Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 04 de Junho de 2020

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Política

Vereadores pedem ajuda para o setor primário

, 3 de abril de 2020 às 11h13

A sessão ordinária da Câmara de Vereadores de Arroio do Meio, realizada na quarta-feira dia 1º de abril, mais uma vez esteve fechada ao público.

Na noite, César Kortz (MDB) assumiu o lugar de Paulo Volk, do mesmo partido, que pediu licença para assumir a secretaria de Obras. Antecedendo a sessão, os vereadores receberam o prefeito Klaus Werner Schnack que esclareceu dúvidas a respeito de três projetos que deram entrada na Casa nesta semana reconhecendo a calamidade pública no território do Município; a prorrogação de vencimento de dívidas tributárias e não tributárias do exercício de 2020; adequações no Regime Próprio de Previdência Social com Reforma da Previdência; e convênio com a Sociedade Sulina Divina Providência – Hospital Estrela, para atendimentos emergenciais de munícipes infeccionados com Covid-19 em até R$ 77.786,40 mensais.

Também foram aprovado dois projetos do Legislativo que congelam os salários do prefeito do prefeito, vice e vereadores, a partir de 2021.

OPERAÇÃO PASSO A FRENTE – César Kortz (MDB) destacou o programa Passo à Frente que executou 300 metros asfalto na rua Rui Barbosa, interligação da Rua José Arnhold com a ERS-130, trecho que necessitava de constante manutenção e, o início do asfalto do Passo do Corvo  que deve ter continuidade após a pandemia. Elogiou a conduta da Administração em relação a pandemia, assim como, o trabalho de todos os profissionais da saúde e a boa estrutura do Hospital. Kortz ainda lembrou da importância dos demais serviços que não podem parar, considerados essenciais, como os agricultores que enfrentam a estiagem. Ressaltou que é preciso incluir produtores em algum decreto visando auxílio no custeio de dividas.

NOTÍCIAS FALAS E BRIGAS POLÍTICAS – Rodrigo Kreutz (MDB) qualificou e agradeceu os profissionais e instituições de saúde que ao longo de dois anos cuidaram da enfermidade de seu sogro. Salientou que em âmbito municipal quando não se consegue algum procedimento pelo SUS são procuradas outras maneiras e parcerias com outros hospitais para ajudar o paciente. Observou ainda o momento difícil da pandemia. “Antes era dito que as pessoas precisavam de um abraço amigo. Hoje é preciso se fazer valer das mídias sociais”. Também voltou a fazer um alerta em torno das notícias falsas que são veiculadas na internet. E lamentou as brigas e questões políticas que não agregam neste momento. Frisou que os administradores estão tentando fazer o melhor. Se mostra preocupado com dificuldades futuras, mas o momento é de união para preservar vidas. O vereador ainda falou sobre a seca, que, além da pandemia, está deixando as pessoas preocupadas. Disse que a colheita da soja está dando 30% ou 40% do normal, resultado que mal chegará para cobrir os custos de produção. Lembrou que outros cultivos também estão com sua renda comprometida com a falta de água. “É preciso estar em cima dos governos para que os produtores rurais não fiquem esquecidos”. Por último, o vereador fez um apelo para que as pessoas façam o uso consciente da água.

VÍTIMA DE FAKENEWS E AQUISIÇÃO DE TANQUE– Roque Haas, o Rocha (PP) também repercutiu a estiagem e avaliou que os agricultores deveriam ser ajudados com máquinas e caminhões, da mesma forma como as pessoas atingidas por enchentes são atendidas. Outra sugestão do legislador é a compra de um tanque inox para acomodar em um caminhão e servir para o transporte de água. O mesmo também poderia ser utilizado para outras funções. “Se tivesses o equipamento não seria necessário pagar pelo serviço”.

Também verificou que  muitos agricultores têm custeios vencendo e que os governos não são capazes de trazer um adiamento. Se disse aliviado com as medidas anunciadas pelo prefeito e reforçou a importância de um reconhecimento em lei municipal para a classe. Sugeriu um abono imediato para os agricultores que também são vulneráveis as doenças que têm na cidade. Rocha também desabafou ter sido vítima de fakenews durante a quarentena, quando apenas foi a sua empresa para atender um agricultor que ficou com uma máquina empenhada, mas um indivíduo fez uma publicação o criticando por desrespeitar o isolamento.

PODER PÚBLICO DEVE SOCORRER TRABALHADORES – Vanderlei Majolo (PP) afirmou que a exemplo do governo federal que implantou uma série de medidas para socorrer a economia, o governo do estado publicou um programa onde os deputados estaduais também poderão repassar recursos para os seus municípios. Sugere que a Câmara também tenha autonomia, mesmo que a Administração tenha vários programas e ter feito um excelente trabalho de prevenção quanto a pandemia e estiagem. Observa que são os trabalhadores num geral que ajudaram a construir um orçamento de R$ 80 milhões, e que o poder público não pode  ter medo de desembolsar R$ 1 milhão para ajudar trabalhadores informais, empresas que estão no aluguel, produtores rurais e realizar investimentos para amenizar impactos em futuras estiagens. Concordou com a necessidade de um projeto de incentivo a classe rural e um abono imediato. E explicou que apesar da situação da pandemia ser duvidosa, as estatísticas alertam que a prevenção é a melhor medida.

CONCIÊNCIA COLETIVA – O presidente Luis Both (MDB) também falou das perspectivas em torno da pandemia e pediu a consciência de líderes de vários setores da região. Sugeriu um entendimento entre locadores e locatários em torno dos aluguéis e dos empresários e funcionários em torno da jornada de trabalho e remuneração. “Virão dias bem difíceis pela frente. Dificilmente não haverá casos no município. É preciso tomar todos os cuidados possíveis, como respeitar a distância entre as pessoas, e evitar aglomerações. Em vários locais as determinações não estão sendo respeitadas”. Em aparte, Adiles Meyer (MDB) que o Brasil está tendo o tempo para assistir os outros países que não obedeceram às determinações e se preprar. Alertou que a questão pode piorar ainda mais a partir da chegada da chuva e do frio.

Por daiane