Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 18 de Outubro de 2017

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Geral

Católicos e luteranos se unem e celebram os 500 anos da reforma

, 22 de setembro de 2017 às 13h52

Luteranos e católicos realizam no dia 1º de outubro, no Centro Comunitário Cristo Rei, em Estrela, uma grande celebração ecumênica em comemoração aos 500 anos da reforma. Intitulada “Celebração Ecumênica: Luteranos e Católicos comemorando os 500 anos da reforma”, a programação vai envolver as Dioceses de Santa Cruz do Sul e de Montenegro e os Sínodos Vale do Taquari, Centro-Campanha-Sul e Nordeste Gaúcho.

Padres e Pastores da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB), do Vale do Taquari têm uma bela caminhada ecumênica. Há cerca de 30 anos realizam encontros periódicos de reflexão, estudo, oração e confraternização. Também as comunidades fazem parte da caminhada ecumênica: Celebrações da Semana de Oração pela Unidade Cristã acontecem a cada ano em muitas delas. Além disso, em 2009, celebraram juntos os dez anos da Declaração Conjunta da Doutrina da Justificação por Graça e fé, e celebraram por quatro vezes a Campanha da Fraternidade Ecumênica.

A reforma

A reforma do século XVI aconteceu através da busca de Martinho Lutero por um Deus gracioso. Ele o encontrou no Evangelho de Jesus Cristo, especialmente na sua crucificação e ressurreição. Foi lendo a carta do Apóstolo Paulo aos Romanos, que ele descobriu que a pessoa é justificada, aceita, por Deus por sua graça, mediante a fé: “Viverá aquele que, por meio da fé, é aceito por Deus”. Romanos 1.17.

A reforma trouxe grandes transformações à Igreja e, por meio destas, também muitos benefícios a toda a Igreja Cristã. Por outro lado, trouxe também muitas dores. A reforma tornou-se um grande conflito à medida que as ideias de Lutero contrastaram com a prática da Igreja do seu tempo.

Tanto os benefícios da reforma, quanto as feridas, permearam os últimos cinco séculos da Igreja Cristã. Por um lado, a alegria por todos serem aceitos por Deus por sua graça, por outro, o sofrimento com as divisões ocorridas. Muitos casamentos deixaram de acontecer, muitos preconceitos entre luteranos e católicos marcaram as relações, muitos conflitos e divisões surgiram.

Celebrando os 500 anos da reforma

Em 2017, cristãos católicos e luteranos querem olhar de maneira mais adequada para a reforma. Desejam que o evangelho de Jesus Cristo esteja no centro, que ele seja comunicado às pessoas para que o mundo creia que Deus deu a si mesmo à humanidade e chama a comunhão consigo e com a sua Igreja. A verdadeira unidade da Igreja só pode existir como unidade na verdade do evangelho de Jesus Cristo.

Ao mesmo tempo que há alegria com o Evangelho de Cristo, é preciso olhar criticamente para o passado e presente. Este ano comemorativo coloca diante destes desafios: a purificação e a cura das memórias e a restauração da unidade cristã, conforme a verdade do evangelho de Jesus Cristo. O que nos une é maior do que o que nos separa.

Por daiane