Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 11 de Dezembro de 2018

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Economia

13º salário: maioria dos entrevistados vai guardar

, 1 de dezembro de 2018 às 9h30

No Brasil, a jornada de trabalho da maioria das carreiras formais é calculada por semana e a remuneração mensal é estipulada em quatro semanas laborais. Para muitos líderes sindicais, o 13º salário é uma conquista importante dos trabalhadores, pois faz justiça com as 52 semanas existentes em cada ano.

O recurso extra continua sendo essencial para organização das contas pessoais. E com o orçamento tranquilo, as pessoas são mais generosas e se permitem aproveitar melhor as férias familiares e festas de fim de ano. Recente pesquisa da CNDL/ SPC Brasil mostra que a maioria dos trabalhadores, 27%, vai economizar o dinheiro do 13º salário. Outros 23% vão gastar com presentes de Natal, 17% quitar dívidas em atraso e 11% vão priorizar pagamento de impostos e tributos de início de ano.

CDL destaca importância da divulgação de ofertas

De acordo com Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Arroio do Meio, em âmbito municipal, a maioria das pessoas usa a primeira parcela para liquidar as contas e a segunda parcela para fazer compras.

A presidente Leonísia Kunzler, explica que geralmente, a partir do dia 20 do próximo mês que dá um aumento no volume de vendas. “Para garantir que o consumidor saiba onde investir seu dinheiro, as lojas precisam divulgar seus produtos nas redes sociais, jornais, rádios e também em veículos de som. O uso dessas ferramentas de divulgação assegura resultados satisfatórios. Além disso, o comércio utiliza recursos como descontos consideráveis nas compras à vista e nas compras a prazo ampliação do parcelamento para garantir que o cliente não saia de mãos vazias”.

Final de ano, com o período de festas, aliado ao 13º salário, aumenta o poder de compra das pessoas, e isso sempre gera uma expectativa maior nas vendas. Até porque, esse período é um dos campeões de vendas do comércio.

Supermercados devem absorver 20%

A expectativa é de que R$ 13,7 bilhões sejam injetados na economia do RS a partir do pagamento do 13º salário. Os supermercados gaúchos já iniciaram a preparação de suas lojas para a chegada daquele que tradicionalmente é o melhor período de vendas do ano, as festas de Natal e Ano Novo. Um levantamento da Associação Gaúcha de Supermercados (Agas) mostra que 92,3% dos consumidores gaúchos pretendem realizar compras em supermercados para as festas de fim de ano, o que impulsiona uma projeção otimista de crescimento de 3,6% nas vendas do setor, na comparação com o Natal e Ano-Novo de 2017. Os caixas dos supermercados deverão absorver cerca de 20% (ou R$ 2,7 bilhões) do 13º dos gaúchos, sobretudo em compras de itens típicos para as festas, como aves natalinas, bombons, espumantes, lentilha, bebidas e presentes, que vão representar 15,2% das vendas. Além disso as vendas de produtos categorizados como “não alimentos” como brinquedos, eletrodomésticos e itens de bazar devem ter destaque. Chamam a atenção as projeções para cervejas (+4,8%) e carnes bovinas (+4,7%). Ainda de acordo com a pesquisa, 90% dos supermercadistas vão fazer algum tipo de promoção no período de festas.

A ocorrência da véspera de Natal (dia 24/12) em uma segunda-feira vai garantir três dias de grande movimento nos supermercados. Os consumidores terão sábado, domingo e segunda para garantir suas compras, ampliando em um dia, o leque de compras de última hora. Isso ocasionará um número maior de visitas ao ponto de venda e, consequentemente, melhores vendas para o setor. As famílias gaúchas vão gastar, em média, R$ 330,59 em alimentos para as festas.

Ao contrário do ano passado, quando a maioria dos consumidores optaram por realizar as compras à vista, em 2018 as festas vão ter 58,8% dos gaúchos comprando a prazo.

Ao todo, serão criadas 3,2 mil vagas de trabalho temporário no setor para o período de Natal, ano novo e veraneio. Cerca de 15% destes temporários deverão ser efetivados. O segmento já emprega atualmente mais de 97 mil pessoas somente no Rio Grande do Sul.

Por daiane