Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 23 de Setembro de 2019

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Agricultura

Indenizações a produtores de leite crescem em 2018

, 18 de janeiro de 2019 às 9h16

O Fundo de Desenvolvimento e Defesa Sanitária Animal (Fundesa) anunciou na terça-feira, durante Assembleia Geral Extraordinária, o aumento de recursos destinados a indenização de produtores de leite em 2018 com relação a 2017. O ano fechou com R$ 4,2 milhões designados a erradicação de animais positivos para tuberculose ou brucelose – 9,64% a mais do que no ano anterior. Esses números, de acordo com o secretário-executivo do Sindicato da Indústria de Laticínios (Sindilat), Darlan Palharini, sinalizam que os criadores estão cada vez mais conscientes sobre a importância da eliminação dessas zoonoses no Estado.

O valor que coube às indenizações no setor leiteiro corresponde a mais de 60% do valor utilizado nas quatro cadeias que compõem o Fundo (aves, suínos, pecuária de corte e pecuária de leite) – R$ 6,5 milhões. Para o presidente do Fundo, Rogério Kerber, os números demonstram que o Rio Grande do Sul está trabalhando com muita competência para redução na incidência da tuberculose e da brucelose nos rebanhos. Além disso, para Kerber, os dados também enfatizam que os criadores vêm trabalhando o saneamento em suas propriedades.

Na ocasião, o Fundesa divulgou o saldo do fundo que fechou o ano em R$ 84,84 milhões, com o ingresso de R$ 10,5 milhões em contribuições de produtores e indústrias.

Sete bovinos

Em Arroio do Meio, no ano passado, foram registrados sete bovinos contaminados, em duas propriedades. Para receber a indenização, seja do município ou do Fundesa, os animais devem ser testados e atender os requisitos do programa.

Por daiane