Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 15 de Setembro de 2019

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Política

PT aposta na renovação de filiados

, 6 de setembro de 2019 às 10h07

O Partido dos Trabalhadores (PT) de Arroio do Meio terá convenção neste domingo, dia 8, na Câmara de vereadores entre as 9h e 12h. Na ocasião serão eleitos, diretório e executiva. A chapa única, aponta a continuidade de Carla Schroeder na presidência da sigla. Como tesoureira está cotada Elin Westenhofen, secretário, Paulo Kuhn e membros Rogélio Sebastiani, Euclides Scheid e Rosalina Feldens. Às 10h ocorrerá um ato de homenagem ao ex-vice-prefeito Ruy Dagoberto e sua esposa Clara Bersch, pela atuação no partido nas décadas de 1980 e 1990.

Filiada no partido há oito anos, a professora de Ciências Sociais, História e Geografia, Carla Schoreder, coordenadora do Departamento Municipal de Cultura e do Museu, é a primeira mulher que preside a sigla em âmbito municipal. Para ela, que sempre foi simpatizante da sigla devido à especialização em Ciências Sociais, estar na presidência simboliza igualdade, sensibilidade, integração de gêneros e harmonia, num ambiente historicamente protagonizado por homens. Ao mesmo tempo, considera uma responsabilidade muito grande ter de representar lutas e mobilizações históricas das entidades e sociedade em defesa dos trabalhadores rurais, previdência social, transporte escolar, entre outras reivindicações populares e sociais.

Junto com o suplente de vereador, Paulo Grassi, professor e agricultor, líder sindical, apresentou detalhes em torno da atuação do partido no governo municipal, organização para o pleito de 2020 e posicionamentos na política estadual e nacional. Com 200 filiados, avaliam que, apesar do desgaste da sigla em âmbito nacional, não houve desfiliações perceptíveis e consideram positiva a renovação da militância, especialmente com jovens abaixo de 30 anos. “São pessoas com qualificações diversificadas que se identificaram com a atuação do PT, e veem na política uma oportunidade de posicionamento, ação e decisão dos rumos do município, estado e país. Os jovens têm mais capacidade de se adaptar e mudar. Temos de ser humildes em reconhecer e abrir o espaço para formação de novos líderes ”, dimensionam. O fim das coligações para as proporcionais faz com que um dos objetivos seja lançar 10 candidaturas para o Legislativo em 2020.

Na terceira vez que o PT participa da gestão do município, apesar do menor número de cargos com relação a 2016, devido a menor ‘força eleitoral’ na Câmara, qualificam bem a parceria com o MDB e a sintonia do prefeito Klaus Werner Schnack com a vice Eluise Hammes. “Sabemos encarar a responsabilidade, retribuir a confiança da população e de manter a unidade, construindo e não divergindo, com transparência, organização, disciplina, equilíbrio, razão e sensibilidade nas grandes e pequenas coisas. A tendência é fortalecer e continuar a parceria com a base aliada do atual governo”, explicam.

Em âmbito nacional, acreditam que até o fim do atual mandato a sociedade estará mais esclarecida em torno da condução jurídica, política e administrativa, e certamente reconhecerá o trabalho do PT em defesa da democracia, dignidade da vida, educação, e produção alicerçada no associativismo, parcerias público privadas e no viés comunitário entre outros valores sociais. “Grande parte da ascensão da extrema direita no mundo se deve ao uso da inteligência artificial. A sociedade ainda não aprendeu a lidar com isso”, entendem. Lamentam a precarização das condições de trabalho. “Manter a contribuição vai ser difícil pois, em 1º lugar, virá a sobrevivência. Um país depende da economia interna para superar a crise. Produzir não é problema. É preciso ter consumo. Achar que o Estado não pode ter o mínimo de intervenção é um erro grotesco. Faz um governo perder o sentido”. No RS, a tendência é de que o PT se fortaleça na municipalidade, como ocorreu em outras épocas.

Para as eleições de 2020 a principal receita deve ser com recursos próprios, seguida da contribuição de filiados, pois o repasse de verbas do fundo partidário geralmente fica concentrado nas grandes cidades. “Certamente a campanha terá influência das redes sociais, mas num município com 20 mil habitantes, o corpo a corpo, o debate e a reflexão da sociedade ainda são determinantes”, opinam.

Por daiane