Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 07 de Abril de 2020

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Geral

Os sintomas do Covid-19

, 20 de março de 2020 às 9h45

O novo coronavírus (Covid-19) tem sintomas semelhantes a outras síndromes como resfriado e gripe. Por causa dessa condição, muitas vezes pacientes podem se confundir, minimizando um cuidado necessário à prevenção contra a pandemia que assola o mundo e o Brasil.
Os sintomas envolvem febre, cansaço e tosse seca. Parte dos pacientes pode apresentar dores, congestão nasal, coriza, tosse e diarreia. Alguns pacientes podem ser assintomáticos, ou seja, estarem infectados pelo vírus, mas não apresentarem sintomas. O Ministério da Saúde estima que os pacientes mais jovens são os mais passíveis de não apresentar qualquer sinal da doença.
No caso da febre, por exemplo, a ocorrência dela é comum em casos de Covid-19 e de gripe, mas rara em resfriados.
Os espirros são comuns em resfriados, mas raros tanto em gripes quanto em Covid-19. O nariz entupido aparece frequentemente em resfriados, às vezes em gripes e, raramente, em casos do novo coronavírus. A dor de cabeça é rara em resfriados, comum em gripes e pode surgir em infecções pelo novo coronavírus.
De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a estimativa é que o período de incubação seja de um a 14 dias. Ou seja, o vírus teria esse tempo para se manifestar. O mais comum é a manifestação por volta de cinco dias. Mas há pessoas que não apresentam sintomas.
A OMS calcula que um em cada seis pacientes pode ter um agravamento do quadro, com dificuldades respiratórias sérias.

Entenda a curva da epidemia

Quando ocorrem epidemias, com a provocada pelo novo coronavírus, que no caso se transformou em uma pandemia por ter chegado a todos os continentes, acontece um pico de pessoas infectadas. Sem a adoção de nenhuma medida preventiva, o número de pessoas que precisam de atendimento médico cresce muito acima da capacidade de a rede de saúde absorver. Foi o que aconteceu na Itália, que demorou para adotar medidas restritivas para tornar mais lenta a propagação do vírus.
Recomendações para que locais com grande aglomeração de pessoas sejam evitados, suspensão de atividades que reúnam grande público e até mesmo o isolamento social e fechamento de fronteiras, entre tantas outras medidas possíveis, ajudam a curva a se prolongar. Isto significa que o número de pessoas infectadas se dará ao longo de um período maior de dias e isto permitirá que a estrutura de saúde existente seja suficiente para o atendimento da população.
Um dos problemas no Brasil é que não é possível estimar a curva. A população aqui é mais jovem que na Itália e é possível que o número de casos graves seja menor. Também não é conhecido como o vírus vai se comportar em um país com clima mais ameno, podendo variar muito já que o Sul, por exemplo, experimenta temperaturas muito baixas, o que favorece as doenças respiratórias. O que as autoridades estão fazendo é acompanhar o número de casos e adotando medidas que acreditam ser suficientes para que a curva seja achatada. Se elas não forem, outras poderão ser anunciadas conforme a progressão da doença.

Vale do Taquari tem vários casos suspeitos

Os municípios que compõem o Vale do Taquari não tinham nenhum caso confirmado de Covid-19 até o fechamento da edição, às 12h de ontem. O último boletim apontava 15 casos suspeitos, que aguardam o resultado do teste, e oito já descartados. Arroio do Meio tem dois casos suspeitos. Os pacientes estão em isolamento domiciliar.
Anta Gorda tem um caso suspeito e outro descartado. Encantado tem um caso suspeito. Estrela tem dois casos suspeitos e três descartados. Lajeado tem três casos suspeitos e quatro descartados. Taquari um caso suspeito e Teutônia cinco casos suspeitos.

Por daiane