Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 19 de Outubro de 2019

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Política

Pavimentações e asfalto dominam os pronunciamentos

, 4 de outubro de 2019 às 15h24

Nenhum projeto de lei foi votado na sessão ordinária da Câmara de Vereadores de Arroio do Meio, realizada em 2 de outubro. Apenas dois projetos foram enviados para análise das comissões de Constituição e Justiça e de Finanças e Orçamento.
Na oportunidade, voltou à casa o vereador Marcelo Schneider (MDB), que estava licenciado e era substituído pelo suplente Sérgio Cardoso (DEM). Cardoso pediu licença por tempo indeterminado para tratar da saúde.
A próxima sessão ocorre em 16 de outubro às 18h30min.

Pavimentações – Luís Both (MDB) questionou a real necessidade da instalação de dois pedágios na BR-386, em direção a Porto Alegre e que já havia um espaço pronto em Fazenda Vilanova, que foi abandonado para construção de um local novo. Também fez menção às pessoas de Arroio Grande, que lhe agradeceram por ter tocado no assunto do asfalto. Disse que os moradores da Dom Pedro II também o procuraram questionando sobre a situação do asfalto e eu pavimentações são esperadas por grande parte da população. Falou que nas últimas administrações é que vêm sendo feitas obras e que foram trazidas várias empresas grandes para Arroio do Meio, tendo como reflexo o retorno financeiro e mais obras. Both ainda reforçou pedido por roçada da estrada do Closs até Canudos.

Acessos asfálticos – Darci Hergessel (PDT) – Falou sobre asfalto. Disse que atualmente 62 municípios gaúchos não possuem acesso pavimentado. Salientou que, há um mês, iniciaram obras em oito deles, restando 54 e que, certamente, todos estão pressionando para que suas obras saiam do papel. Lembrou da espera pela VRS-482 há 40 ou 50 anos, faltando 14,5 km, assim como o trajeto a Travesseiro onde são 6 km, que também ficaram só na promessa. Observa que foram muitas idas e vindas para a capital e pouco foi feito. Hergessel avalia que a falta de asfalto trava o progresso das comunidades. “Elas sofrem por não poder construir seu desenvolvimento, implantar novos investimentos, além de dificultar o escoamento da produção”. Além disso, salienta que isso representa um prejuízo de 2,5% para o PIB do Estado. O vereador lembrou que no dia 15 de agosto o governador liberou R$ 37 milhões para acessos, e duas cidades da região garantiram recursos: R$ 6 milhões para Sério e R$ 12 milhões para Boqueirão do Leão. “Nós, novamente, ficamos fora”, disse. Em contato com a Famurs, o vereador comentou ter sido informado sobre um programa que tem como objetivo compensar valores de empresas para realizar os acessos às comunidades. Hergessel ressaltou a necessidade de unir esforços para mudar a realidade considerada dramática. Disse ainda ter conversado com a Famurs para viabilizar uma audiência para pressionar e reivindicar junto a bancada gaúcha em Brasília por uma emenda coletiva para destinar aos 54 municípios que ainda necessitam dos acessos asfaltados. O vereador pediu para que o Departamento e Trânsito pinte as faixas nos redutores de velocidade, na rua Pedro Artur Drebes.

Saúde da mulher – Helena Matte (MDB) – Falou do sábado voltado para a saúde preventiva das mulheres, quando o Posto de Saúde Central estará aberto, das 8h às 11h30min, para coleta de pré-câncer e solicitação de mamografias. Citou as ações preventivas da campanha Outubro Rosa e sua importância para alertar as mulheres e sociedade dos cuidados que devem ser tomados. Citou também que a secretaria da Saúde prevê ações mensais nas unidades dos bairros focadas na saúde preventiva. Além disso, a vereadora observa que os profissionais estarão atualizando a carteira vacinal dos adultos. Helena ainda sugeriu que a Administração coloque bancos junto ao Hospital São José, para que as pessoas possam sentar para aguardar familiares e demais pacientes. Salientou que o pedido já havia sido feito pela colega Adiles e o reforçou, para melhorias do espaço.

Infração nas conversões – Vaderlei Majolo (PP) – Abordou a VRS-811, estrada que segue em direção a Forqueta e Travesseiro. Disse que existe desencontro de informações por boa parcela dos motoristas. Observa que a rodovia tem deficiências de acostamentos e que muitos motoristas cometem infração ao realizar conversão à esquerda, tendo em vista não haver acostamento para fazer manobra de espera. Disse que é incorreto parar no meio da pista para fazer esse tipo de conversão em rodovia. Majolo informa que, no caso de não haver acostamento é preciso seguir em frente, fazer retorno em local adequado, e retornar para dobrar à direita. Acrescenta que irão surgir cada vez mais problemas com o aumento da população e da frota. “Temos que achar uma maneira de divulgar para que sejam evitados acidentes e infrações”. Sugere contato com o Daer para que se consiga melhorar esse aspecto. Em aparte, o vereador Roque Haas (PP) disse que mora no topo do morro da Bela Vista e que pela manhã inúmeras vezes vê os carros parados sobre a pista. Acrescenta que as pessoas precisam ter consciência e saber que estão fazendo errado, contudo, pontua que no local também há a possibilidade de melhorar a sinalização para que haja o desafogo.

