Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 10 de Dezembro de 2018

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Agricultura

Evento exalta a importância do trabalho na agricultura

, 28 de julho de 2018 às 9h30

Em torno de 60 pessoas participaram na quarta-feira à noite, da celebração e confraternização para marcar a passagem do Dia do Colono e do Motorista. O evento foi promovido pelo Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Arroio do Meio (STR) e realizado no salão térreo do Paroquial, em Arroio do Meio. Entre os presentes, o deputado federal Elvino Bohn Gass, o prefeito Klaus Werner Schnack, o presidente da Câmara de Vereadores Rodrigo Kreutz, o presidente da Associação dos STRs da Regional Sindical do Vale do Taquari, Marcos Hinrichsen e o assessor Nilo Leopoldo Schneider, o diretor de política sindical e formação do Sindipetro, Edison Terterola e agricultores. Também esteve presente, representando a classe, o motorista Moris Kist.

Na coordenação dos trabalhos, o presidente do STR, Astor Klaus e o vice Paulo Grassi. A celebração ecumênica foi conduzida pelos pastores Valmir Simon, da Igreja Evangélica de Confissão Luterana do Brasil (IECLB) e Elias Beilfuss da Igreja Evangélica Luterana no Brasil (IELB) e o padre Alfonso Antoni, da Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.

Nas manifestações, a exaltação da importância do trabalho dos agricultores e o reconhecimento aos colonos imigrantes que trouxeram consigo a tradição do espírito comunitário, do trabalho, do cultivo da terra e também a religiosidade. “O que eles plantaram, hoje nós estamos colhendo”, frisou Astor Klaus. Grassi lembrou que 70% da comida é produzida pelos agricultores familiares e que o reconhecimento da classe não é automático e por isso ela precisa de organização e força para se impor. Bohn Gass, Klaus e Rodrigo salientaram a importância do trabalho do agricultor, uma vez que é na agricultura que são produzidos os alimentos e também a matéria-prima que alimenta as indústrias que geram milhares de empregos no país.

Nas falas dos religiosos, ênfase para o trabalho da classe, a celebração da vida, a comunhão e a organização, tão importante para que ocorra a partilha. Para o pastor Valmir é bom se reunir para celebrar a vida e ver que em meio à luta também há alegria e comunhão, que faz cantar e orar juntos apesar das dificuldades. O pastor Elias destacou que, por muito tempo, o termo colono era algo pejorativo, mas que se olharmos para trás, percebe-se que os pais e avós tinham um conhecimento grandioso. Resolviam muitas situações em casa e viviam de uma forma muito mais simples, sem tantas necessidades como hoje. O padre Alfonso falou sobre a partilha e da lógica de mercado que hoje faz com que somente quem tem dinheiro possa comer, mesmo que haja comida sobrando e estragando. Salientou que o momento era de celebrar conquistas e de se alimentar de esperança e fé e buscar força para continuar a construir saídas para que todos tenham suas necessidades saciadas.

Petróleo: O diretor de política sindical e formação do Sindipetro, Edison Terterola, que atua na Refinaria Alberto Pasqualini, em Canoas, falou acerca do petróleo e dos seus diversos usos. Atentou para o fato de que a energia do petróleo está em praticamente tudo, já que ele possui milhares de derivados. Por isso considera importante discutir o petróleo e a política de exploração adotada no Brasil, que é a terceira maior reserva de petróleo do mundo. Frisou que não pode ser tratado como mera mercadoria regulada pelo mercado, pois é um bem natural.

Terterola também discorreu sobre a exploração do Pré-Sal e as consequências para o Brasil e os brasileiros. Afirmou que desde 2016 houve mudanças significativas na política de exploração de petróleo no país, repercutindo diretamente na Petrobras, causando grandes prejuízos para a estatal e para o desenvolvimento do setor.

Por daiane