqueza para o município, para a cooperativa, para os sócios e para todos os envolvidos”.

Maior operação individual da história

O diretor Executivo do Sicredi Região dos Vales, Roberto Scorsatto salientou se tratar da maior operação individual feita pela cooperativa de crédito em seus 37 anos de história. “A grandiosidade do projeto impressiona e o Sicredi Região dos Vales, que nasceu dentro da Dália Alimentos, se orgulha em participar aportando linhas de financiamento para viabilizar este matrizeiro. Buscamos adequações para a liberação dos recursos e, assim como a Dália, o Sicredi também visa o desenvolvimento econômico e social das pessoas e das comunidades. Para nós, a Dália é um exemplo de gestão a ser seguido”.

Polo para a produção de alimentos

O prefeito de Vale Verde, Carlos Gustavo Schuch, acompanhado por secretários municipais, enfatizou que o município pode vir a ser um polo na produção de alimentos e citou a parceria com a Empresa ASA na edificação do matrizeiro, através da disposição de serviços de terraplenagem, rede elétrica e água, acessos, estradas e maquinário. “Pensando no futuro, hoje fechamos um ciclo que iniciou há três anos. Embora alguns nos criticando, lutamos e trabalhamos muito para concluir essa parceria, pois sabíamos que a Dália e a ASA eram sérias. Ao analisar a proporção deste negócio temos a convicção de que estamos no caminho para que o nosso município seja um polo na área da produção de alimentos e estamos abertos para, futuramente, uma possível expansão do projeto”.

Dados do Matrizeiro:

– Localização: Linha Monte Alegre, município de Vale Verde.
– Área total: 76 hectares.
– Área construída: 30 mil metros quadrados.
– Estrutura/instalações: Dois núcleos de recria (com dois aviários cada) e quatro núcleos de produção (com dois aviários cada).
– Tecnologia: Big Dutchman.
– Número de funcionários: 26 empregados.
– Propriedade: Empresa ASA – América Sociedade Avícola.
– Número de sócios: 37 sócios (todos funcionários da Dália Alimentos) + uma cota da cooperativa.
– Parceiros: Cooperativa Dália Alimentos, Prefeitura de Vale Verde e Sicredi Região dos Vales.

Vista aérea do empreendimento localizado em Vale Verde

Por Alan Dick