Asfalto e videomonitoramento – Rodrigo Kreutz (MDB) – Falou sobre o asfalto de Arroio Grande. Disse que todas essas idas e vindas para Porto Alegre têm gerado resultado, contrapondo a ideia do colega Darci Hergessel. Observa que foi pouco, mas foram dois quilômetros conquistados, reforçando que também gostaria que já estivesse tudo pronto, mas se sente orgulhoso de que já se conseguiu uma parte. Disse que o povo está cansado de escutar conversas ilusórias e que quem participou da audiência pública em Arroio Grande teve esclarecimentos sobre esse assunto, destacando que a Administração segue trabalhando na busca de recursos. Lamenta o fato de o Estado ter investido em algumas vias que não são estaduais.
Kreutz ainda destacou o videomonitoramento. Informou que serão instaladas em torno de 12 novas câmeras na cidade e que o projeto em si tem custo estimado em cerca de R$ 200 mil. Avalia ser o pontapé inicial para que no futuro sejam instalados mais equipamentos. Observa que esses foram instalados em pontos estratégicos, a partir de estudo dos órgãos competentes. Ainda sobre segurança destacou o benefício do aplicativo para o celular chamado de Polícia Online, considerado um contato direto com a Brigada Militar. Pediu uma placa de “Pare” para a subprefeitura de Arroio Grande, sugerindo o estudo para a melhor colocação da mesma. Ainda, fez pedido por paradas de ônibus no Umbu e na Dom Pedro, perto da Dália. Também falou da limpeza e colocação de material nos loteamentos, serviço que, segundo Kreutz, está sendo bem feito. Por último parabenizou a todos pelo dia do vereador, comemorado em 1º de outubro.

Melhorais no bairro São José – Pedro Volmir de Freitas Noronha, o Kiko (PTB) – Falou sobre a reforma da cancha de bocha e do campo no São José. Disse que quem conheceu o local há cerca de 10 anos, lembra que em finais de semana era cheio de pessoas, sendo um bom ponto de encontro. Hoje, de acordo com Noronha, está abandonado. Se propôs a pedir na Câmara a possibilidade de a prefeitura ajudar com alguma coisa. Acrescentou que os moradores também ajudam com mão de obra. Também falou da pracinha, a qual tem poucos brinquedos. “Se possível mais alguns. Hoje algumas crianças brincam e os outras ficam olhando”. Kiko ainda reforçou o pedido pelo alargamento da rua na altura do bar da Sabrina. Disse que quando tem carros estacionados dos dois lados, fica ruim de passar com outro veículo. Ainda, pediu a pintura da faixa de segurança em frente ao Piassini, ressaltando que o lugar tem pouca visão. Disse que vai continuar cobrando quanto aos seus pedidos, pois “quando o povo pede a gente pede aqui”.

Asfalto no interior – Cesar Kortz (MDB) – Falou de seu requerimento sobre duas lâmpadas na rua Alvorada próximo da esquina com a área verde. Disse que são em torno de 100 metros sem nenhuma iluminação. Também comentou que hoje o que mais se fala é asfalto. Frente a isso destacou que a prefeitura tem o programa Passo à Frente e que a Administração foi muito feliz em criá-lo, observando que não adianta só pensar em tapar o sol com a peneira, mas pensar no futuro. Kortz fez requerimento de pavimentação para a rua Jose Arnhold em direção a ERS-130, onde a cada chuva é preciso fazer tapa buracos.
Disse que na semana passada acompanhou um grupo de moradores do Passo do Corvo e Cascalheira, os quais possuem 147 assinaturas pedindo por asfalto. O vereador apresentou um levantamento, salientando que, só pelo talão de produtor, no ano passado, nessas localidades foram vendidos mais de R$ 23 milhões, destacando que o setor primário é forte. Além disso, citou outros diversos empreendimentos que representam retorno para o município: três sociedades de água; empresas de transporte; metalúrgica; condomínio da Dália; cerâmica; depósito de frutas; fábrica de paletes; consultoria ambiental; construtora; e outros. Observa que está na hora dessas localidades receberem pavimentação asfáltica, podendo ser mais uma obra do Passo a Frente, para poupar no futuro.

