Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 17 de Setembro de 2019

O Alto Taquari - Esportes

Jornal da Semana
Outros esportes

Morro Gaúcho tem potencial para sediar ultramaratonas

, 28 de julho de 2017 às 6h00

A adrenalina e a emoção do esporte de aventura pairaram sobre o Vale do Arroio Grande e Morro Gaúcho, no último sábado, dia 22, na primeira edição das Trilhas do Gaúcho, IV etapa do Circuito de Trilhas e Montanhas, válida como credencial para a Internacional Trail Runing Association (ITRA).

Dos mais de 804 inscritos, 752 estiveram em prova, destes apenas 102 não conseguiram completar. Na distância de 5,5 km os melhores colocados foram Patrike Sulzbach da Brutus do Gaúcho (29:27) e Clarice Schuller (36:20).

No trajeto de 16 km os melhores colocados foram Evandro Audibert da ABA (01:25:04) e Mirian Ferraz Pasturiza do Maratona Clube Santa Rosa (01:45:22).

Na prova de 30 km os primeiros lugares ficaram com Cezar Batista Camillo da Perfect Run (03:26:08) e Jasieli Dalla Rosa da Cia Athletica (04:12:09), com destaque para os arroio-meenses Ismael Hünemeier, que completou o percurso ficando na 4ª colocação (3:42:59) e Guilherme Pretto na 13ª (4:21:40) .

Na prova de 50 km o título ficou com Ademir Fernando Petry do Vale Do Caí (05:41:18) e Clediane Figueiro Lunardi da Hermelu Runners (07:30:45). Para os atletas com mais de 41 anos, Rodrigo Berta da Berta Trail Run (06:55:21) e Marianna Muzzio da equipe do Uruguai (08:22:25).

O evento foi considerado um sucesso pelos organizadores. O presidente da Associação Esportiva Brutus do Gaúcho, Pedro Jung, 52 anos, ficou mais do que satisfeito com a avaliação de profissionais de outras regiões do país e exterior.

O nível da prova foi bem pontuado por críticos especializados, que consideraram o percurso o mais completo do Estado e um dos melhores do país para receber provas de Ultramaratona de Trilhas e Montanhas. “Tem tudo o que precisa e muita identificação para ser prova do RS. Poucos ajustes são necessários. Os uruguaios gostaram tanto que nos convidaram para participar da ultramaratona deles sem custos”, salienta.

Na concepção de Jung e demais organizadores, faltou um pouco mais de engajamento da Administração em apoiar a organização e a estrutura do evento, além de visão público/privada para envolver os atletas e acompanhantes em visitas aos pontos turísticos das imediações, entre outras atividades de entretenimento. Mesmo assim guarda boas expectativas para o crescimento da modalidade, pois muitas pessoas se identificaram com a prática em meio a natureza.

A Associação Brutus do Gaúcho conta com 50 associados, sendo 25 corredores oficiais com atletas e entusiastas de Arroio do Meio, Lajeado, Teutônia, Estrela e Venâncio Aires. “Estamos de portas abertas para receber mais participantes […] a intensidade é muito diferente do que correr no asfalto. É preciso mais preparo. Por isso os grupos de treinamento e competições são divididos por percursos”.

Por daiane