Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 15 de Dezembro de 2017

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Meio Ambiente

Gastos com coleta de lixo e limpeza urbana ultrapassam R$ 1,4 milhão

, 6 de agosto de 2017 às 10h00

A coleta de resíduos domiciliares, públicos e de serviços de saúde, a varrição urbana, e a realização de campanhas de descarte ambientalmente corretos, vão custar neste ano quase o dobro dos valores recolhidos com a taxa específica cobrada juntamente com o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), que somaram em torno de R$ 746 mil em 2016. Os cálculos são restritos aos serviços terceirizados. Não incluem a disponibilização exclusiva de quatro servidores do Departamento de Serviços Urbanos para recolhimento de móveis velhos e lixo verde, do apoio das equipes de subprefeituras na coleta de resíduos no interior, e de medidas emergenciais, como o combate a pragas.

Só para manter a coleta diária de lixo urbano, neste ano será investido quase R$ 1 milhão. Entretanto, ainda há uma série de desafios a serem ajustados, como estender roteiros aos novos loteamentos e conscientizar a comunidade em organizar o descarte de seu lixo – separado por gênero e dentro de sacos que otimizem a coleta, e levados às lixeiras num horário para que o material não fique ao relento para que os animais o revirem. “Temos roteiros pré-estabelecidos que podem ser ajustados para melhorar o atendimento. O contribuinte da parte urbana que mora em loteamos regularizados tem o direito de receber a coleta, mas cabe a ele comunicar a necessidade. Buscamos resolver na mesma semana”, reforça a coordenadora do Departamento do Meio Ambiente, Rose Grassi.

No decorrer da semana o Fiscal do Departamento do Meio Ambiente, Leonardo Dalmolin Matzenbacher, fez o acompanhamento do recolhimento de resíduos. A ideia é monitorar o cumprimento do contrato de licitação com a empresa EDE Jamir do Santos, afim de proteger a administração de ônus judiciais, além de levantar mais detalhes sobre o serviço, como por exemplo, ter uma noção do peso recolhido por quilômetro rodado, mapeamento de rotas para condicionamento de contratos futuros. O lixo recolhido em Arroio do Meio é levado para um aterro sanitário em Barros Cassal.

MUDANÇAS NO RECOLHIMENTO DE LIXO VERDE E MÓVEIS

Os departamentos de Meio Ambiente e de Serviços Urbanos estão reestruturando o serviço de recolhimento do lixo verde e móveis nos bairros e loteamentos, que desde o primeiro trimestre do ano vem ocorrendo de forma seletiva. A medida visa melhorar a organização da comunidade e a limpeza da cidade.

A partir do novo sistema, sofás e móveis são recolhidos em segundas-feiras, enquanto o lixo verde é recolhido de terças a sextas-feiras. Essa semana o serviço foi realizado nos bairros São José, Barra do Forqueta, Medianeira e Loteamento Antares. Posteriormente o serviço segue nas outras localidades.

Neste mês a Administração realiza licitação para definir ponto de destinação de móveis.

PREFEITURA NÃO RECOLHERÁ MAIS ENTULHOS

Resíduos de construção civil não serão mais recolhidos pelo Poder Público, de acordo com a resolução nº 307 do Conselho Nacional do Meio Ambiente/Lei Municipal do Plano de Saneamento, que responsabiliza aos geradores de resíduos da construção civil a redução, reutilização, reciclagem e destinação final do material.

De acordo com o Departamento do Meio Ambiente, o descarte indevido de entulhos é registrado com frequência em alguns pontos específicos do município, onde são encontrados lixo comum misturado a galhos verdes e móveis, o que dificulta a realização e o avanço do recolhimento. “Garrafas, papel, plástico e outros resíduos devem ser descartados em sacos plásticos, junto ao lixo convencional, e não atirados de qualquer forma no espaço destinado aos galhos verdes e móveis, já que cada um tem seu destino definido”, alerta a coordenadora Rose Grassi. “Começa a ficar visível e chamar a atenção os pontos específicos negativos, já que a grande maioria das comunidades realiza o descarte consciente dos seus resíduos, incluindo os eletroeletrônicos, que podem ser descartados nas campanhas específicas realizadas de forma bimestral na Rua de Eventos”, ressalta. “Pedimos a colaboração para que a comunidade respeite o roteiro e descarte seu material de acordo, colaborando para manter a cidade limpa e organizada”, solicita.

Investimento em serviços terceirizados

Coleta de resíduos domiciliares: R$ 966,6 mil/ano

Coleta de resíduos dos serviços de saúde: R$ 19,9 mil/ano

Varrição de logradouros públicos: R$ 479,88 mil/ano

Por daiane
Fiscal Leonardo Dalmolin Matzenbacher monitorou recolhimento e levantou detalhes do serviço prestado

Fiscal Leonardo Dalmolin Matzenbacher monitorou recolhimento e levantou detalhes do serviço prestado