Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 20 de Junho de 2019

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Geral

1º Encontro do Consulado Nada Vai nos Separar

, 3 de junho de 2019 às 8h00

Colorados de toda a região vivenciaram no último sábado, dia 25, no Clube Esportivo Travesseirense, um pouco da atmosfera do Estádio Beira Rio, no 1º Encontro do Consulado Nada Vai nos Separar, do Sport Club Internacional do município de Travesseiro.

Mais de 400 pessoas puderam conhecer, registrar fotos e pegar autógrafos com os ex-jogadores Iarlei e Índio, multicampeões nos principais títulos internacionais do clube, além de Fabiano Souza (herói nos 5×2 num Grenal de agosto de 1997), Airtão Caixão, Pinga e Iorra, o jornalista Fabiano Balsasso e da musa regional Danielle Mallmann. Também puderam ver de perto taças, o ônibus, o Saci Oficial, entre outros.

De acordo com o cônsul, Anderson Southier, o Kako, foi um orgulho e muito gratificante receber atletas consagrados que inspiraram a torcida num momento de glória do clube. O evento também resultou numa ação beneficente em favorecimento do Hospital de Marques de Souza, com a doação de alimentos não perecíveis. Atualmente, o consulado local conta com aproximadamente 40 sócios, sendo que cerca de 10 foram filados no evento. O sócio tem preferência na compra de ingressos. As mensalidades variam de R$ 25 a R$ 250 (este último para cadeiras locadas). O consulado de Travesseiro funciona em parceria com Marques de Souza, município onde o principal líder é Leandro Schneider, o Chaveirinho.

Em entrevista ao AT, o ex-volante, Fabiano Souza, 44 anos, que hoje atua na comunicação social do clube, destacou a constante aproximação com consulados em todo o RS e Brasil para manter a identidade forte perante à torcida, o que ajudou a reger o time, pouco tempo após o rebaixamento. “A história, a estrutura e a torcida ajudaram o clube a voltar a ser protagonista nas principais competições na disputa por títulos. A recente sequencia é boa, as vitórias deram tranquilidade para o plantel chegar firme para jogos difíceis que ocorrerão no decorrer da temporada”, dimensiona.

Já o zagueiro Índio, 44 anos, atua no ramo de obras imobiliárias e é funcionário do Internacional em ações corporativas. Em uma rápida conversa com o prefeito Genésio Roque Hofstetter, o Neco, o jogador falou como é bom estar num município como o de Travesseiro, que lembra muito sua cidade natal Aracaí/SP, especialmente pela simpatia das pessoas e receptividade. Os dois avaliaram que os políticos e esportistas, sofrem mais pressão em torno do comportamento na vida pessoal, quando os resultados profissionais não estão favoráveis, mas não são questionados quando o momento é bom. Neco que é gremista, mas com a esposa colorada, ainda destacou sua admiração pelo zagueiro, e a tensão sentida nos grenais.

Morador do RS há 18 anos, Índio, que foi cortador de cana antes de virar profissional, avalia que ainda há espaço para os meninos do interior no futebol, embora a forma de acesso esteja em constante mutação sem regras definidas. “É preciso batalha e lutar pelos objetivos”, ressaltou.

O evento contou ainda com um ato institucional do clube, com agradecimento aos organizadores, torcida presente e ex-jogadores. Na sequência ocorreu a apresentação da banda Ataque Colorado, com versões de rock de marchinhas da charanga da torcida organizada. Embora direcionado a colorados, muitos gremistas de Travesseiro prestigiaram o evento qualificando a iniciativa.

Por daiane