Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 03 de Junho de 2020

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Pouso Novo

Certel vai construir mais uma hidrelétrica no rio Forqueta

, 14 de fevereiro de 2020 às 9h35

No dia em que comemora 64 anos, 19 de fevereiro, a cooperativa Certel vai lançar o projeto da obra de uma nova hidrelétrica no rio Forqueta, entre os municípios de Pouso Novo e Coqueiro Baixo. O evento será realizado às 11h no CTG Tropilhas da Serra, em Pouso Novo e deve contar com a presença de diversas autoridades. A presidente da Fepam-RS, Marjorie Kauffmann, foi convidada para a solenidade, uma vez que órgão fará a entrega do protocolo de Licença Prévia do empreendimento.
Denominada de Hidrelétrica Vale do Leite, a nova usina terá uma barragem de 165 metros de comprimento e 30 metros de altura, com potência instalada de 6,4 megawatts. As obras civis devem ser iniciadas em março, visto que toda a parte ambiental, de projetos e financeira está concluída. Segundo o presidente da Certel, Erineo Hennemann, serão escavados 40 mil m³ e utilizadas 404 toneladas de ferragens e 11 mil toneladas de cimento. Todos os aspectos da obra – técnico, ambiental, administrativo e financeiro – serão gerenciados pela Certel. A previsão é de conclusão em até 18 meses.
Hennemann destaca que um dos diferenciais do projeto é a intercooperação. O investimento, estimado em R$ 45 milhões, será totalmente financiado pelo Sicredi, regionais de Teutônia, Lajeado, Soledade e Encantado.
Para o presidente, o projeto vem para qualificar ainda mais o serviço prestado pela Certel. Pontua que o fato de a hidrelétrica estar no território em que a cooperativa faz a distribuição traz uma grande vantagem para o associado, pois barateia o custo da energia elétrica. Erineo observa que hoje a Certel pratica a tarifa mais baixa do Estado, até 30% menor, se comparada com outras empresas. “O diferencial que nosso associado valoriza é a qualidade. Nossos postes são 100% de concreto. Nossa missão é ter um trabalho excelente com o menor preço possível e estamos conseguindo cumpri-la”, destaca, estimando que a economia que os mais de 60 mil associados fazem com a tarifa se aproxime dos R$ 60 milhões ao ano. “Esse dinheiro fica no bolso do associado e ele pode melhorar sua infraestrutura”.
A Hidrelétrica Vale do Leite integra um projeto maior, que prevê a construção de sete Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs) no rio Forqueta. Duas já estão em operação – Salto do Forqueta e Rastro de Auto – e outras quatro devem ser construídas na sequência. Os projetos de licenciamento já estão sendo encaminhados.
Melhorias – Na quarta-feira a cooperativa também vai assinar um contrato de R$ 10 milhões com o BRDE para melhorias de rede e investimento em novas tecnologias.

Por daiane