Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 26 de Agosto de 2019

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Geral

Autodidata, aposentado aprende a tocar ouvindo rádio

, 17 de junho de 2017 às 10h00

Apaixonado pela música, Ernani Schmitt, de Linha Cascata, Capitão, aprendeu a tocar gaita ainda muito jovem, com 21 anos de idade. Na época, Ernani frequentou aulas de música para aprender a manusear o instrumento, nove ao total. As poucas aulas foram o incentivo para o agricultor tomar gosto pela música e pelo instrumento adquirido com muito esforço. Entretanto, a força do destino e a situação financeira o fizeram desfazer-se da gaita meses depois. “Foi uma decisão difícil”, conta.

Sentado na varanda da casa e acompanhado da esposa Lourdes Schmitt, Ernani conta que nunca desistiu do sonho de adquirir um novo instrumento e voltar a dedilhar, o que aconteceu há poucos meses. Com instrumento nos braços, uma gaita de origem italiana e adquirida em Arroio do Meio, o aposentado fala que o sonho se tornou realidade 52 anos depois, quando encontrou um instrumento com preço acessível, que cabia em seu bolso. “Fiquei muito feliz. Não pensei duas vezes. Foi uma vitória”, declara.

A facilidade em aprender e a destreza com a qual seu Ernani manuseia o teclado e os botões chama a atenção. Aprende a tocar as músicas ouvindo programas de rádio e assistindo televisão. No repertório, músicas religiosas, valsas, bandinhas e até italianas. “Para aprender é preciso ter interesse, força de vontade e muita paciência”, fala o aposentado.

Porém, revela que após cinco décadas sem manusear um instrumento e a idade avançada o fez perder a agilidade dos dedos, dificultando a retomada. “Levei um mês para conseguir tocar uma música do início ao fim. Foram mais de 50 anos sem tocar. Essa parada prejudicou um pouco”.

O dom e a facilidade em aprender canções de maneira autodidata, chamou a atenção do presidente da comunidade Católica Santa Maria Goreti da Cascata, Clair Pedro de Conto, que o convidou para tocar nos encontros de família e nas missas da comunidade. A comunidade composta por 14 famílias ganhou novo ânimo com a presença de um instrumento nas celebrações religiosas. “Ele tem muita facilidade em aprender e precisávamos de uma pessoa para animar os encontros de família e as missas que ocorrem mensalmente. Esse foi o motivo que o convocamos”, brinca de Conto.

Integrante assíduo na comunidade, o médico aposentado Rui Bersch fala que Ernani foi uma descoberta para o grupo e para a comunidade Santa Maria Goreti em razão das celebrações que ganharam vida ao som do instrumento. “O Ernani deu um ânimo novo para nossa comunidade, que passou a se reunir também para ensaiar os cantos religiosos”, afirma.

Por daiane

Integrantes da comunidade se reúnem com frequência para ensaiar cantos religiosos que são entoados na missa que acontece mensalmente