Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 19 de Setembro de 2019

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Política

Senador Heinze mobiliza militância para eleições municipais

, 3 de maio de 2019 às 9h29

Na sexta-feira, dia 26, o senador Luís Carlos Heinze (PP), esteve em Arroio do Meio, para um encontro com correligionários do Progressistas. Estiveram presentes, representantes regionais do Executivo e Legislativo, assessores parlamentares, diretores de entidades, líderes e militantes em geral. O encontro ocorreu no Restaurante Trevo II, no bairro Aimoré.

O senador Heinze agradeceu a votação expressiva que fez na Região, alcançando 5.201 votos, somente em Arroio do Meio, e usou como exemplo a própria trajetória, ao ter de mudar, de última hora, suas intenções de candidatura ao Governo do RS, para mobilizar o grupo a conquistar e reconquistar prefeituras e Câmaras de Vereadores na eleição de 2020.

Segundo ele, as coligações para o próximo pleito serão mais difíceis e, por isto, defendeu uma organização antecipada do partido. “Muitas vezes erramos em não acreditar na nossa gente. Não podemos puxar o nosso próprio tapete. O partido que não tiver candidatura própria vai acabar”, dimensiona.

O senador ainda se mostrou um pouco desapontado pelo partido perder a oportunidade em reassumir governo do RS após 30 anos. “Não sou um caco. Os resultados das eleições para o senado evidenciaram que, mesmo saindo da 5ª colocação, é possível evoluir quando se sabe onde se quer chegar. Meus eleitores são jovens de 16 anos a idosos com mais de 100 anos. Manifestei meu apoio ao Bolsonaro, após olhar para minha base eleitoral. Nunca fiz campanha eleitoral na Região Metropolitana, Vale dos Sinos e Serra Gaúcha, e pedi voto na rua. É preciso acreditar. Sem mobilização ninguém ganha eleição. O PP que é o maior em representantes com cargo, precisa crescer em vereadores e prefeitos. Vim ajudar. Precisamos nos concentrar em cima dos assuntos e discutir soluções, como a necessidade de concessões de portos, aeroportos, estradas, hidrovias e ferrovias, para iniciativa privada, uma vez que Estado e União não têm capacidade de realização de obras, e a logística encarece muito nosso custo de produção”, reitera.

Entre os projetos, Heinze cita um estudo para implantação de um porto em Torres, no litoral norte. “SC tem cinco portos e nós temos apenas o de Rio Grande que fica distante. A concorrência é saudável”, explica. Outra preocupação é com a geração de energia elétrica, considerando que o RS importa mais de 50%.

Outra linha de atuação será em torno da renegociação da dívida do Estado, especialmente em torno da lei Kandir e débito fiscal. “É inadmissível ter de pagar 1000% de juros quando inflação do período foi de 300%. Vamos buscar o apoio de outros estados para mais força na pressão, para pagar melhor o funcionalismo, e não comprometer o atendimento na saúde, segurança e educação”, explica.

Situacionista, explica que, enquanto a Câmara discute a reforma previdenciária, o Senado já inicia a discussão da reforma tributária, que devem ir à votação em três meses. Entre modificações no texto original estão a flexibilização da manutenção dos principais direitos dos pequenos produtores rurais e maior foco em limitar os altos salários, especialmente do Legislativo, Executivo e Judiciário.

O senador explica que, após 30 anos de políticas esquerdistas, é preciso dar atenção às empresas, facilitando a abertura de mercado, e geração de emprego e renda, relevando a dívida pública de R$ 4,5 trilhões e 13 milhões de desempregos. Outro destaque é o pacote anticorrupção e desburocratização das ações dos ministérios.

O presidente do diretório local do PP, José Elton Lorscheiter, o Pantera, lembrou do encontro do partido em 10 de novembro de 2017, quando conheceu Heinze, então pré-candidato ao Governo Estadual. “Na época ele dizia que nunca tinha perdido uma eleição e que não seria naquela oportunidade. Temos orgulho em tê-lo como senador e a certeza de que é uma pessoa correta, digna e trabalhadora”. Pantera também apresentou novos filiados e valorizou os membros mais tradicionais, reforçando o empenho recente de uma emenda de R$ 100 mil encaminhada pelo parlamentar ao Hospital São José.

O vereador de Encantado, Diego Pretto, explicou que o senador será essencial para unir o partido para as eleições de 2020 e atender as demandas do Vale do Taquari que não possui representantes na Câmara dos Deputados e Assembleia Legislativa.

O diretor de Captação de Recursos e Projetos Especiais de Lajeado, Isidoro Fornari, observou que Heinze é bastante participativo e não vem para a Região só no período eleitoral, e que a vitória após uma candidatura de última hora, exemplifica o poder de ação e atuação do congressista nas pautas públicas.

O ex-prefeito de Arroio do Meio, Danilo Bruxel, destacou que foi o próprio senador que pediu para estar em Arroio do Meio, o que demonstra que é um político diferente. Bruxel, que já conhecia o congressista da época que administrou o município, qualificou sua franqueza e ajuda às cooperativas. “Nos orgulha ter bons representantes no partido. Ainda pode ser nosso futuro governador”, disse.

A suplente da Câmara de Vereadores de Arroio do Meio e representante da mulher progressista, Juliana Gasparotto, destacou os posicionamentos fortes do senador em defesa da gestão, trabalho e oportunidades.

O assessor de Afonso Hamm, Jadir Scheffer, lembrou da ‘correria’ em torno do apoio à candidatura ao Senado, oficializada em Forquetinha, e que só evoluiu porque o grupo estava de mãos dadas.

Na mesma linha, também se pronunciaram o vice-prefeito de Encantado Paulo Costi e Gustavo Kasper, que é o assessor do deputado federal, Jerônimo Goergen.

Por daiane

Senador Luís Carlos Heinze usou como exemplo a trajetória política pessoal para provocar militantes do Progressistas de Arroio do Meio e da Região