Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 19 de Outubro de 2019

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Geral

Escritor divulga livros sobre a colonização alemã

, 26 de novembro de 2017 às 10h00

O vereador de Novo Hamburgo, jornalista e escritor Felipe Kuhn Braun, 30 anos, esteve pela região na semana passada lançando seu 15º livro intitulado: Alemães no Brasil: 1824 – 1945, de 164 páginas. Nesta obra, Braun escreve como era a vida das pessoas na Europa e quais foram os motivos que levaram as famílias a emigrar. O jovem escritor também descreve o início das famílias de imigrantes alemães no Brasil e América Latina, registrando o legado deixado por eles e seus descendentes. O livro conta com mais de 200 fotografias antigas com informações sobre 1500 famílias de origem germânica migradas para o Rio Grande do Sul.

Com 16 anos de intensa pesquisa, Felipe já é um dos maiores conhecedores da imigração no RS. Neste período formou um acervo de 37 mil fotos antigas e publicou 15 livros. Ao todo já foram mais de 650 famílias visitadas nos Vales dos Sinos, Caí, Paranhana e Taquari. “Os Kuhn, por exemplo, vieram em 33 imigrantes e hoje já são 12 mil descendentes, um índice de natalidade muito superior à Europa. Apesar de haver infraestrutura precária aqui, encontraram um solo muito fértil, o que garantiu uma boa produção de alimentos. Já nos EUA, destino de 90% dos emigrantes alemães, 60% da população tem alguma descendência alemã. Por um voto, no século XVIII, a língua oficial não virou o alemão, e os sobrenomes foram compostos em inglês nos cartórios. E com o empoderamento econômico, passaram a viajar mais para Europa, e não têm tanta curiosidade como os latinos”, comenta.

Seis dos livros são sobre cidades e um deles fala sobre o veraneio em Tramandaí em que as famílias iam à praia – no carro de boi, levando três dias para chegar. Quatro de suas obras já foram reeditadas e três traduzidas para o alemão, mas ainda não publicadas. “Sigo pesquisando, escrevendo e publicando para preservar e compartilhar estas histórias,” diz Felipe.

Outro livro recente é A Morte: antigas tradições e suas representações no Sul do Brasil. Nesta obra o jornalista traz detalhes em torno de fotos fúnebres, obituários, sepulturas, esculturas sacras, entre outros detalhes.

Felipe é graduado em Jornalismo pela Universidade Feevale, Coordenador de Genealogia do Museu Histórico Visconde de São Leopoldo e colaborador do Instituto de Pesquisas Históricas da Universidade de Mainz, na Alemanha. Faz parte do Grupo de Estudos de Histórias sobre Brasil e Portugal, da Faculdade de Filosofia e Letras da Universidade de Buenos Aires, na Argentina. Atua como representante do Rio Grande do Sul na Diretoria da Badisch- Südbrasilianische Gesellschaft, entidade com sede em Karlsdorf-Neuthard (na Província alemã de Baden-Württemberg).

Por daiane