Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 25 de Novembro de 2020

O Alto Taquari - Esportes

Jornal da Semana
Futebol Amador

Iarley: jogar futebol é pura alegria

, 21 de setembro de 2018 às 11h13

No domingo, dia 16, os torcedores do clube Sete de Setembro de São Caetano de Arroio do Meio e apreciadores de um bom futebol, puderam prestigiar a estreia de segundo atacante Iarley, ex-jogador profissional, consagrado no Internacional, onde foi campeão da Libertadores e do Mundial Interclubes.

Aos 44 anos, o cearense Pedro Iarley Lima Dantas, reside em Porto Alegre, e vem atuando como coordenador da equipe sub-20 do Inter, e como jogador da Série Prata de Futsal. O convite para disputar o campeonato amador regional pelo Sete nos 86 anos do clube, veio do amigo Gilnei Jung, comerciante e ex-goleiro ligado ao futebol amador arroio-meense. Sua inscrição foi anunciada pela diretoria do clube no início de julho e aguardada com expectativa pelo público. Obviamente que devido aos compromissos oficiais com o clube da Capital, Iarley não teve e nem terá como disputar todos os jogos pelo Sete, por isso sua estreia só ocorreu na última rodada da fase de classificação.

Em campo, diante do Independente de Cruzeiro do Sul, Iarley mostrou porque teve uma carreira vencedora. Na terceira vez que tocou na bola, deixou o centroavante Diego Marder pifado para marcar. “É um craque diferenciado na movimentação, posse da bola e qualidade de passe. Dificilmente um marcador do futebol amador consegue desarmá-lo e acompanhar seu pique”, avalia o repórter esportivo do AT, Júlio Alberto Gerhardt.

O treinador José Elton Lorscheiter, o Pantera, afirma que a participação do jogador foi fundamental para a vitória, com duas assistências e fortaleceu a equipe. “Ele sabe o que faz com a bola, usa os espaços vazios de forma inteligente. Além disso é carismático e simples nas atitudes, desde a concentração no vestiário, a uma atenção especial aos torcedores, lembrando que seu cachê de R$ 1 mil será doado na forma de cestas básicas para a entidade assistencial Valentes e Davi do bairro Restinga, que ajuda crianças carentes e doentes. Algo formidável num momento tão conturbado que o país vive, e ao mesmo tempo tem levado alegria ao povo”, enaltece. Como forma de viabilizar os recursos, a diretoria do Sete fez ações promocionais com patrocinadores, apoiadores e torcedores.

Para o camisa 86 não há como comparar o futebol profissional de alto nível com o amador. “Eu joguei futebol amador no início de minha carreira, disputei intermunicipais em vários clubes amadores. É o caminho natural da ascensão profissional para alguns jovens. Porém, nem todos têm a oportunidade de continuarem a carreira, mas nem por isso vão deixar de jogar futebol, de participar, de ter a sensação do futebol, que é brincar, levar nome de uma cidade, uma paixão. Vim aqui interagir, conhecer gente, não estou inativo. Talvez meu biotipo e o fato de nunca ter sofrido com lesões favoreçam, mas é a paixão pelo esporte que me dá ambição de manter uma vida saudável, com treinos regulares e uma alimentação equilibrada, o que me permite continuar jogando. Vou jogar até minhas pernas aguentarem”, detalha.

Apesar da melhora significativa no rendimento do Sete, a participação de Iarley nos jogos da fase eliminatória, dependem da disponibilidade de agenda do Internacional.

Por daiane

Antes de ser profissional, Iarley (C) com o técnico Pantera (E) e o auxiliar Mateus, atuou no futebol amador do município de Quixeramobim (CE), sua terra natal, pelos clubes Cruzeiro e Imperial. Iarley é a principal personalidade da cidade