Clube Esportivo – José Elton Lorscheiter, o Pantera (PP) – Falou do Clube Esportivo Arroio do Meio e que foi procurado pelo seu presidente. Disse que a entidade vem passando por dificuldades financeiras e com falta de pessoas que queiram fazer parte da diretoria. Salienta que o patrimônio é grande, mas não se sustenta. Para discutir sobre está se chamando uma assembleia para o dia 9 de outubro. Lembra que atualmente são em torno 70 sócios em dia, o que representa uma arrecadação de aproximadamente R$ 4 mil por mês. Ainda, tem recursos oriundos de alguns alugueis. Contudo, de acordo com Pantera, a dívida é de cerca de R$ 140 mil. O vereador avalia que, pelo tamanho de Arroio do Meio, e pelas diversas pessoas que praticam esporte, mereciam ter uma coisa melhor. Observa que em sábados à tarde, clubes de Lajeado, como Tiro e Caça e Sete de Setembro, estão cheios de arroio-meenses. “Lá tem inúmeros esportes que poderíamos ter aqui. Teria que se chegar a um denominador comum. Falta investimento para explorar melhor isso. Por que não podemos ter aqui um clube funcionando como Lajeado?”, diz Pantera, destacando a falta de um clube com estrutura. Lorscheiter ainda destacou a importância do evento do final de semana em prol da Amam. Ainda, pediu ao setor de Serviços Urbanos para que dê uma olhada para a academia ao ar livre no bairro Aimoré, a qual estaria tomada de capoeira.

Grupo Helmuth Kuhn e tapa buracos – Marcelo Schneider (MDB) – Destacou o sucesso da grande festa do grupo Helmuth Kuhn e o compromisso com as crianças e adolescentes que o grupo tem. Se diz feliz pela sua filha fazer parte do mesmo. Salientou ser o 36º aniversário e que a entidade trabalha para que os jovens sigam no caminho certo. Disse que o Frohsinn faz trabalho semelhante. Observa que o trabalho desses grupos precisa ser visto com bons olhos por toda a comunidade e ser apoiado. Acrescenta que esse tipo de iniciativa tira os adolescentes do caminho errado.
Schneider ainda falou da inovação feita nessa Administração perante os tapa buracos. Destaca que nos últimos tempos está se observando o capricho com a nova medida, onde os profissionais quebram o asfalto e colocam o material certinho, de acordo com o que a cidade precisa. Parabenizou a equipe coordenada por Airton Schmitt.

Trânsito e asfalto – Roque Haas, o Rocha (PP) – Falou de acessos asfálticos. Disse que teve oportunidade quando veio do bairro São Caetano, de contornar por debaixo da ponte do Arroio do Meio e sair perto da Dália. Pediu que os demais colegas passassem no local e fossem ver o que de fato pode ser feito para resolver o problema da rótula. Quanto à questão do programa Passo à Frente disse ser uma pena que não se olhou para o futuro. Observa que se tivesse sido pensado no futuro, teria se investido o dinheiro do financiamento nesse programa, citando como obras: o tão esperado asfalto do Passo do Corvo; Arroio Grande; 800 metros da Medianeira; o trajeto Forqueta a Travesseiro; Forqueta Baixa; e outras localidades. Disse que com esse dinheiro poderia se contemplar inúmeros trajetos. Observou que maquinário e pessoal qualificado o município tem. Rocha ainda falou da saída do bairro Bela Vista, junto ao trevo. Sugere melhor sinalização para orientação aos motoristas que seguem em direção a Lajeado. Ainda relacionado ao trânsito, reforçou o pedido de pintura de faixas de segurança na frente das escolas. Observa ser um trabalho simples e de baixo custo. Questionou se é preciso acontecer uma tragédia para se tomar providências.

Passo à Frente – Adiles Meyer (MDB) – Falou do Programa Passo à Frente e sua visão de futuro. Acrescentou ainda a importância das audiências com as comunidades nas 14 escolas, onde todas as pessoas estão convidadas a participar e ajudar com pequenos detalhes. Disse que tem aparecido muitas demandas e se percebe que o grande sonho da comunidade é o asfalto. A vereadora acrescentou que durante as audiências é entregue uma pasta com os apontamentos referentes às ações realizadas até o momento. Adiles citou diversas obras em prol da população, as melhorias pensando nos servidores da prefeitura, mais de R$ 2 milhões de investimentos em redes de água, entre outros. Ressaltou que as coisas estão acontecendo. “É só abrir os olhos para ver que o município está em pleno desenvolvimento”. Por último falou do mês de outubro, que além das ações voltadas a mulher, é o mês do idoso. A vereadora fez menção a esses que contribuíram muito para o desenvolvimento do município.

Por daiane