Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 21 de Março de 2019

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Polícia

Repressão ao crime é prioridade da Brigada Militar

, 20 de julho de 2018 às 9h52

De janeiro a junho de 2017, 150 condutores foram flagrados em Arroio do Meio dirigindo sem o cinto de segurança. Curiosamente, nenhum condutor foi flagrado no segundo semestre dirigindo sem o equipamento de proteção. O mesmo ocorre em 2018, período em que nenhum motorista foi autuado nessa infração. O condutor que for flagrado nessas condições terá acrescido cinco pontos em seu prontuário de condutor e terá que desembolsar R$ 195,23. Perderá ainda o desconto do Bom Motorista que é concedido ao condutor que no período de um ano não tenha sido autuado em nenhuma infração.

O Tenente Rogério Auler, que responde pelo 1º Pelotão da Companhia de Arroio do Meio, salienta que com o aumento da criminalidade as ações voltaram-se à segurança pública, o que justifica os números. “O trânsito não ficou esquecido. Voltamos às atenções ao combate da criminalidade intensificando esforços nessa área o que deu resultado positivo”, explica.

Infrações referentes à embriaguez ao volante também foram registradas pela Brigada Militar ao longo do ano passado, 32 ao total. Destas, 27 no primeiro semestre. Dos 32 condutores autuados, 29 recusaram-se a soprar o bafômetro o que não os livrou das sanções previstas pelo Código de Trânsito Brasileiro. De janeiro a junho deste ano foram apenas duas.

A penalidade para o condutor que for flagrado dirigindo sob influência de álcool ou se negar a realizar o exame do etilometro é de R$ 2.934,60 e suspensão para dirigir pelo período de 12 meses. Como medida administrativa terá o recolhimento do documento de habilitação e retenção do veículo até a apresentação de um condutor habilitado. Terá ainda que frequentar 30 horas de curso de reciclagem e realizar prova teórica com 30 questões com acerto mínimo de 70%.

Outro dado que chama atenção é o número de pessoas dirigindo sem habilitação, que ainda é grande na região. No último ano foram flagradas 23 pessoas dirigindo sem possuir Carteira Nacional de Habilitação. Outras 18 foram pegas dirigindo com a carteira de motorista cassada ou suspensa. Em 2018 foram 14 e 12, respectivamente.

Outros 18 condutores foram autuados em 2017 pelo artigo 175 do CTB que se refere a utilizar-se de veículo para, em via pública, demonstrar ou exibir manobra perigosa, arrancada brusca, derrapagem ou frenagem com deslizamento ou arrastamento de pneus. Este ano foram 10 condutores autuados nessas circunstâncias. A penalidade nesse caso é multa gravíssima multiplicada por dez, cujo a soma remete a R$ 2.934,70, suspensão do direito de dirigir e apreensão do veículo. A medida administrativa é recolhimento do documento de habilitação e remoção do veículo.

Quarenta veículos com problemas no licenciamento foram autuados durante todo o ano passado. De janeiro a maio deste ano foram 12 registros. Condutores dirigindo com calçados que não se firmam nos pés e que comprometam a utilização dos pedais também foram flagrados ao longo do ano passado. Trinta e um no primeiro semestre, contra um no segundo semestre. Esse ano não foram registradas infrações dessa natureza.

Mais drogas apreendidas

Auler justifica os números apresentando dados referentes à segurança pública. Em 2017 foram realizadas pela Brigada Militar 56 prisões em Termo Circunstanciado. Já no ano de 2018 esse número subiu para 70. Da mesma forma as prisões encaminhadas à Delegacia de Polícia tiveram crescimento na comparação entre 2017 e 2018. Foram 28 e 50, respectivamente.

No que se refere à apreensão de drogas, os números do primeiro semestre de 2018 já são superiores aos de 2017. Em 2017 foram apreendidas 2,6 gramas de cocaína, 276,03 gramas de maconha e 10,58 gramas de crack. Em 2018 já foram apreendidos 102,10 gramas de cocaína, 1608,56 gramas de maconha e 84,25 gramas de crack.

Por daiane