Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 13 de Outubro de 2019

O Alto Taquari - Cotidiano

Jornal da Semana
Cotidiano

O talento para tocar bateria não tem gênero e nem idade

, 9 de agosto de 2019 às 9h15

Aos 10 anos de idade, a estudante Vitória Telöken Fisher foi uma das atrações musicais da 2ª Feira Gastronômica Sabores de Arroio do Meio, que ocorreu no final de julho. No palco, uma bateria montada e pronta para receber o talento da estudante que apresentou uma seleção de músicas. Na plateia, a família de Vitória, orgulhosa assistindo a sua apresentação.
Vitória é filha de Claudete Telöken e Odair Fisher e é estudante do 4º ano da Escola Professor Arlindo Back, de Forqueta. A jovem lembra que sempre teve vontade de aprender o instrumento. “Eu montava minha própria bateria com potes e panelas”, recorda.

Foi o tio de Vitória, Evandro Warken, que tornou o sonho da menina possível. Como ela tinha vergonha de frequentar sozinha as aulas de bateria, ele matriculou-se junto. As lições começaram em abril de 2018. “No começo foi mais difícil porque eu não sabia nada. Agora, para mim, já está bem mais fácil”, explica Vitória. Um fato curioso é que, como é canhota, ela precisa posicionar as partes da bateria da forma oposta à forma do tio, que é destro.

Além da bateria, Vitória toca flauta doce, que aprendeu nas aulas de música da escola. A sua rotina é bastante movimentada, conciliando a escola e seus outros compromissos às aulas do instrumento. “De manhã tenho aula e, de tarde, primeiramente eu faço o tema de casa, depois brinco e ensaio antes da noite”, relata. A jovem ainda faz catequese, participa dos ensaios da Orquestra Municipal e do Grupo Folclórico Alemão Frohsinn, do qual participa desde os dois anos. Às quintas-feiras, tem aulas de bateria com o professor Joner Westenhofen.

Orgulhosa por acompanhar a evolução da filha junto ao instrumento que escolheu, Claudete ressalta que o amor pela música sempre esteve bastante presente na família. “Meu pai, avô da vitória, tinha a bandinha Irmãos Telöken e o avô paterno também toca gaita e se apresenta”, conta. Claudete toca violão e gaita e, atualmente, integra junto com a irmã Janete, o grupo que anima as missas da comunidade. “Tenho bastante orgulho de minha filha. Neste ano ela foi convidada pelo professor Cristiano para tocar bateria e percussão junto da Orquestra Municipal. A gente tem de incentivar e mostrar o caminho certo”, declara. Claudete se emociona ao lembrar da primeira apresentação da filha na Feira Gastronômica no ano passado e ressalta que sempre a apoiará para seguir seu sonho.

Por daiane