Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 24 de Fevereiro de 2020

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Apartes

Celebração Ecumênica celebra 500 anos da reforma

21 de setembro de 2017 às 15h36

Luteranos e católicos dão uma demonstração bonita de unidade, de comunhão, inspirados na vida de Jesus Cristo que pregou “ Para que todos sejam um” – João 17.20. Entre as diversas ações e atividades que estão acontecendo e ainda estão programadas para este ano do aniversário da reforma, uma que vai reunir grande número de cristãos está marcada para o dia 1º de outubro, no Centro Comunitário Cristo Rei de Estrela. Daqui de Arroio do Meio partirá ônibus da comunidade luterana do bairro Aimoré. Até a próxima quinta-feira, luteranos e católicos podem fazer as reservas de passagem junto às suas paróquias. Não haverá custo no ônibus e a saída está prevista para as 8 horas. A programação em Estrela começa Às 8h30min (mais informações sobre a programação na página 8)

É importante esta caminhada de católicos e luteranos, o que já vem ocorrendo há bastante tempo para superar conflitos que marcaram o período da reforma. O testemunho das duas igrejas, em torno da comunhão tem um significado especial nesta época em que há muito egoísmo e em que por pouca coisa as pessoas entram em disputas e conflitos.

Com corações agradecidos, os cinco principais compromissos para católicos e luteranos superarem conflitos com alegria, ousadia, criatividade e esperança:

1. Fortalecimento do que temos em comum e nos une, partindo sempre da perspectiva da unidade e não da perspectiva da divisão.

2. Deixar transformar-se continuamente pelo encontro com o outro e pelo testemunho mútuo da fé.

3. Comprometimento pela busca da unidade visível para compreendermos o que isto significa em termos concretos.

4. Redescoberta conjunta da força do evangelho de Jesus Cristo para o nosso tempo.

5. Testemunho conjunto da graça de Deus através da pregação e do serviço.

Polarização e democracia

Polarização na cultura, polarização na política, polarização na educação, na religião… É impressionante como proliferam sentimentos que dividem o país em bons e maus, direita e esquerda, profanos e sacros. Embora esta polarização possa ser justificada como manifestação democrática e livre expressão, há muitos excessos nas manifestações que se esvaziam na argumentação e coerência e dificilmente nos tirarão do caos que o país vive.

Há um consenso de que o sistema politico vigente no país está falido e é responsável pelo crescimento da corrupção e violência e compromete profundamente a democracia. Estamos diante de uma realidade complexa mas para a reconstrução da cidadania, da confiança, da ética, o mínimo que precisamos exercitar é a tolerância na diversidade. Para reconstruir este país, precisamos de líderes de boa vontade, que saibam congregar e não dividir, que haja pelo menos o mínimo de respeito pelo outro nas relações sociais e o que depende dos que estão no poder, respeito pela sociedade e cargo.

Quando os xingamentos, a falta de tolerância e incoerência vem de pessoas, com notada capacidade intelectual pela sua formação e informação, entendemos que ainda temos um grande caminho pela frente para superar nossas diferenças e construir pontes ao invés de derrubá-las. E construir não é tarefa simples e fácil. Na construção destas pontes, precisamos é claro dirigentes/líderes competentes, honestos e corajosos.

Por daiane