Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 18 de Setembro de 2019

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Apartes

Educação que transforma

28 de junho de 2019 às 9h17

Não resta a menor dúvida que há muitas iniciativas boas na área da educação. Aqui mesmo em Arroio do Meio, a educação está permanentemente na agenda. Em termos regionais, recentemente, foram trazidos especialistas em educação de âmbito nacional para debater e trocar ideias sobre como melhorar os índices de aprendizagem, especialmente no Ensino Fundamental e Médio para um preparo melhor ao Ensino Superior.

Sabe-se que nenhuma nação alcança um nível de desenvolvimento significativo se não investe de forma sistemática e pesada em educação e ensino de qualidade. Não se pode politizar a educação e nem imaginar que se faz educação em curto e médio prazo.

Números divulgados na semana passada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística revelam dados desanimadores: mais da metade da população do Brasil, com 25 anos ou mais, sequer concluiu o ciclo básico. Ainda temos 11,3 milhões de brasileiros que não sabem ler e escrever, ou seja, a taxa de analfabetismo, que deveria ter caído em 2015 para 6,5%, no ano passado ainda estava em 6,8%.

Pelos dados apresentados pela Pesquisa Nacional de por Amostra de Domicílios ( Pnad ) o Rio Grande do Sul ainda conta com 281 mil analfabetos (3%) na faixa etária de 15 anos ou mais. Mas é na faixa etária de 60 anos ou mais que os índices do Rio Grande do Sul são mais desconfortáveis porque são de 8%.

 Analfabetos funcionais

Soma-se a estes índices de analfabetos – pessoas que não sabem ler ou escrever, os funcionais, termo mais recentemente usado para denominar as pessoas que tem dificuldades para entender, decodificar, textos curtos e habilidades matemáticas. Estima-se que cerca de 38 milhões de pessoas, jovens e adultos de 15 a 64 anos sejam analfabetos funcionais.

Carência de valores

Se um dos grandes desafios é investir de forma contundente no Ensino Básico, para que o aluno aprenda a dominar Português e Matemática, é preciso reforçar o que se chama de base de valores éticos para nortear a educação na família e escola. Estamos vivendo um período de mudanças, e a natureza da vida é de ciclos. A mudança é uma necessidade e pode representar um movimento positivo na medida em que nos deparamos com crises de toda a ordem. No processo de transição de um ciclo para outro é importante que tenhamos em mente que há valores perenes e outros transitórios. Nos perenes e que nos conduzem a uma sociedade em evolução, mais justa e fraterna, os valores éticos e morais, influenciam e quando são a base para o conhecimento tornam a vida mais saudável, mais pacífica.

Nesta narrativa, valores como ética, justiça, dignidade, respeito, verdade, responsabilidade, honestidade, solidariedade, autodisciplina, confiança, amor, compreensão, fraternidade, coerência, quando trabalhados de forma permanente como base dos conteúdos vão formar cidadãos muito mais preparados para a vida e para vencer os desafios profissionais.Reforma

Padrão para Estados e Município

O prefeito Klaus Werner Schnack espera que ainda sejam incluídos no Relatório da Comissão da Reforma da Previdência a ser votada e debatida na Câmara, Estados e Municípios. Ele entende que se a Reforma não atingir estados e municípios, ficando só no âmbito federal, os efeitos não serão os mesmos e em pouco tempo, a União terá que socorrer os estados e municípios que estão em dificuldades. Este socorro, vai penalizar os que estão organizados.” Em Arroio do Meio a maioria dos funcionários já está no Regime Geral, mas se a Reforma ocorrer com a inclusão de todos, será mais justa e eficiente, porque se equipara à iniciativa privada, trazendo benefícios para todos. Klaus disse que falou com deputados que têm base eleitoral local, manifestando sua posição sobre a importância da votação.

Por daiane