Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 29 de Setembro de 2020

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Agrovale

20 de Maio Dia Mundial das Abelhas

, 22 de maio de 2020 às 10h25

As abelhas que os agricultores devem conhecer

Para celebrar o Dia Mundial das Abelhas, a Associação Brasileira de Estudo das Abelhas (A.B.E.L.H.A.) lança hoje um pôster com 14 abelhas essenciais para a polinização de cultivos agrícolas no Brasil, segundo pesquisa científica recente.

Os polinizadores melhoram o rendimento e a qualidade de frutos e sementes de mais de 60% das plantas cultivadas para a produção de alimentos. Por isso, essas 14 abelhas são – ou deveriam ser – as “queridinhas” de produtores rurais e consumidores.

O pôster pode ser baixado gratuitamente no formato PDF do site da A.B.E.L.H.A.. O material de divulgação científica é direcionado para qualquer entusiasta das abelhas, sejam eles biólogos, criadores, ecólogos, educadores ou leigos.

Produtividade e qualidade

Para os agricultores, seu uso vai além da curiosidade. Produtores de laranja, tomate, maçã, goiaba, maracujá e outros 31 alimentos vegetais indicados, podem ser os maiores beneficiados ao tomar conhecimento da importância desses polinizadores.

“Com essa informação, os produtores podem direcionar planos de manejo de cultivos agrícolas e adotar práticas para manter essas abelhas protegidas e próximas às plantações. Assim, elas realizam a polinização, melhorando o rendimento e a qualidade dos frutos e sementes”, explica a bióloga Kátia Aleixo, idealizadora do pôster.

O material traz um código QR que direciona para uma página com informações complementares, na qual o interessado poderá conhecer mais sobre as abelhas, a exemplo de sua distribuição geográfica e como manejá-las próximas aos cultivos.

“Nossa intenção é ajudar na divulgação do conhecimento e na conservação dos insetos polinizadores. Produtores rurais conscientes sobre o papel das abelhas no aumento da qualidade e produtividade agrícola tendem a fazer o uso correto de defensivos agrícolas, conservar as matas nativas no entorno das plantações e manter um bom relacionamento com apicultores”, explica Ana Lúcia Assad, diretora-executiva da A.B.E.L.H.A..

As abelhas elencadas no cartaz incluem espécies sociais e solitárias. Tirando a abelha africanizada (Apis mellifera), que é híbrida de subespécies introduzidas no País para a produção comercial de mel, todas as demais são nativas do Brasil. Entre elas, estão abelhas sem ferrão, como a jataí, que está distribuída em todo o País, e espécies vultosas, como as mamangavas, que chegam a três centímetros de comprimento e que possuem papel relevante na polinização de algumas frutíferas, como o maracujá.

Fontes científicas

A seleção das 14 espécies foi feita com base em estudo publicado em janeiro deste ano e que fez um levantamento, com base na literatura existente, das espécies de abelhas que melhor contribuem para a produção agrícola do País. O trabalho inclui dois pesquisadores do Comitê Científico da A.B.E.L.H.A.

Os cultivos polinizados pelas espécies de abelhas selecionadas foram consultados também no Relatório Temático sobre Polinização, Polinizadores e Produção de Alimentos no Brasil e no livro A Polinização Agrícola por Insetos no Brasil.

Sobre a A.B.E.L.H.A. – A Associação Brasileira de Estudos das Abelhas tem o objetivo de liderar a criação de uma rede em prol da conservação de abelhas e outros polinizadores. Sua missão é reunir, produzir e divulgar informações, com base científica, que visem à conservação da biodiversidade brasileira e à convivência harmônica e sustentável da agricultura com as abelhas e outros polinizadores.

Por Alan Dick