Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 22 de Novembro de 2019

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Evento

Comunidade São Caetano festeja o padroeiro neste domingo

, 2 de agosto de 2019 às 9h04

A Comunidade Católica São Caetano, Arroio do Meio, realiza neste domingo, mais uma edição da sua tradicional festa comunitária em honra ao padroeiro. A programação inicia com missa às 9h45min com a presença do padre Silvério Schneiders, filho da comunidade, e participação do coral da paróquia. Ao final da missa, a imagem de São Caetano segue em procissão até o PA-Rural, onde continua a festa.

Ao meio-dia será servido almoço com churrasco, pratos quentes e saladas. Cartões ainda podem ser adquiridos ao valor de R$ 26 para adultos e R$ 13 para crianças de 6 a 11 anos. No salão também haverá tudo premiado, sorteio de brindes e integração. Na parte externa, os integrantes do grupo Jovens de São Caetano em Ação (Josca) disponibilizam brinquedos para as crianças. A animação da tarde fica por conta do Contagem Regressiva, sem a cobrança de ingresso.
O presidente da comunidade, André Rosenbach, convida a todos os associados e moradores em geral para participar da programação, um momento festivo e de integração comunitária.

Preparação

A programação da comunidade em honra ao padroeiro iniciou ainda na manhã do domingo, 28, com a peregrinação da imagem de São Caetano. Uma carreata partiu da igreja e foi em direção ao Passo do Corvo, onde foi celebrada missa. Na noite de terça-feira, uma comitiva com a imagem de São Caetano foi em direção à Dona Rita, onde houve celebração de missa na Lancheria Dona Rita. Ontem à noite, a imagem foi levada ao São José de Palmas e, hoje, os moradores da localidade levam-na de volta para a igreja, onde terá missa às 19h30min.

A ideia da diretoria, segundo o presidente André Rosenbach, é fazer da semana que antecede a festa um momento voltado para a espiritualidade, aprofundando o sentido comunitário e pastoral. Relata que a ação tem sido bem aceita pela comunidade e que a novidade foi inspirada na peregrinação da padroeira da paróquia e também no tríduo que a comunidade de Navegantes realiza em preparação à sua festa anual. As missas que são celebradas nestes locais também apresentam um formato diferenciado, pois é apresentada parte da história da Comunidade São Caetano. “Como temos muitos moradores novos, achamos interessante contar como a nossa comunidade começou”, afirma André.
A Comunidade Católica de São Caetano, engloba, além do bairro, as localidades de Passo do Corvo /Cascalheira, São José de Palmas e Dona Rita, totalizando cerca de 650 sócios.

O histórico

A Comunidade Católica de São Caetano iniciou as atividades em 5 de julho de 1910, juntamente com a escola, a Katholiche Schulegemeinde, atual escola São Caetano. A primeira ata foi registrada em 20 de dezembro de 1910, assinada pela primeira diretoria, composta por João Bruxel, Peter Brentano, José Schmitz e o vigário Petrus Gasper (presidente de honra). Na data foram redigidos os primeiros estatutos, em língua alemã. A primeira escola/capela era de madeira. Em 1920 foi construído o primeiro prédio de alvenaria mista, demolido em 1996 para a construção da atual igreja.

Ao longo de muitos anos, a história da comunidade andou lado a lado com a da escola. A cultura alemã predominava. Tanto que só em 1952, as atas começaram a ser redigidas simultaneamente na Língua Portuguesa e Alemã. A partir de 1966 os professores começaram a ser pagos pelo governo e a comunidade escolar pagava uma taxa de matrícula, que a diretoria aplicava onde era necessário. Em 1968 a escola recebeu um prédio próprio, desvinculando-se do prédio da capela, que passou a ser usada exclusivamente para missas, cultos e velórios. Naquele ano a capela foi reformada e ampliada e a comunidade contribuiu para a aquisição de cadeiras.

Até 1982 a Comunidade de São Caetano pertencia à Matriz. A partir de 28 de setembro de 1982 a comunidade se tornou independente, passando a cobrar anuidades e tendo limites territoriais: ao leste o rio Taquari, ao norte até a escola de Palmas Sul, seguindo o travessão do Morro Gaúcho até a Rua D. Pedro II; ao sul a avenida Carlos Suhre, entrando na rua do The Horse, até o rio Taquari.

A igreja atual foi construída em 1996. O projeto foi feito gratuitamente pelo arquiteto Roni Brentano, filho de Hugo e Lira Brentano, e sua estrutura lembra a Arca de Noé. Novamente a comunidade se envolveu e cada sócio trabalhou três dias gratuitamente para a conclusão da igreja. A obra foi concluída com o valor obtido com a venda de uma área de terras, do outro lado da ERS, pertencente à comunidade.
A inauguração oficial ocorreu em 5 de agosto de 2001, com missa festiva e uma grande festa comunitária. No ano seguinte, também em agosto, foi inaugurada a capela mortuária, cujo projeto foi feito, gratuitamente, pelo engenheiro Klaus Werner Schnack que, assim como Roni, é filho da comunidade.

Por daiane