Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 18 de Novembro de 2019

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Especial

Presidente da Languiru recomenda aos gestores públicos desburocratização e investimentos estruturais

, 25 de maio de 2019 às 9h36

da Cooperativa Languiru, uma das maiores do Estado, prospecta avanços para a economia brasileira nos próximos meses. Especialmente, se forem aprovadas as reformas da Previdência e a Tributária. Para que o potencial de crescimento econômico previsto para os próximos meses seja aproveitado ao máximo, Bayer recomenda aos gestores públicos desburocratizar o setor e fazer investimentos estruturais, para dar melhores condições à população. Confira a entrevista.

AT – Como a Languiru se situa no atual cenário econômico em relação à capacidade física produtiva e previsão de novos investimentos?

Dirceu Bayer – O segmento do agronegócio vem sendo impactado fortemente pela recessão econômica que assola a nação brasileira, assim como pelas oscilações do custo da matéria-prima, tão necessária para fomentar o negócio da Cooperativa. Logo, o reflexo destes custos é transferido para a indústria, que inevitavelmente eleva seu custo de produção, não podendo transferir, contudo, esse impacto em vista do cenário econômico que se apresenta. Eis aqui uma grande vantagem do sistema cooperativo que, apesar das constantes dificuldades, busca absorver esses impactos na intenção de minimizá-los ao seu cooperado, assim como ao consumidor final, que não tem como absorver o peso desta conta.

Outro fator de relevância, que contribui com a desestruturação do setor, está relacionado à fluidez da moeda americana, comprometendo, muitas vezes, a execução dos planejamentos traçados.

Da mesma forma, as intempéries são inevitáveis e exigem estratégias de gestão pontuais a ponto de não comprometer o negócio.

No entanto, por meio da sua diversificação de atividades econômicas, permitindo o equilíbrio dos seus negócios em momentos de crise de determinado setor, a Languiru vem mantendo um crescimento linear ao longo dos anos, tendo o constante apoio do seu quadro social, que acredita e corrobora com os projetos da Cooperativa, o que é fundamental para que haja o desenvolvimento desejado. Um exemplo prático desta relação de confiança estabelecida entre cooperado e cooperativa é o investimento que vem sendo realizado na ampliação do segmento avícola da Languiru, por meio do aumento da capacidade produtiva do Frigorífico de Aves e, em paralelo, a instalação de novos aviários pelo quadro social.

Em suma, a Cooperativa Languiru exerce, com afinco, o seu compromisso de, cada vez mais, contribuir com o desenvolvimento local, tendo, inclusive, empreendimentos instalados no município de Arroio do Meio e arredores, como forma de atender cada vez melhor o seu quadro social e contribuir com o fortalecimento do sistema cooperativo nos Vales.

AT – Quais projeções o senhor faz para a economia, ainda em 2019 e a partir de 2020?

Dirceu Bayer – Para 2019, o cenário indica uma lenta e gradual retomada do crescimento econômico, a partir do segundo semestre.

Há uma grande expectativa relacionada às reformas previstas pelo governo federal, cujo reflexo afetará o poder de compra do consumidor, logo, a recuperação da economia, de modo geral, estará atrelada a estas ações governamentais.

Para 2020, a expectativa é de que a economia continue em ascensão e que as empresas possam, por meio da redução da carga tributária e do aquecimento do mercado, expandir seus negócios.

AT – Na sua opinião, qual o peso das reformas – da Previdência e Tributária – para a economia e o desenvolvimento social?

Dirceu Bayer – As reformas da Previdência e Tributária serão cruciais para que o país possa vislumbrar um ambiente propício para o desenvolvimento econômico, tendo em vista que as medidas impactam positivamente na geração de empregos, logo, reduzindo o índice do desemprego, permitindo que famílias tenham mais qualidade de vida e segurança econômica.

AT – Como o senhor vê os rumos dos governos Jair Bolsonaro, Eduardo Leite e Klaus Schnack? Quais recomendações faria?

Dirceu Bayer – Primeiramente registrar que há um clima de otimismo da população brasileira, tanto no âmbito nacional, quanto estadual e local. Com certeza, os rumos dos atuais governantes dependerão de suas ações enquanto gestores da máquina pública, um desafio constante na busca pelo desenvolvimento. As recomendações aos gestores públicos resumem-se à desburocratização do setor, seguido a de investimentos estruturais, a exemplo de estradas, para dar melhores condições à população, haja vista a sinalização do crescimento econômico para os próximos meses.

Por daiane