Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 15 de Dezembro de 2019

O Alto Taquari

Jornal da Semana
O Alto Taquari

Aplicadores recebem certificado de reconhecimento pelo voluntariado

, 6 de setembro de 2019 às 10h41

A manhã do sábado, 31, foi de capacitação e homenagem para os aplicadores de BTI do Programa Municipal de Controle de Simulídeos, realizado há 19 anos, numa parceria entre Poder Público, Emater e famílias voluntárias de diversas localidades de Arroio do Meio. O 1º Encontro dos Aplicadores de BTI ocorreu no CTG Querência e contou com a presença do prefeito Klaus Werner Schnack, secretários de Saúde e Agricultura, Gustavo Zanotelli e Eloir Lohmann, coordenadora do Departamento do Meio Ambiente, Rose Maria Grassi, técnicos da Emater local, Elias de Marco e André Müller e cerca de 40 famílias de aplicadores voluntários envolvidos no programa.

A manhã iniciou com uma explanação da Emater local, onde de Marco resgatou o início do programa desenvolvido por meio da parceria entre Poder Público, Emater e aplicadores voluntários e os avanços realizados desde então. A capacitação foi ministrada pelo engenheiro agrônomo/assistente técnico regional de manejo de recursos naturais da Emater, Marcos José Schafer, que abordou o tema “Manejo do Meio Ambiente para o controle do Borrachudo”. Schafer mapeou a realidade e apresentou cuidados importantes para evitar a proliferação do mosquito, enaltecendo o exemplo de parceria, voluntariado e continuidade de Arroio do Meio.

Schnack agradeceu e parabenizou os voluntários parceiros do Programa de Controle do Borrachudo/Nossa Cidade, Meu Lar, com o qual o município contribui com a aquisição do produto e a Emater com a orientação técnica. “O comprometimento das nossas famílias do interior contribui para o bem-estar e a qualidade de vida dos mais de 20 mil habitantes”, ressaltou. Logo após, os voluntários receberam certificados de reconhecimento público pelo envolvimento no Programa que entra na segunda década neste ano, de forma ininterrupta.

Saiba mais: A aplicação do BTI geralmente inicia no mês de outubro e, diagnosticada a necessidade, segue até meados de abril, conforme monitoramento da equipe técnica da Emater nos arroios com existência de larvas. A cada mutirão, ocorre a aplicação de um produto biológico nos arroios, que inibe a procriação do inseto. O monitoramento das larvas destes insetos ocorre em pontos específicos onde existem focos e o trabalho é intensificado no período de calor, propício para a procriação do mosquito.

Por daiane