Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 16 de Setembro de 2019

O Alto Taquari - Cotidiano

Jornal da Semana
Saúde

Nutrição e Psicologia unidas no processo de Reeducação Alimentar

, 7 de julho de 2017 às 11h00

Reeducação alimentar é um termo muito comentado ultimamente, livre de doenças e do efeito sanfona, pelo simples ato de trocar alimentos e saber o quanto comer e quando comer. Mas você sabe no que consiste esse processo?

Percebe-se nos últimos tempos que a comida tem sido sinônimo de confusão e fica evidenciado que ano após ano no mundo todo, as doenças decorrentes dos maus hábitos alimentares vêm aumentando significativamente.

Durante toda a nossa vida, principalmente na infância, aprendemos o que e como devemos comer com nossos pais e pessoas da nossa convivência, mas nem sempre são alimentos saudáveis. Quando ficamos mais velhos ou nos deparamos com alguma doença como hipertensão, colesterol ou mesmo como o sobrepeso, tomamos consciência da importância da alimentação para uma vida melhor e daí percebemos que não nos alimentamos de forma balanceada.

Felizmente é possível prevenir e evitar esse grande problema. A reeducação alimentar está totalmente ligada à nova forma de compreensão do excesso de peso. Pensar, sentir e agir conscientemente pode transformar os maus hábitos em bons. Reeducando a forma de se alimentar, resgatamos o verdadeiro sentido da comida, que é nutrir.

Quando emagrecemos de forma rápida e voltamos a ganhar peso, mais do que havíamos perdido, é comum responsabilizar um agente externo, como um remédio, um acontecimento ou um determinado tratamento que não tenha dado certo. Ao iniciarmos um processo de emagrecimento de fora para dentro é provável que essa pessoa perca peso e na sequência a paciência e a tolerância.

Dieta rigorosa leva à perda de músculo, que leva à diminuição do metabolismo que ao término do tratamento, leva a um aumento de peso maior que o registrado antes de iniciar a dieta, além de restringir muitos alimentos essenciais ao bom funcionamento do organismo e da mente. Preso neste ciclo vicioso, o excesso de peso do paciente tende a se tornar cada vez mais grave.

Quando aprendemos a olhar de forma diferente e passamos a olhar a obesidade ou um transtorno alimentar por outros olhos, isso deixa de ser um fantasma, e é possível emagrecer ou se reeducar sem fome, sacrifício, sem irritabilidade e sem o “efeito sanfona”, comum em emagrecimentos de fora para dentro.

É preciso saber o que se quer esconder atrás da obesidade ou que crença é essa que dá suporte à necessidade de ingerir comidas tão calóricas? Através dos pensamentos, é possível mudar essa realidade e viver em plenitude.

O verdadeiro controle das emoções está na firmeza, na segurança, e, portanto, no autoconhecimento. Disciplina, vontade, disposição, seguir um plano alimentar específico e se auto conhecer, irão promover mudanças de dentro para fora. De posse de sua própria vida, você certamente emagrecerá o quanto desejar, e nunca mais voltará a ganhar peso, porque terá as rédeas da vida em suas mãos.

Nutricionista Elisabete Bald e Psicóloga Ivone Lúcia Brito

Por daiane