Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 15 de Novembro de 2019

O Alto Taquari - Cotidiano

Jornal da Semana
Cultura

Escritor e historiador divulga viagem para a terra dos imigrantes

, 5 de abril de 2019 às 14h10

O escritor e historiador, Felipe Kuhn Braun, 31 anos, vereador de Novo Hamburgo, está divulgando uma viagem, programada para o período de 11 a 22 de novembro, com destino às regiões de onde vieram os imigrantes alemães, que colonizaram várias cidades do RS. O passeio será direcionado, com um grupo de 15 a 25 pessoas.

Braun, que é um dos maiores pesquisadores da imigração alemã no Estado, por meio de sua agência de viagens Hamburgo Turismo, formatou um roteiro que passará por Frankfurt, Wiesbaden, Mainz, Bad Kreuznach, Bacharach, Koblenz, Kologne e Aachen, contemplando ainda o Hunzrück e arredores.

Serão feitas visitas na Goethe Haus (do autor e estadista Johann Wolfgang von Goethe), mosteiros, vinícola Eberbach, uma das mais antigas da Europa, Museu de Gutenberg (o pai da imprensa), catedrais de Mainz e Kohl, castelos de Rheinstein e Ehrenbreitstein, com city tours, bondinhos, visitas prédios públicos e casas de personalidades históricas. Tudo isto acompanhado do conhecimento in loco, com explicações detalhadas, feitas por Braun, a respeito da vida que os antepassados levavam na época, contextualizações históricas e contemporâneas.

O escritor também destacará a preservação e investimentos tecnológicos feitos nos prédios históricos, museus e acervo, apesar de terem sofrido com recorrentes guerras desde o Império Romano, devido ao posicionamento centralizado do país na Europa.

O custo da viagem será de R$ 15 mil, podendo variar de acordo com algumas cotações. O pagamento pode ser feito por boleto, em oito parcelas, ou entrada de 10% e nove parcelas sem juros. E ainda desconto de 5% sobre o pacote excluindo a passagem aérea. O contato é pelo fone 51 99971-1456, e-mail felipe.braun@hamburgoturismo.com.br ou site www.hamburgoturismo.com.br.

LIVROS NOVOS – O escritor está divulgando seu 16º livro, intitulado Preservando Fragmentos do Passado. Lançado no segundo semestre de 2018, o livro descreve sua trajetória enquanto pesquisador. Nesse período foram quatro viagens para a Alemanha, 680 famílias visitadas, 38 mil fotos antigas e 400 mil nomes levantados. Braun destaca que o idioma germânico possui 560 mil palavras, 30 mil acima do português e 260 mil a mais que o inglês. A língua inglesa é mais simples, pois tem maior influência do latim.

Em 2019, Braun deve lançar, pelo menos, outros dois livros. Um deles sobre a história do município de Tupandi e outro sobre as Irmãs da Congregação de Santa Catarina no RS. Fundada na Prússia, a sede da congregação foi destruída durante a 2ª Guerra Mundial, mas foi importante no apoio aos Jesuítas, por levar professoras e enfermeiras em diversas partes do mundo, incluindo o Brasil.

Outro lançamento para este ano, ou 2020, será a coleção de livros de árvores genealógicas. O primeiro será com sobrenomes que começam com a letra “A”, que totalizam 24 famílias e mais de quatro mil nomes. O historiador também tem palestrado em encontros de família, detalhando a história, movimento de migração e atividades desenvolvidas pelos antepassados.

CURRÍCULO – Braun é graduado em Jornalismo pela Universidade Feevale, Coordenador de Genealogia do Museu Histórico Visconde de São Leopoldo e colaborador do Instituto de Pesquisas Históricas da Universidade de Mainz, na Alemanha. Faz parte do Grupo de Estudos de Histórias sobre Brasil e Portugal, da Faculdade de Filosofia e Letras da Universidade de Buenos Aires, na Argentina. Atua como representante do Rio Grande do Sul, na Diretoria da Badisch- Südbrasilianische Gesellschaft, entidade com sede em Karlsdorf-Neuthard (na Província alemã de Baden-Württembe

Por daiane