Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 13 de Outubro de 2019

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Especial

Família Telöken, unida e dedicada à encenação, desde a primeira edição

, 18 de abril de 2019 às 8h38

Desde o início do ano, um grupo grande de voluntários da comunidade do distrito de Forqueta, Arroio do Meio, se empenha em preparar o espetáculo que consolidou-se como a maior encenação religiosa do município. Trata-se da “Paixão de Cristo”, que ocorre no Cenário da Lagoa e que chega, neste ano, à sua 22ª edição.

Conforme a organização, a encenação envolve mais de 120 pessoas, contando contrarregras, ajudantes externos e atores. São desde crianças, até idosos. Todos envolvidos e empenhados em levar ao público um momento de fé e emoção.

Foi envolvido nesse propósito que ,em 1997, Guido Telöken, 68 anos, vestiu-se como o capitão dos soldados para participar do espetáculo, a convite da filha Claudete. Ela fazia parte do grupo de jovens de Forqueta, que organizava a primeira encenação da Via-sacra e participa atualmente interpretando Verônica.

Telöken é a pessoa mais velha que atua no grupo e lembra que as primeiras edições ocorreram no campo de futebol sete da localidade, reunindo cerca de 600 pessoas. Logo o lugar tornou-se pequeno. De lá, passaram para o campo grande do Forquetense e, hoje, têm seu espaço consolidado no Cenário da Lagoa. “Antes fazíamos o palco com madeira e lona, hoje temos todo o cenário construído”, compara. Ele lembra que a indumentária evoluiu muito. No início, os soldados compunham os trajes com as roupas dos coroinhas da igreja e faziam o capacete com bornal.

Guido também acompanhou o crescimento do número de atores e pessoas envolvidas e, na família Telöken, o que começou com pai e filha, motivou a participação de mais integrantes. Hoje, também sobem no palco, a filha, Janete, que integra o grupo de mulheres, os genros, Odair e Evandro, que fazem os papéis de Pedro e do discípulo Felipe e, a netinha Vitória, de 9 anos. Ela começou bem pequena, no grupo das crianças da encenação e, em 2019, será a sua sexta apresentação.

A matriarca, Asta Telöken, 67 anos, participa de forma diferente dos demais. Em vez do palco, ela tem seu lugar cativo na plateia e acompanha cada detalhe da encenação. “Eu sinto que se eu estiver no palco, perco algo muito grande. Eu me emociono tanto e choro. A minha confissão é naquela noite e isso é a Páscoa”, relata. Asta se orgulha muito em ter a família toda engajada na encenação.

Além dos Telöken, outras famílias se mobilizam para participar da Via-sacra. O clima entre os intérpretes e voluntários é sempre de muita amizade e devoção. “Nenhum personagem é mais do que o outro. Desde Jesus, até o menino que traz a água, todos somos iguais”, encerra Guido.

Tudo pronto para

a encenação

 

A 22ª Edição do Espetáculo a “Paixão de Cristo”, ocorre no Cenário da Lagoa, no distrito de Forqueta às 20h. A entrada é franca, mas o espectador pode realizar uma doação espontânea.

Segundo Paulo Roberto Haas, maestro, regente e Coordenador do espetáculo, o evento costuma atrair público de toda região e já contou, em anos anteriores com caravanas do Vale do Rio Pardo. A expectativa é também atingir espectadores da região Metropolitana pois, no período, muitas pessoas retornam ao Vale do Taquari, em função do feriado.

Na abertura, antes da encenação, haverá apresentação da Orquestra Municipal de Travesseiro. “Não haverá, como de costume e tradição das demais edições, a cobrança de ingressos, porém pede-se a colaboração espontânea para podermos dar continuidade e melhoramento nas próximas edições. É importante levar cadeiras, agasalhos e afins para assistir a tudo com mais conforto”, orienta Haas.

O cenário, onde ocorre toda a encenação, tem 500 metros quadrados e foi projetado com elementos naturais, para dar originalidade à história bíblica. Para a edição deste ano, a organização fez inúmeros ajustes, além de programar efeitos especiais, o show musical que antecede, figurinos e roteiro. Nestes dois últimos, também haverá novidades.

“Poder representar a história de um homem que nada mais queria além de pacificar a nossa passagem no mundo, no caso falando da figura de Jesus Cristo, é algo que emociona todos os participantes. Os exemplos de amor e doação da figura de Jesus, sendo Ele filho de Deus ou não, para os que acreditam nessa doutrina, traz um caminho certo para uma convivência harmoniosa, num mundo cheio de violência, egoísmo, petulância frenética e busca por poder e dinheiro, isso falando dos dias atuais”, salienta Hass.

A comunidade é convidada a prestigiar a Via-sacra de Forqueta. Mais informações, assim como o vídeo promocional do espetáculo, podem ser conferidas no facebook, na página @cenariodalagoa.

Por daiane