Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 10 de Agosto de 2020

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Geral

Mais que profissão, uma vocação

, 29 de abril de 2018 às 10h00

O envelhecimento da população brasileira, já confirmado por dados do IBGE, torna a carreira do cuidador ainda mais interessante. Há muitas vagas de emprego disponíveis no mercado, esperando apenas por profissionais qualificados e com experiência.

O cuidador é responsável por proporcionar uma velhice saudável e tranquila ao idoso. A esse profissional são atribuídas várias tarefas entre elas a higiene e a alimentação. Esse profissional é também responsável por estimular a prática de exercícios físicos, fazer companhia, administrar e supervisionar a medicação, entre outras tarefas. Em Arroio do Meio, grande parte dos profissionais não possuem curso de formação, entretanto desempenham suas atividades com êxito.

A profissão de cuidador vai além do emprego e para muitos passa a ser uma relação de companheirismo e amizade entre quem necessita dos cuidados e cuidador. O amor pelo que faz é primordial para qualquer profissão, no caso de cuidador indispensável, fala Patrícia Rempel, que há oito meses cuida da aposentada Nadir Weiss, que sofreu um AVC há menos de um ano. Sem o curso de cuidador, porém com muita experiência, Patrícia trabalhou em várias casas de família do município como cuidadora e também na Amai por aproximadamente um ano.

Há cinco anos na profissão, Patrícia fala que, antes disso, já auxiliava esporadicamente amigos e conhecidos, e por isso, foi tomando gosto pela atividade e hoje não se vê fazendo outra coisa. As tarefas realizadas por ela na casa de dona Nadir são variadas e vão desde os cuidados com a idosa até a higienização do ambiente, imprescindível para uma boa qualidade de vida. As tarefas não param por aí. Patrícia auxilia também na fisioterapia da idosa, inclusive na piscina que tem o objetivo de recuperar os movimentos causados pelo AVC. “É importante tratar o idoso com respeito. Chamar de velho é uma forma depreciativa. Prefiro dizer que tem muita experiência”, fala.

Bem disposta e com brilho no olhar, Patrícia fala que é preciso incentivar o idoso que nessa idade necessita de atenção redobrada. Com a fala prejudicada em razão do AVC, Nadir se comunica com Patrícia por gestos e parece entender muito bem, demostrando cumplicidade. Hoje a relação entre as duas vai além da profissional o que é perceptível através das brincadeiras realizadas com frequência. “É preciso ser positivo sempre”, finaliza Patrícia.

Principais atribuições do profissional

• Cuidar de idosos independentes ou dependentes, acamados ou não, nos aspectos físico, mental, cultural e ambiental que facilitem a mobilidade do idoso;

• Desenvolver atividades físicas que considerem os limites da capacidade funcional do idoso;

• Evitar situações de riscos e garantir a segurança do idoso;

• Supervisionar e administrar medicação conforme prescrição médica;

• Organizar cardápios de acordo com prescrição médica/nutricionista;

• Acompanhar e orientar idosos e familiares aos serviços previdenciários, assistência social, de saúde, farmacêutica e social.

Por daiane