Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 18 de Outubro de 2017

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Em Outras Palavras

Dia dos Filhos

11 de agosto de 2017 às 9h53

Meu pai morreu há quase 30 anos. Procuro honrar seu legado no trato com meus filhos. Nasci em 1960. Por isso é equivocado traçar comparativos na forma de criar seus herdeiros. Alguns valores, porém, não se alteraram, por serem perenes.

O maior aprendizado que recebi refere-se à verdade. Repito à Laura e Henrique que por pior que seja a situação quero ser o primeiro a saber, através deles. Isto cria situações dramáticas, que magoam, mas que são fundamentais para o amadurecimento deles e da nossa relação.

Criar filhos é tarefa sem manual de instruções. As dificuldades se agravam por vivermos numa era de comunicação instantânea, lastreada pela ostentação, cultura do descartável e de valoração excessiva das aparências em detrimento do conteúdo.

Com frequência sou acusado de ser um tipo de amigo mais velho da gurizada. Pululam acusações de excesso de benevolência, falta de rigor e certo desleixo com os erros dos filhos. Há tempos trato meus filhos como parceiros de uma jornada na qual ali adiante estarei ausente.

Ser pai é uma tarefa recheada de gratificações, bônus que a vida oferece

Jamais me arrependi do que alguns consideram “exagero de liberdade”. Posso confiar neles. Leguei valores fulcrais como amor, fidelidade aos amigos, respeito à verdade e às leis.

Tenho aprendido muito mais do que ensinei, o que me gratifica. Com estilos diferentes de encarar o mundo, meus filhos revelam nuances que eu não consigo enxergar. Ou tenho resistência em aceitar. Um dos exemplos diz respeito a preconceitos. Afinal, minha geração é permeada deste comportamento condenável. É preciso tratar a todos com respeito e compreensão. Henrique e Laura mostram que é fundamental respeitar as diferenças.

Não raro meus filhos apontam caminhos que não vejo. São atalhos da vida, rotas de fuga quando somos vítimas da incompreensão. É óbvio que ocorrem inúmeros choques e às vezes o diálogo soa impossível. São ocasiões onde nos ferimos mutuamente, mas que jamais prescindem de benevolência para restabelecer os laços mais tarde.

Ser pai é sinônimo de recompensas, gratificações. Bônus cuja mensuração não pode ser feita. Meus filhos são minha maior dádiva. Neste Dia dos Pais, uma homenagem a eles!

Por daiane