Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 17 de Outubro de 2018

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Meio Ambiente

Ação de limpeza ocorre neste domingo

, 12 de janeiro de 2018 às 8h09

A comissão dos Amigos das Águas do Arroio Grande convida moradores e ambientalistas para a limpeza das águas, das margens e da estrada do distrito de Arroio Grande, em Arroio do Meio. A ação inicia às 7h deste domingo, dia 14.

A limpeza ocorrerá simultaneamente em cinco trechos liderados por componentes da comissão: do travessão de Dona Rita até o Pesque-Pague (Rodrigo Kreutz e Cláudia Fröhlich); do Pesque-pague até a ponte da Escola Duque de Caxias (Adriano Becker e Isabel Spaniol); da ponte até o Esporte Clube Guarani (Emerson Frohlich e Fabiane Frohlich); do Guarani até a ponte do morro Tico-Tico (Jean Kehl e Mário Pedro Friedrich, o Pitt); e do morro Tico-Tico até o passo do ladrão, (Inácio Hammes e Ederson Rodrigues da Silva).

“Temos um grande grupo disposto, animado e preparado para este movimento, que com a união da comunidade poderá reverter a poluição e recuperar a qualidade do recurso hídrico que simboliza nossa comunidade”, revelam os líderes engajados.

Além desta ação ocorrerão trabalhos de conscientização ambiental por meio de diagnósticos, comparativos e medidas de menor a maior impacto. Estão previstas a distribuição de material educativo, sinalização para demarcação, proteção das encostas, mapeamento topográfico, preservação da mata ciliar, reposição de espécies nativas de peixes, limitação ao acesso de animais domésticos poluidores, apresentação de tecnologia em instalações de fossas sépticas para dejetos residenciais e de empreendimentos, uso correto e disciplinado de agrotóxicos, entre outras realizações.

O arroio Grande tem nascente em Capitão e desemboca no rio Taquari, passa por diversas localidades, recebendo águas de vários afluentes, como córregos e riachos. No curso existem represas construídas para moinhos e serrarias, além de lugares mais profundos que já eram usufruídos por banhistas em dias de calor, pontes, pinguelas, travessias, locais de pesca e pontos turísticos. Conforme moradores com mais de 30 anos de idade, no passado, quando se tinha muito menos informação sobre agentes poluidores e mecanismos para barrar a poluição, a água era mais limpa e até servia para consumo humano. Atualmente constata-se a presença de lixo doméstico, entulhos e esterco.

Por daiane