Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 15 de Novembro de 2019

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Geral

Ministro prestigia abertura das comemorações em Marques de Souza

, 8 de dezembro de 2017 às 8h56

As comemorações de aniversário do município foram abertas em solenidade realizada na manhã de sexta-feira, dia 1º, na Sociedade União Centenária, em Marques de Souza. Em 28 de dezembro o município completa 22 anos de emancipação.

As atividades iniciaram com recepção e café da manhã para os prefeitos do G8 e primeiras damas. O cerimonial de abertura teve a participação de autoridades, líderes e representantes de entidades e organizações regionais, como o coordenador do Curso de Medicina da Univates, Luiz Fernando Kehl, estudantes e professores das instituições de ensino locais, além da presença do ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira.

O vice-prefeito Lucas Stoll disse que a Administração se programou para as festividades com muito carinho e responsabilidade. “É um momento importante de afirmação da nossa cidade e queremos contemplar a nossa população com ações que envolvem o presente e o futuro, mas nunca esquecendo do passado que é a nossa história”, afirmou.

O presidente da Câmara de Vereadores, Rubens Heineck, relembrou da importância da municipalidade e destacou o potencial da agricultura no desenvolvimento econômico e a qualidade de atendimento do hospital local.

O presidente do G8 e prefeito de Boqueirão do Leão, Paulo Joel Ferreira, referiu-se à articulação do consórcio intermunicipal dos municípios do G8 em defesa de pleitos conjuntos e busca do desenvolvimento da microrregião. “Unidos estaremos fortalecidos. Uma das ações será dar continuidade à implantação de uma central de triagem de lixo”, revela.

Em seu discurso, o prefeito Edmilson Dörr (Brida) fez uma prestação de contas das ações do município nos primeiros 11 meses de gestão. Aos resultados atribui redução geral de despesas, com cortes de CCs e FGs, revisão de contratos, muito esforço e dedicação. “Seguimos à risca o que diz o nosso plano de governo que foi determinado através da opinião da comunidade. As prioridades foram elencadas e estamos apresentando os resultados em 11 meses de governo. E melhor, investimos com recursos próprios e o que recebemos no cofre quando assumimos está no cofre. A intenção é devolver uma fatia do bolo maior à agricultura que é a principal atividade econômica no município. Não diminuímos serviços, talvez privilégios. Nosso compromisso é com a integração de todas as localidades e distritos. Queremos resgatar a autoestima dos marques-souzenses, abalada desde a enxurrada de 2010 e fortalecer o espírito comunitário. Queremos fazer o trabalho local bem feito e buscar recursos fora. Nessa semana tivemos a honra de estar com o ministro Nogueira em duas oportunidades em Brasília. Numa delas, ele deixou de almoçar com o presidente Temer para nos atender. Acredito num bom futuro para Marques de Souza e para o Brasil. Há muita gente boa se esforçando para o melhor acontecer”, comemora Brida.

O ministro Nogueira parabenizou o município pelo aniversário e sua comunidade por ser engajada. Estendeu seu gabinete ministerial e parlamentar (quando atuar pelo Congresso) para intermediar soluções dos interesses da comunidade local. “Os políticos podem ajudar muito. Se somos o 5º maior país do mundo em extensão territorial é que no passado houve muito esforço, inclusive de pessoas que arriscaram a própria vida pelo Brasil, como a linhagem do Conde Manuel Marques de Souza. Somos o primeiro em riquezas, mas ainda temos muita pobreza, mas nossa população é diferenciada em termos de tolerância e respeito da diversidade, o que pode alavancar o desenvolvimento econômico e a justiça social”, pondera.

Natural de Chapada, Nogueira perdeu o pai cedo. Se mudou com a mãe para Carazinho aos 6 anos de idade e aos 12 prestava serviços de jardinagem para ajudar a pôr comida na mesa. Pastor da Igreja Assembleia de Deus, foi vereador por quatro mandatos, se formou em Administração e Economia, foi eleito deputado federal e hoje atua como Ministro do Trabalho. Um dos principais ensinamentos de trabalhar desde cedo foi nunca depender dos outros e fazer por si. Aos estudantes que acompanhavam a programação, pediu para que avaliassem bem conteúdos e condutas nas redes sociais e vida pública, vislumbrando como as consequências podem interferir em suas vidas em médio e longo prazo. “Tudo que demanda esforço é bom para o amanhã. Por isso é bom ouvir e aprender com pessoas mais experientes que já passaram por dificuldades e superaram desafios”, explica.

O ministro defende o melhor domínio do conhecimento e tecnologia para o trabalho. Segundo ele, a atualização da Lei Trabalhista, que ajustou legislações em vigor de 1940, foi importante para regulamentação de novos contratos e acordos coletivos.

“Ainda bem que vivemos num país democrático onde respeitamos o direito de manifestações e interpretações, muitas vezes ideológicas. Há manifestações que entendem como normal uma criança apalpar homem nu, ou tratar jovens que cometem delitos como incapazes. Mas a maior parte da sociedade defende mais oportunidades de trabalho e não há justiça social maior que o emprego”, afirma.

Para o ministro não houve perda de direitos, e a modernização da legislação vai gerar melhores oportunidades de ocupação com renda, para um número mais amplo de pessoas. “Trouxemos para o Brasil uma legislação condizente com a realidade do século 21, equiparadas com leis trabalhistas da Alemanha e EUA. O acordo coletivo passará a ter força de lei e tratará apenas a respeito de rotinas e questões vantajosas para trabalhadores e não reduzir direitos, como 13º, férias e Fundo de Garantia”.

Nogueira defende que a segurança jurídica nas relações de trabalho é fundamental. Salienta que o empreendedorismo precisa ter segurança nos contratos, tanto com os investidores e contratantes, como com os trabalhadores, com fidelidade na interpretação, execução e cumprimento dos termos especificados nos objetos de contrato. “Uma nação se desenvolve sob três pilares: segurança nacional, segurança monetária, segurança jurídica. O Brasil que vinha perdendo empregos, já comemorar a retomada do emprego. Desde abril criamos de 30 mil postos de trabalho por mês, com saldo positivo de 304 mil postos de trabalho. Com a regulamentação do trabalho intermitente, do tele-trabalho e contrato por jornada parcial, o Brasil em seus 5,5 mil municípios, tem o potencial de gerar mais de dois milhões de postos empregos nos próximos anos”, destaca.

Após a abertura oficial ocorreu palestra com a trineta de Manuel Marques de Souza, Carmem Ferreira. Ela falou para dezenas de professores, estudantes e convidados. “Fico muito feliz em poder participar e honrada pela valorização desse momento”, diz.

Por daiane